Blog do Bruno Voloch

16/04/2009

O valor do sacrifício

Claro que não deixaria passar em branco a vitória do Osasco sobre São Caeatano.

Osasco fez seu papel, São Caetano o dele.

O que significa ?

Cada um chegou onde poderia. Osasco montou um time para ser campeão, portanto tinha obrigação de chegar a decisão da Superliga.

Chegou.

São Caetano não era um dos favoritos, mas tinha também a obrigação de chegar pelo menos entre os 4 primeiros colocados.

Chegou.

Mas as perguntas que ficam são as seguintes :

O São Caetano não poderia ter sonhado um pouco mais alto ?

Osasco está convencendo até agora na Superliga ?

São Caetano contratou mal. Trouxe 3 talentos inquestionáveis, casos de Mari, Sheilla e Fofão. Mas só.

Ninguém ganha título sem banco, sem estrutura e também sem jogadoras de meio.

Respeito Edna e Andréa que fizeram o que poderiam e jogaram no limite, mas se comparadas as meios de Osasco e Rio existe uma diferença enorme. E que diferença. Não existe termos de comparação.

Rizzola durou pouco e Chicão não pode e nem deve ser considerado culpado.

São Caetano precisa se organizar mais para próxima temporada, contratar melhor e deixar que o técnico monte a equipe.

Seria o primeiro passo.

Falar sobre a vitória do Osasco seria simples. A diferença no jogo teria sido a presença de Paula Pequeno desde o início.

Repito o que disse e acho que Paula está muito longe das suas condições físicas ideais, mas sua importância para o grupo é fundamental e lógico, causa uma preocupação gigante no adversário.

Mas só estar em quadra não basta. É pouco para ela. A própria Paula sabe o que estou escrevendo. Talvez Paula, bem orientada, tenha se guardado mesmo para a final.

Paula é querida entre as jogadoras, tem o respeito do banco, se dá muito bem com a comissão técnica e não os deixaria na mão nessa hora.

Nada mais justo e coerente.

E sabe do que mais ?

Paula tem mesmo que jogar.

Quantas vezes jogadores atuaram com dor, contusão e tudo mais ?

Muitas vezes.

Mas esse sacrifício só é válido quando se tem sentimento de grupo, parceria e respeito interno.

Aí sim, vale a pena superar a dor.

Só Paula deve saber a pressão que está sofrendo para ajudar o "amigo" Luizomar de Moura na conquista do tão sonhado título.

Mas ela está agindo corretamente.

Mesmo insegura no joelho, melhor sempre ir deitar sabendo que fizemos o melhor pela gente e pelo grupo.

É mais fácil dormir ... 

 

         

Por Bruno Voloch às 17h13

Perugia derrota o favorito Bergamo nas quartas de final do campeonato italiano

Zebra na primeira rodada das quartas de final do campeonato italiano feminino.

O Perugia, jogando em casa, derrotou o Bergamo por 3 sets a 1.

O Perugia ficou apenas com a sétima colocação na fase de classificação, enquanto o Bergamo, atual campeão europeu, ficou em segundo lugar.

A partida marcou a estréia do técnico Emanuele Sbano, que entrou no lugar de Giovani Caprara.

Nos demais resultados, o Arsizio de Fernandinha perdeu de 3 a 2 para o Jesi e o Novara jogando em casa derrotou o Sassuolo por 3 a 2.

O Pesaro de Zé Roberto já havia vencido o Castellana por 3 a 0.  

Por Bruno Voloch às 11h07

Para quem não lembra, hoje tem disputa de terceiro lugar.

O que representa a disputa do terceiro lugar ?

Hoje São Caetano e Brusque decidem quem fica com a terceira e gloriosa colocação.

Minha opinião é que a gente mal lembra do vice campeão, que dirá do terceiro colocado, com o devido respeito.

Pois é.

Conversando com meu amigo e comentarista Cacá Bizzocchi o problema é a cultura do vôlei brasileiro.

Ns competições internacionais, segundo Cacá, o Brasil sempre soube valorizar qualquer medalha, mas internamente o raciocínio é diferente.

Para Cacá, ser terceiro no mundo é um orgulho, enquanto ser terceiro no Brasil é uma vergonha. A cultura na opinião dele precisa ser revista e as equipes , treinadores e jogadores se acostumarem com a idéia da disputa do terceiro lugar.

Até porque, a idéia de se ter apenas um jogo na final, é justamente para acostumar nossos atletas a jogar partidas decisivas e eliminatórias como acontecem nas competições internacionais com a seleção.

Dessa maneira, se espera que o Bronze possa ser valorizado um dia.

Respeito demais a opinião de Cacá, mas tenho minhas dúvidas se realmente existe motivação para esses jogos.

Lógico, que todos são profissionais, precisam jogar, treinar e entrar em quadra, mas é dura a tarefa do treinador nessa hora.

