Blog do Bruno Voloch

25/07/2009

Se for aplicado, Brasil vai fazer 3 a 0 no Peru na decisão

Aconteceu.

Era de fato o que todo mundo esperava.

O Brasil classificado para o mundial do Japão com tranquilidade.

Neste Domingo temos a final contra o Peru.

Se a seleção jogar com a mesma seriedade da partida contra a Venezeula, dá 3 a 0.

Por mais que a seleção peruana tenha evoluido e evolui de verdade, o Brasil precisa jogar muito mal, errar demais, para perder um set que seja.

O jogo da última sexta, deve ter servido para alguma coisa.

Os números dessa geração de Zé Roberto são impressionantes.

A seleção segue com uma média impressionante de conquistas e vitórias desde o ano passado.

Ganhamos o Grand Prix em 2008 e em seguida o Ouro na Olimpíada de Pequim.

Em 2009, o Brasil conquistou Montreux Volley Masters, na Suíça, e também a Copa Pan-Americana, em Miami, nos Estados Unidos.

Verdade seja dita, nenuhm dos 4 torneios mencionados podem ser comparados com esse classificatório de nível fraco e com adversários de qualidade técnica indiscutíveis.

Mas até aí fizemos a nossa parte e o regulamento é esse mesmo.

Duas seleções da América do Sul se classificam para o mundial e em algum momento teríamos que jogar contra nossos concorrentes de continente.

Hora de botar mais um título na galeria.

Não tenho dúvidas que faremos um belo mundial, mas isso é conversa para se ter muito mais na frente.

Dentro da nossa filosofia no blog, quem você acha que foi a melhor jogadora do Brasil no torneio ?

Responda e amanhã, após o jogo divulgo a mais votada.

Pelo que vi até agora , Mari e Thaísa são as favoritas.

Mas não quero e não vou interferir na sua resposta, meu caro leitor.

E nem tente se basear pelas estatísticas do classificatório, porque muitas das vezes nem sempre vale o que está escrito.

    
  

Por Bruno Voloch às 21h25

Brasil jogou como a "Rússia" para disputar a décima final de Liga

Foi a partida.

Voltemos no tempo.

Jogamos como eles jogavam.

O Brasil de hoje foi a Rússia de ontem.

Sacando forte, imprimindo um ritmo de jogo no ataque fortíssimo e com bloqueio altamento ofensivo.

Fomos o Brasil também.

O passe com Murilo e Escadinha, principalmente, deu volume de jogo a seleção e tranquilidade ao levantador Bruno.

Nem deu para sentir a ausência de Rodrigão porque o ataque da Rússia foi improdutivo. 

Sinceramente não dá para destacar apenas um  jogador.

O Brasil foi um todo. O Brasil foi coletivo.

Errou pouco.

Giba foi o maior pontuador contra uma seleção e jogadores que ele conhece como poucos.

Ele gosta desses momentos. 

Leandro voltou a ser o Leandro da vitória contra Cuba e não o jogador da partida contra a Argentina. 

Como disse ontem apostava na Sérvia e deu Sérvia.

Em casa eles não perderiam a chance de jogar a decisão.

Em cada eles querem agora vingar a derrota de anos atrás para esse mesmo Brasil.

E podem.

O jogo é duro e sem favoritos.

O Brasil entra aliviado porque diante de tanta "gente fraca" tínhamos mesmo que chegar a decisão.

Era obrigação e fizemos nossa parte.

Só que agora a responsabilidade está dividida.

Porque jogando em casa, com o apoio de 12 mil pessoas,  a Sérvia entra também pressionada também pelo título.

 

 

Por Bruno Voloch às 18h17

Nas estatísticas, República Dominicana mostra que evolução não foi por acaso

O vôlei da República Dominicana está mesmo em franca evolução.

A passagem para a decisão com a Alemanha,  já é o melhor resultado da República Dominicana na história do Campeonato Mundial juvenil.

Em cinco edições, a equipe ficou por quatro vezes na nona colocação e em 2007 ficou apenas com o 11º lugar

Como se não bastasse a maior pontuadora do mundial juvenil é Rodrigues com 133 pontos em 7 partidas.

Após a derrota na semifinal, a brasileira Isadora que era considerada a melhor atacante do mundial, foi superada pela jogadora Ting Chen da China Taipei.

