Blog do Bruno Voloch

25/06/2009

Aguero está de volta ao vôlei italiano

Taismary Aguero, uma das principais jogadora do mundo na atualidade, está voltando ao vôlei da Itália.   

Aguero vai jogar no Villa Cortese, que subiu esse ano para a série A1.

A jogadora estava jogando no Ankara da Turquia.

O Villa Cortese já havia acertado com a levantadora norte-americana Lindsey Berg, com a central Anzanello e a a líbero da seleção Paola Cardullo.

Por Bruno Voloch às 18h46

23/06/2009

Estado de Minas ganha nova equipe de vôlei masculino

O estado de Minas vai ganhar mais uma equipe na Superliga Masculina. 

A cidade de Montes Claros através da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Educacional (FUNADEM), vai montar uma equipe.

Felipe Oliveira, Presidente da Fundação, liberou a verba necessária para as contratações. 

O ponta Ezinho (ex-Vivo/Minas), o também atacante Piá (ex-Sada Cruzeiro)e o central Acácio (ex-Santander) estão certos no novo time.

O levantador deverá ser Rodriguinho que estava no Pineto da Itália.

Para dirigir a equipe do norte de Minas, foi contratado o técnico argentino Marcelo Mendez, que comandou a seleção espanhola masculina até o fim do ano passado.

A apresentação da equipe está marcada para o dia 1º de Julho. 

Para sediar treinos e jogos, o ginásio Poliesportivo Tancredo Neves, um dos maiores de Minas com capacidade para 12 mil pessoas, vai passar por uma reforma completa que começará nos próximos dias.

.

Por Bruno Voloch às 15h47

Macerata faz duras ameaças ao jogador Murilo

A situação do jogador Murilo deve ser resolvida nas próximas horas.
O jogador deixou claro recentemente que deseja seguir o mesmo caminho de Giba, Rodrigão, Marcelinho, entre outros e voltar a atuar no vôlei brasileiro.
Acontece que Murilo assinou contrato com o Macerata da Itália.
Murilo estaria descontente porque sua futura mulher, a jogadora Jaqueline da seleção, está acertando com o Osasco.
Eles se casam esse ano e vão morar em Florianópolis, por isso Murilo pediu ao Macerata para cancelar o contrato.
Mas a situação não é fácil. Os dirigentes do Macerata declararam ao jornal "Il Messaggero que pretendem fazer Murilo cumprir o que assinou:
"O pedido de Murilo foi influenciado, sem dúvida alguma, pela decisão de Jaqueline voltar para o Brasil. Temos um contrato assinado pelo jogador que exigiremos que seja cumprido e, se necessário, apelaremos aos meios competentes", falou Stefano Recine , diretor esportivo da equipe. 
Stefano foi além :
"Como clube estamos enraivecidos com o comportamento de Murilo e de seu procurador. Montamos um grande time com o Swiderski, Cisolla e Paparoni e queremos contar com o Murilo". 
Para ajudar na repatriação de Murilo, o presidente da  CBV, Ary Graça, teria entrado no circuito.

Segundo o site italiano "Volleyball.it", outro que está negociando sua volta para o Brasil é o central Sidão, que ainda tem contrato em vigência com o Modena.

Por Bruno Voloch às 14h07

Pinheiros corre riscos com projeto grandioso

Muita gente me pergunta aqui no blog o que achei do time do Pinheiros.

Como jornalista e amante do vôlei, contente, mas as coisas não são tão simples assim.

É claro que trata-se de um projeto de grande porte, alto nível, e segundo os envolvidos com a garantia de 3 anos de contrato.

Esse é o primeiro ponto.

Espero mesmo que os envolvidos estejam certos.

Mas a história do vôlei nos mostra alguns projetos nascerem dessa forma, que tinham ao menos 3 anos de vida, mas que em função de resultados morreram no primeiro aniversário. E tinha gente muito séria e competente envolvida como José Roberto Guimarães.

Na euforia da apresentação tudo é festa e alegria. 

Mas os 3 anos estarão diretamente ligados aos resultados e não tem como fugir dessa realidade. 

Resultados dentro e fora de quadra. Resultados de jogo e resultados de marketing, leia-se retorno de mídia.

Claro que os investidores querem o título. Ninguém entra para "apenas disputar" o campeonato.

Isso é conversa.

Para o investimento feito, o que está sendo gasto e a estrutura que será entregue, talvez os dirigentes tenham mesmo razão.

Mas na teoria é uma coisa, na prática é completamente diferente.

Quantos times brilhantes no papel, ficaram no papel ?

No próprio Pinheiros nos anos 90 no feminino que montou um timaço com a russa Irina Kirilova de levantadora e ficou no papel.

É preciso haver sincronia, comprometimento, profissionalismo, felicidade e pensar grande.

Na coletiva de apresentação a gente viu um discurso ensaiado de todos. De Giba à Cebola, passando por Gustavo, Marcelo e Rodrigão.

Sincronia. Cebola precisa ter empatia com todos os jogadores e vice-versa.

Comprometimento. É preciso ter compromisso com o projeto. Cumprir as obrigações sem privilégios. É óbvio que a carga de treinamento de Giba não pode e nem deve ser a mesma de um garoto de 17 anos. Mas o exemplo precisa vir de cima.  