O cara precisa ser mágico.      

Por Bruno Voloch às 10h57

Dínamo de Dante derrota Odintsovo de Giba

Tudo empatado nas semifinais do Campeonato Russo.

O Dínamo de Moscou empatou o playoff com o Iskra Odintsovo ao vencer por 3 sets a 1, parciais de 17-25, 28-26, 25-21 e 25-15.

O ponta brasileiro Dante fez 9 pontos, porém o destaque do Dínamo foi o oposto Poltavsky, com 21 acertos. 

Pelo Iskra, novamente o alemão Schops foi o maior pontuador. Giba teve atuação regular com dez pontos.

No outro confronto, o Fakel Novyi Urengoi bateu o Zenit Kazan, dos americanos Ball e Stanley,  por 3 a 0, deixando tudo igual na série.

O terceiro jogo das duas semifinais serão no Sábado.

Por Bruno Voloch às 10h41

14/04/2009

Pesaro abre as quartas de final com vitória tranquila

O Pesaro de José Roberto Guimarães começou bem a fase de quartas de final da Liga Italiana.

Mesmo jogando fora de casa, o time derrotou o Castellana Grotte da brasileira Soninha por 3 sets a 0.

A quartas são disputadas na Itália em melhor de três partidas. As semifinais e a final serão disputadas em melhor de cinco jogos.

Nesta Quarta Feira , serão jogadas as outras três partidas das quartas : Jesi contra Busto Arsizio; Sassuolo e Novara; e Perugia contra o Bergamo. 

Os jogos de volta acontecem na Sexta Feira dia 17.

Na vitória de hoje do Pesaro, a maior pontuadora e MVP do duelo foi a ponteira Costagrande com 15 pontos.

A brasileira Jaqueline e Skowrosnka fizeram 13 pontos cada uma.

Por Bruno Voloch às 17h41

Giovani Caprara é demitido na Itália

De forma surpreendente, o Perugia anunciou hoje a saída do técnico Giovani Caprara, que dirigiu a seleção feminina da Rússia na última Olimpíada.

Segundo a nota oficial do clube, a demissão aconteceu por justa causa e não está diretamente ligada aos resultados obtidos nos jogos. 

Nas quartas de final o Perugia enfrentará o Bergamo e será comandado por Franceco Fogu.

Por Bruno Voloch às 17h34

Iskra faz 1 a 0 no Dínamo Moscou

Emoção não faltou no primeiro jogo da semifinal entre Iskra Odintsovo e Dínamo de Moscou.

O Iskra de Giba derrotou o Dínamo de Dante por 3 sets a 2, parciais de 18-25, 25-23, 24-26, 25-20 e 15-12.

O destaque do Iskra foi o alemão Schops, com 22 pontos. Giba esteve apenas regular com apenas seis.

Pelo lado do Dínamo, Dante também fez 22 e o russo Poltavsky, oposto do time, 25.

O segundo jogo da série em melhor de cinco da semi do Campeonato Russo já acontece nesta Terça.

Na outra semifinal, o Zenit Kazan derrotou o Fakel Urengoi também por 3 a 2. O americano Stanley fez 20 pontos.

Por Bruno Voloch às 17h31

Vitória com dedo de Mauro Grasso

E a camisa jogou. A camisa, a tradição e também a torcida.

O Minas ganhou com autoridade de time que vai brigar pelo titulo.

O Minas mostrou neste confronto, além da técnica habitual, muita superação e equlibrio emocional.

Saiu várias vezes de situações complicadas no placar e conseguiu reverter como na segunda partida que venceu de virada por 3 a 2.

Gente, assim como no futebol, no vôlei a camisa também joga e faz diferença.

O Cruzeiro poderia ter chegado a decisão mas falhou nos momentos em que não poderia falhar. Teve a oportunidade na segunda partida e deixou escapar, assim como já havia feito Brusque no feminino contra o Rio.

Quando se joga em alto nivel contra grandes equipes e se tem a possibilidade de matar o jogo, é preciso matar, caso contrário você morre.

Não digo que tenha faltado malandragem ao time do Cruzeiro, pois no time jogam alguns caras já bem "rodados". Essa justificativa não cola.

Mas o Minas tem realmente algo diferente quando chega numa reta final de Superliga. E os adversários sentem essa pressão.

O Minas joga de forma mais competitiva, agressiva e busca forças da onde menos se espera quando está em dificuldades. Foi novamente assim.

Já tinha sido no segundo jogo e também no terceiro set da partida da última Segunda Feira.

Mauro Grasso possui o time nas mãos e conhece as características de seus jogadores.

Mudou o time com rara inteligência ao colocar o levantador Daniel no lugar de Rafa.

Ele foi fundamental para a vitoria, isso sem falar na regularidade de Maurício na ponta e Henrique no meio.