 

Por Bruno Voloch às 13h07

República Dominicana se vinga e tira o Brasil da decisão do mundial juvenil

O sonho acabou no México.

A seleção brasileira perdeu para a República Dominicana no mundial juvenil feminino e vai disputar a medalha de bronze.

As duas seleções já haviam se enfrentado na fase de classificação com vitória do Brasil por 3 sets a 2.

Dessa vez a história foi diferente.

Valendo vaga na final, a República Dominicana fez 3 sets a 1 com parciais de 21/25, 25/27, 25/23 e 15/25 em quase duas horas de jogo.

Com o resultado negativo o Brasil perdeu a possibilidade de conquistar o heptacampeonato.

O juvenil foi campeão em 1987, 1989, 2001, 2003, 2005 e 2007.

A Alemanha, única seleção invicta, venceu a Bulgária por 3 a 0 e está na decisão.

Brasil e Bulgária vão disputar a medalha de bronze.

 

Por Bruno Voloch às 12h53

Quem será a maior pontuadora de Brasil e Venezuela ?

Neste Sábado o Brasil garante vaga para o mundial de 2010.

Vamos derrotar a Venezuela por 3 a 0 e carimbar o passaporte para o Japão.

Calma.

Não sou "mãe Diná", nem pretendo, mas estou nessa faz algum tempo.

20 anos mais precisamente.

E não me engano assim tão facilmente.

Meninas, por favor, vocês não vão me decepcionar.

Olha a "responsabilidade".

3 a 0 é o "mínimo".

Então, me perdoe os venezuelanos, para manter prestigiada essa partida semifinal pergunto para você blogueiro. 

Quem será a maior pontuadora em mais uma vitória brasileira ?

Mari, Sheilla, Sassá, Thaisa ou Fabiana ?

Responda aqui no Blog.

É uma maneira interessante de ver a partida de outra maneira, até porque técnica e taticamente não teremos assunto depois.

Aliás, nem antes temos o que falar de Brasil e Venezuela, que dirá depois.

E mais.

Diga quantos pontos você acha que a Venezuela vai fazer no máximo em 3 sets.

O jogo passa de uma hora de duração ?

Sim ou não.

São 3 questões e conto com vocês aqui no Blog.     

Por Bruno Voloch às 23h46

Finalmente um jogo para a seleção feminina

Deu jogo.

Finalmente consegui ver algo interessante no Brasil e Peru do classificatório feminino.

Sabe porque deu jogo ?

Primeiro porque Zé Roberto ajudou.

Manteve o time mais tempo junto em quadra.

O Peru soube valorizar a vitória do Brasil e jogou bem o segundo set.

Valeu porque assisto com prazer a cada exibição de Mari.

18 pontos no Peru, para quem já fez mais de 30 em uma semifinal olímpica, é pouco.

Mas no caso dela e das circunstâncias foi muito bom.

Aliás ela foi quem mais bloqueou. 4 pontos.

Vi também Fabiana reaparecendo para o jogo.       

Vi também uma tal de Patrícia Soto no time do Peru.

Boa jogadora, corajosa que vai para dentro sem medo.

Não vi um jogo de alto nível.

Mas assisti um jogo.

E para quem pensava em só ver "treinos de luxo", fiquei feliz.

Salve o Peru.

E que venha a "poderosa" Venezuela.

Com o espírito do jogo contra as peruanas, vai dar prazer ver até o "treino" deste Sábado que vai nos colocar no mundial do Japão. 

      

Por Bruno Voloch às 23h30

Brasil precisa fazer a final da Liga Mundial

Finalmente a seleção masculina pode respirar.

Mas por pouco tempo.

Por poucas horas.

O fracasso na Liga do ano passado e a medalha de prata conquistada em Pequim não foram resultados bem digeridos até hoje no íntimo pela comissão técnica e alguns atletas.

Alguns deles nem na Sérvia estão.

Mas a classificação para a semifinal da Liga era questão de obrigação.

E ela veio, com muita tranquilidade.

Sinceramente não sei quais eram os motivos de tanta preocupação.

Se o Brasil jogasse no outro grupo com Rússia e Estados Unidos, talvez a gente pudesse cogitar a hipótese de não chegar entre os quatro primeiros.