Profissionalismo. Cebola não pode abrir mão do profissionalismo e exigir de Giba , Gustavo, Marcelo e Rodrigão, o mesmo que irá exigir de um juvenil, sem privilégios. Eles precisam ser o "espelho" dos mais jovens.

Felicidade. Como Cebola bem disse e detectou com propriedade, alguns precisam recuperar a alegria de jogar vôlei, caso específico de Marcelinho.

O pensar grande é saber que o Pinheiros apenas "emprestou" a casa e o nome.

É um clube de tradição, respeitado em todos os sentidos, mas que terá uma participação mínima no projeto.

Não bancará os custos e raramente irá sediar os jogos.

Terá como "lucro" o investimento interno de garotos procurando o esporte para particar.

Jogar as partidas oficias, apenas e tão somente no Ibirapuera.

Não se pode "jogar" para mil pessoas. Um time com tantas estrelas merece uma casa do tamanho no mínimo do Ibirapuera                  

 

Por Bruno Voloch às 11h54

Cebola acerta em cheio na primeira declaração

Favorito ?

Boa pergunta.

Não dá para fugir da responsabilidade, mas o novo time do Pinheiros não é o favorito ao título da Superliga 2009/2010.

Concordo plenamente com o que disse o técnico Cebola.

Existem outras equipes tão credenciadas quanto o Pinheiros.

A Cimed, por exemplo, está na frente de todos os outros times.

Tem entrosamento e isso conta muito.

Tem um belo time, não perdeu a base com Bruno, Thiago Alves e os centrais Lucão e Éder e ainda se reforçou com Bob.

Como menosprezar a tradição do Minas ?

Time de camisa. que Cebola conhece tão bem, e assim como a Cimed manteve os principais jogadores.

André Nascimento, que ainda faz parte da seleção, o habilidoso Maurício, Henrique e André Heller, que de uma hora para a outra passou a ser "descartável " em termos de seleção brasileira.

Minuzzi chega e certamente será muito útil. A mudança de comando veio em boa hora com a chegada de Marcos Miranda.

Acho apenas que o Minas deveria ter trazido um levantador de mais "peso" com todo o respeito a Rafa.

Não dá e nem poderia esquecer o time de Sada/Cruzeiro. Talmo montou uma vez mais um ótimo time, melhor do que na temporada passada.

Samuel, se estiver inteiro, será destaque. Renato Felizardo no meio irá contribuir demais, isso sem falar do sempre regular Léo Mineiro.

Wallace que veio de Araçatuba e Bruno Zanutto devem fazer sucesso.

Portanto, o Pinheiros terá muito trabalho para ser campeão.

 

Por Bruno Voloch às 11h10

22/06/2009

Argentina volta a vencer o Brasil no infanto

Está virando rotina. Pelo menos nas categorias de base.

A seleção brasileira infanto-juvenil masculina de Percy Oncken perdeu novamente para a Argentina. Foi a segunda derrota seguida.

Jogando em Chapecó (SC), a seleção perdeu por 3 sets a 2 . Na útlima Sexta, o Brasil caiu por 3 a 0. 

A Argentina é a atual campeã sul-americana da categoria.

Os amistosos fazem parte da preparação das duas equipes para o Campeonato Mundial da categoria, que será realizado na Itália, entre os dias 28 de agosto e 6 de setembro.

O Brasil é o país que mais vezes venceu a competição, com seis conquistas (89, 91, 93, 95, 01, 03).

No próximo dia 5 de julho a equipe embarcará para a Europa, onde fará uma série de jogos amistosos contra Rússia, Polônia e Itália.

Os russos e os poloneses serão dois dos três adversários do Brasil no grupo D do Mundial, que ainda conta com a Índia.

Vale lembrar que o Brasil revelou vários jogadores nessa categoria como Marcelo Negrão (1989), Nalbert (91), Giba (93), Renato Felizardo (95), Samuel (2001) e Thiago Alves (2003).

Por Bruno Voloch às 10h03

Mercado segue agitado na Itália

O mercado brasileiro segue movimentado e o mesmo se pode dizer das contratações e renovações na Itália. 

Bergamo renovou com a experiente levantadora Eleonora Lo Bianco, que vai para sua quinta temporada como titular.

Lo Bianco está com 29 anos e concentrada com sua seleção para a temporada 2009.

Na equipe do Asystel Novara, a central Paola Paggi renovou também seu contrato com a equipe e será a capitã da equipe.

Aos 32 anos, Paggi vai jogar pelo terceiro ano seguido no Novara.  

Paggi terá como companheira no meio de rede do Novara para a temporada 2009/2010, a central Jenny Barazza que veio do Bergamo e que também se encontra concentrada com a seleção italiana. 

No masculino o Perugia fechou com o ponta Cernic, que defendeu o Taranto na última temporada.

Já o Vibo Valentia encontrou um substituto para o brasileiro Rapha: é o cubano Gonzalez, ex-Cuneo.

O Macerata terá Cisolla ex-Treviso. 

O opsosto brasileiro Xanxa, melhor jogador da Espanha nesta temporada, está deixando o CAI Teruel para jogar na Itália. Ele defenderá o Sora na Série A2.

Por Bruno Voloch às 09h57

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.