O Cruzeiro foi eliminado mas deixa a Superliga com a certeza do dever cumprido. Fica a lição de que é preciso ter regularidade na hora de decidir e talvez acreditar um pouco mais no que o time pode conseguir. 

A segunda partida e o terceiro set do terceiro jogo ficarão na memória dos jogadores e da comissão por um bom tempo. 

Parabéns ao treinador Talmo, diretoria e todos os jogadores.

E lá vem o Minas ... 

 

 

Por Bruno Voloch às 17h22

Deu Cimed e deu Thiago Alves ...

Não posso e nem vou deixar de comentar a classificação do time da Cimed para mais uma decisão de Superliga. A quarta seguida.

Sinceramente apostava que a Cimed faria 2 a 0 no São Bernardo. Para mniha surpresa e de muita gente a série foi equilibrada e acabou 2 a 1.

Tecnicamente o time da Cimed é bem melhor que São Bernardo, mas a equipe paulista conseguiu equilibrar essa série de forma impressionante.

A Cimed atuou na terceira partida com muita autoridade, taticamente jogou certo e a perda de Filipe no início do jogo foi fatal para São Bernardo.

Não dá para dizer e afirmar que se Filipe jogasse o resultado seria outro, mas é inegável a importância desse jogador no esquema tático do técnico Rubinho. Nesse caso a Cimed saiu ganhando literalmente.

Não foi um jogo bonito tecnicamente, mas dava para ver na cara de cada jogador da Cimed que a vitória não escaparia.  

O treinador Marcos Pacheco disse que seria uma tremenda injustiça se a Cimed ficasse de fora.

Injustiça ?

Gente o esporte não é assim. A fase decisiva da Superliga nos permite ou permitia ver o oitavo colocado ganhar do primeiro. Já aconteceu na Itália.

Portanto não seria nada anormal ver São Bernardo na decisão, mas admito e nem poderia ser diferente que a Cimed fez por onde e mereceu chegar na final.

Sem Filipe, Bob ficou muito marcado e virou as bolas que conseguiu. Não dava para fazer mais, porque as vezes Bob bateu com bloqueio triplo.

Bob foi de fato e de direito o mais efetivo atacante do São Bernardo em quadra.

Não concordo com aqueles que elegeram Renato o melhor em quadra. Nada contra, ele foi até bem, mas teve gente que jogou mais.

Caso específico de Thiago Alves. Colocou no chão as principais bolas e era a referência em quadra.

O espírito do levantador Bruno também foi determinante e contagiante. Impressionou a maneira como Bruno comemorava cada ponto. O levantador já fez partidas melhores, mas nesse jogo deixou muitas vezes a técnica de lado e preferiu contagiar o time. E fez bem, com maestria.    

Destaco ainda a coragem e a técnica dos jogadores de São Bernardo, especialmente Marlon e Serginho, tirando Bob que já citei.

Se o time tivesse mais um ponteiro de força o destino do time poderia ser outro. Mas o SE não joga e nem entra em quadra.

A Cimed, dona da melhor campanha na fase de classifcação, perdeu quando poderia e venceu quando necessitava. 

Por Bruno Voloch às 17h10

12/04/2009

Giba x Dante na Rússia

Dante x Giba. Dínamo Moscou x Iskra Odintsovo.

Essa será uma das semifinais do Campeonato Russo. A primeira partida da série será nesta Segunda Feira em Moscou. O Dínamo eliminou o Ural Ufa nas quartas de final.

O segundo jogo da série será também na capital russa na Terça dia 14 e se necessário o terceiro jogo no Sábado dia 18.

Por Bruno Voloch às 19h54

Paula Pequeno não deveria ter jogado

Não se discute a vitória do São Caetano. Ganhou com méritos e quando precisava.

O que se discute é se realmente Paula Pequeno tinha condição de voltar ao time do Osasco.

Com o devido respeito que tenho pela comissão técnica e pela jogadora, acho sinceramente que Paula não tinha condição de jogar essa partida.

Aliás nem essa e nem a próxima.

Paula está mal fisicamente, sentindo nitidamente o joelho e insegura nos movimentos.    

Não discuto suas qualidades técnicas e nem seria capaz disso. Mas acho que Paula sabe também no íntimo que não consegue jogar no mesmo ritmo de suas companheiras.

Ela está se poupando porque não quer ser operada devido a um problema na cartilagem do joelho. Paula tem sérias dificuldades de movimentar o joelho e tem medo que o joelho "trave" de vez , o que para ela seria fatal.

Mas nessa hora realmente pode ter falado mais alto o profissionalismo da jogadora. Amiga do treinador Luizomar de Moura, principal estrela, maior salário do time e melhor jogadora da última Olimpíada.

Como então ficar de fora ?  