Mas contra Cuba e Argentina ?

Não, sem chance.

E foi como aconteceu.

Não fomos brilhantes em nenhum dois dois jogos.

Não fomos exigidos também, tirando um set contra Cuba.

Tivemos nossos méritos também, óbvio.

Mas fica claro que o levantador Bruno estava correto em seu pensamento.

O Brasil tinha e sempre terá a obrigação de chegar nas finais onde quer que esteja jogando.

E está sendo assim.

O jogo contra a Rússia deve testar um pouco essa seleção.

Deve servir talvez como parâmetro até onde esse grupo pode chegar.

Um vitória coloca o Brasil na decisão contra a Sérvia.

Sérvia , sim.

Existe o jogo contra Cuba, vão dizer os leitores.

Sim, mas você tem alguma dúvida que a Sérvia vai jogar a decisão ?

Eu não.

Seria uma surpresa enorme. 

Uma derrota contra a Rússia, coloca o Brasil de volta na disputa do Bronze e o risco de ficar com o mesmo resultado de 2008.

A Rússia é uma eterna incógnita.

Se for bem no saque e no bloqueio complica para qualquer seleção do mundo. 

Mas é uma seleção eternamente atrás do condicionamento físico ideal e muita inconstante nos momentos de decisão.  

Mikhaylov e Berezhko no ataque.

Kuleshov no bloqueio.

Sivozhelez no saque.

O Brasil precisa ter atenção especial com esses quatro jogadores. 

Por Bruno Voloch às 23h18

24/07/2009

"Fantasma" americano deixa Brasil aliviado

Que alívio.

Assim devem estar pensando jogadores e a comissão técnica do Brasil.

Os Estados Unidos estão fora.

Eliminados.

Que alívio.

Mesmo jogando um vôlei de nível técnico sofrível, os americanos gostam de jogar contra o Brasil.

O jogo para eles é sempre bom.

Para nós, nem sempre. 

Que alívio.

Dessa vez eles não nos pegam.

Voltaram mais cedo para cada com duas derrotas de 3 a 0 para Sérvia e Rússia.

O fantasma americano foi embora.

Mas e agora ?

Jogar contra a Rússia ?

Tradicional adversário, time grande, ataques potentes e que são sempre imprevisíveis.

Ou a Sérvia ?

Time da casa e que me parece inferior no aspecto técnico.

Mas tem Miljkovic, que quando resolver jogar ...

Difícil escolha.

Aliás, ainda não podemos escolher.

Eles estão garantidos na semifinal.

A Rússia e a Sérvia estão lá.

Nós ainda temos que vencer a Argentina.

     

Por Bruno Voloch às 01h51

Thiago foi a surpresa, mas Vissoto se firma cada vez mais como titular

Razoável.

Assim posso definir o jogo do Brasil contra Cuba.

Por se tratar de uma estréia na fase final, a gente pode aliviar a barra de muita gente.

O fundamento saque funcionou o que facilitou a vitória do Brasil.

Mérito nosso.

Afinal, não é toda seleção que faz 12 pontos de saque num jogo.

Cuba não sabe, aliás ao longo da história, sempre teve muita dificuldade em passar.

Por esse "simples" motivo, o Brasil se destacou também no bloqueio.

17 pontos de bloqueio num jogo desse é de fato uma marca impressionante.

O que dizer de Thiago Alves então ?

Moral para substituir Giba.

Confiança para sacar.

Ele jogou pouco mais de um set, fez 10 pontos, sendo seis em aces.

Bernardinho foi inteligente.

Aproveitou o entrosamento de Thiago e Bruno, que jogam juntos na Cimed. 

Mas sejamos justos.

Vamos esquecer por um momento essa euforia de Thiago Alves. 

Não dá para discutir, ainda.

Leandro Vissoto segue sendo o "nome" desse "novo" Brasil.

Regular, firme, e corajoso.

Veio para ficar.

Bernardinho que se vire.

Aliás, ele deve estar adorando.

Vissoto marcou 17 pontos.  

 

   

Por Bruno Voloch às 01h41

Perder um set para a equipe reserva da Argentina, com o devido respeito, não pode ser normal

Perdemos.

E como explicar ?

Perdemos um set para o time da Argentina.

Incrível.

Aconteceu, de verdade.

Lógico, para muitos , especialmente os integrantes da comissão técnica da atual seleção feminina, pode parecer um exagero, mas não é.

Eles sabem do que estou falando e me referindo.

E a Argentina com o time reserva.

Será que os tempos estão mudando ?

Não é possível.

Zé tem razão até a página 2.

Não é de fato a pior coisa do mundo perder um set para a Argentina.

Pior seria perder dois sets.

Porque não se comportar como fizemos no segundo, terceiro e quarto sets ?

De bom mesmo, fico com Thaísa novamente.

23 pontos em 4 sets.

 

  

Por Bruno Voloch às 01h22

23/07/2009

O pai e o filho pensam diferentes

Bernardinho e Bruno.

Pai e filho.

Uma relação de sucesso em tão pouco tempo na seleção brasileira.

Me impressiona a cada dia a personalidade desse jogador.

Começou a jogar com esse "peso" nas costas, que nunca irá tirar, mas aos poucos foi mostrando seu talento natural e ocupando seu espaço com naturalidade e merecimento.

Gostei da declaração do atleta antes de começar as finais da Liga, hoje para o Brasil, contra Cuba.

Enquanto Bernardinho diz que o Brasil não é o favorito porque as outras seleções tiveram grupos mais equilibrados na fase anterior e muitas delas mantiveram uma base maior que a do Brasil, Bruno pensa diferente.

O levantador da seleção diz : "Essa nova geração está sendo rotulada como favorita pelos resultados de outros anos e pela campanha na primeira fase. Isso é normal. Temos que encarar com naturalidade. Vai ser sempre assim."

E vai mesmo, ele está certo.

Mas o Brasil construiu essa história com méritos e não pode fugir da responsabilidade.

Nem deve.

Virou como futebol.

Onde entra, quando disputa qualquer competição, seja Copa do Mundo, eliminatórias ou os torneios caça- níqueis, o Brasil é favorito.

Favorito e cobrado.

Cobrado porque temos estrutura e material humano para tal.

Nenhuma seleção no mundo tem tantas peças de reposição como o Brasil.

Leia-se renovação.

Parabéns Bruno, pela coragem e firmeza nas declarações. 

Por Bruno Voloch às 09h27

Ótimo treino contra a Venezuela

Seriedade.

Foi com essa postura que a seleção feminina encarou a estréia no classificatório para o mundial do Japão em 2010.

Era de fato o que o Brasil precisava no "treino" contra a Venezuela.

Fomos uma equipe concentrada do início ao final da "atividade", sem menosprezar o adversário e respeitando os torcedores que comparaceram ao ginásio.

13 pontos de bloqueio, índice excelente, independente do nível da Venezuela.

Zé Roberto fez certo. Usou todas as jogadoras, mas nenhuma se destacou mais que Thaísa.

2 pontos de saque, 3 e bloqueio e colocou 9 bolas no chão nos ataques. 

Observação zero. 

Não dá, por mais que eu tenha boa vontade, para se tirar nenhuma conclusão técnica ou tática num "treino" como esse.

 

Por Bruno Voloch às 09h09

Adversário conhecido do Brasil na semifinal do mundial juvenil feminino

A República Dominicana está novamente no caminho do Brasil.

Com a vitória sobre a Turquia por 3 sets a 2, a República Dominicana terminou em segundo lugar no grupo F e se classificou para as semifinais do mundial juveni.

O jogo teve mais de duas horas de duração e a Turquia chegou estar vencendo por 2 a 1.

Com 25/22 no quarto set e 15/7 no quinto, a República Dominicna virou e ganhou a partida.

Brasil e República Dominicana se enfrentaram na primeira fase do torneio e o Brasil venceu com muita dificuldade por 3 a 2.

A outra semifinal será entre Alemanha e Bulgária.

Os jogos acontecem nesta Sexta-feira e a decisão do mundial no Sábado.

Por Bruno Voloch às 08h51

22/07/2009

Brasil segue arrasador no mundial feminino juvenil

Em mais uma noite inspirada da oposta Isadora, o Brasil voltou a vencer no campeonato mundial juvenil.

Isadora anotou 11 pontos e novamente foi a melhor jogadora em quadra na vitória de 3 sets a zero sobre a Bulgária.