É difícil. Difícil também para a comissão técnica que é pressionada pela torcida pata escalar Paula Pequeno.

Mas culpada também. A comissão técnica em nenhum momento divulgou alguma nota falando sobre a gravidade da contusão da jogadora, dando margem para as especulações.

Dúvidas que se encerraram quando Paula entrou no segundo set da partida de Domingo.

Paula não deveria ter jogado.  

Por Bruno Voloch às 19h06

Para quem duvidava, Mari finalmente apareceu.

Muita gente cobrava e reclamava durante a Superliga que Sao Caetano tinha montado uma equipe para ser campeão.

De fato montou, mas eu disse também que São Caetano poderia crescer na hora certa. 

Muita gente cobrava e reclamava durante a Superliga que Mari não estava jogando nada, muito abaixo do que rende na seleção ou jogava na Itália.

Defendi Mari, afirmando que muitas jogadoras demoram um certo período para se adapatar ao novo clube e que Mari de uma hora para a outra poderia "explodir".

Aliás, existem jogadoras que gostam mais de jogar as partidas decisivas. Mari é uma delas. Ela se sente mais à vontade e motivada. 

Estava na cara. E para que provocar ?

Aliás, tem gente que só joga assim ou pelo menos gosta deste "combustível" extra. 

Não culpo Thaísa pelo acontecimento, até porque trata-se de uma atleta exemplar com comportamente digno dentro e fora de quadra, apenas foi uma situação de jogo e que de fato acabou dando uma "injeção" em Mari no segundo set.

Aliás diga-se de passagem, não fosse Thaísa, a coisa poderia ser pior para Osasco.

Osasco só foi superior no ataque e olhe lá.

Nos demais fundamentos São Caetano foi bem melhor. Sacou mais, bloqueou muito melhor e errou menos.    

Decisão aberta, mas vitória muita merecida de São Caetano. 

E Mari finalmente apareceu ...   

Por Bruno Voloch às 18h48

Rio de Janeiro ganhou vaga na decisão no segundo jogo.

Aconteceu o que a gente já previa.

Brusque lutou, fez sua parte, mas a possibilidade de chegar a decisão escapou na segunda partida e não no terceiro jogo realizado no Sábado no Rio.

Não se pode e nem se deve culpar essa ou aquela jogadora, mas de fato faltou algo mais para que Brusque vencesse o Rio na segunda partida.

Foi fatal e decisivo ter aberto 2 a 0 e não ter ganho o segundo jogo. O vôlei não perdoa, ainda mais quando a chance é perdida pela equipe mais fraca tecnicamente.

O Rio ganhou moral e confiança e não teve a menor dificuldade na tarceira partida. Ganhou com sobras e como quis.

Bursque não foi nem sombra da equipe da vitória em Santa Catarina e dos dois primeiros sets no segundo jogo.

Jogou de igual para igual apenas o primeiro set. Depois parou e se entregou.

Sentiu demais a pressão e a derrota na segunda partida.

Fabíola jogou bem as duas primeiras partidas da semifinal. No terceiro jogo esteve mal.

Elisângela foi regular também até o terceiro set do segundo jogo.

Juciele, a revelação. Juliana Costa inconstante e a líbero Marcelinha muito nervosa.

De qualquer forma as jogadoras de Brusque estão de parabéns. Todas mostraram muito profissionalismo, pois não é fácil jogar uma semifinal de Superliga sabendo que o time não vai continuar na temporada seguinte.

Duro demais.

Só não entendi porque a comissão técnica levou as jogadoras de volta para Brusque após a segunda partida. O ideal seria se manter na cidade, no clima da partida e treinar no local do jogo. Desgaste desnecessário. Erro primário.

O Rio espera de camarote por São Caetano ou Osasco. Vai para a final com méritos e decide em casa mais uma vez por força do regulamento.

Se pudesse escolher, acho que por incrível que possa parecer, o Rio escolheria Osasco.    

Por Bruno Voloch às 18h26

Definidos os confrontos das quartas de final da Liga Italiana

É do Castellana Grotte a oitava e última vaga dos playoffs do campeonato italiano.

O time derrotou o rebaixado Chieri por 3 a 1 com destaque para a americana Danielle Scott que fez 22 pontos.

O Castellana foi ainda beneficiado pela derrota do Conegliano para o Novara por 3 sets a 1.

Com 14 pontos de Jaqueline, o líder Pesaro venceu o Perugia por 3 a 0 e encerrou a fase de classificação como líder.

O Arsizio, da levantadora Fernandinha, garantiu o quarto lugar ao vencer o Jesi no confronto direto.

Os duelos das quartas-de-final serão os seguintes:

Pesaro x Castellana Grotte
Busto Arsizio x Jesi
Novara x Sassuolo
Bergamo x Perugia

Por Bruno Voloch às 18h10

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.