As parciais foram de 25/19, 25/13 e 25/18. O jogo durou apenas uma hora e dez minutos.

Com o resultado, o Brasil terminou em primeiro lugar no grupo E e manteve a invencibilidade na competição.

Mesmo com a derrota a Bulgária está nas semifinais do mundial.

O Brasil enfrentará nas semifinais o ganhador de Turquia e República Dominicana que jogam logo mais.

Por Bruno Voloch às 22h27

Uma vaga apenas em jogo no mundial feminino juvenil

A última rodada da segunda fase do mundial juvenil feminino vai definir os confrontos das semifinais.

3 das 4 vagas estão decididas.

Brasil e Alemanha, invictos no torneio, já estão classificados.

A Bulgária, que derrotou China Taipei e Holanda, também é semifinalista.

A última vaga vai sair do jogo entre Turquia e República Dminicana.  

Se derrotar a Bulgária, o Brasil enfrentará na semifinal o vencedor de Turquia e República Dminicana.

Uma derrota para as européias, coloca o Brasil diante da Alemanha na semifinal.

Por Bruno Voloch às 12h39

Alemanha também chega nas semifinais. Cuba e China estão perto.

Assim como o Brasil, a Alemanha suou, mas manteve a invencibilidade no mundial juvenil feminino.

A seleção da Alemanha derrotou a República Dominicana por 3 sets a 2 em mais de duas horas de partida e também se classificou para a semifinal do mundial.

No outro jogo do grupo, a Turquia venceu o México por 3 a 2 e ainda sonha com a vaga.

China e Cuba não tiveram dificuldades na rodada. China venceu a Tailândia por 3 a 0, mesmo placar de Cuba e Quênia.

No grupo H, os Estados Unidos se recuperaram da derrota para a República Tcheca, derrotando a Polônia por 3 a 2.

A República Tcheca conseguiu a segunda vitória ficando perto da semifinal fazendo 3 a 0 na frágil Venezuela.

Por Bruno Voloch às 08h18

Brasil está na semifinal do mundial juvenil

A seleção brasileira feminina juvenil está classificada para as semifinais do campeoato mundial que está sendo jogado no México.

O Brasil garantiu a vaga ao derrotar China Taipei por 3 sets a 1, com parciais de 25/21, 24/26, 25/17 e 25/20 em uma hora e quarenta minutos de jogo.

A atacante Isadora foi novamente o destaque da seleção, deixando a quadra como a maior pontuadora com 17 pontos nos 4 sets.

Glauciele veio atrás com 15 pontos e ótima participação no jogo.

Hoje o Brasil enfrenta a Bulgária, que venceu os dois que realizou nessa fase, e quem vencer fica com o primeiro lugar do grupo E.

Por Bruno Voloch às 08h09

21/07/2009

Camisa 10 do Brasil faz sucesso no mundial

Após a disputa da primeira rodada da segunda fase do mundial juvenil feminino no México, a brasileira Isadora aparece como melhor atacante da competição.

A camisa 10 da seleção brasileira, jogou as 4 partidas e tem chamado a atenção dos especialistas pela incrível regularidade e consistência no ataque.

Isadora não está entre as maiores pontuadoras da competição.

Letícia Magnani é outra destaque. Ela é a quarta melhor bloqueadora.

Outra Letícia, a Pontes, tem até agora a quinta melhor defesa do mundial.

 

Por Bruno Voloch às 08h50

Alemanha conquista quarta vitória consecutiva no mundial feminino

Nos demais resultados da segunda fase do mundial, a Alemanha derrotou a Turquia por 3 sets a 1.

Pelo mesmo grupo, a República Dominicana passou fácil pelo México por 3 a 0.

No grupo G, a Tailândia venceu o Quênia por 3 a 1 e a China, num clássico do vôlei mundial, fez 3 sets a 2 em cima de Cuba.

Completando a rodada, a República Tcheca surpreendeu os Estados Unidos, vencendo por 3 sets a 2.

A Polônia, derrotada pelo Brasil na estréia do mundial, fez 3 a 0 na frágil Venezuela.

Apenas Brasil e Alemanha seguem sem perder no mundial juvenil

Por Bruno Voloch às 08h39

Brasil passa pela Holanda e mantém 100% no mundial do México

Com mais uma ótima atuação, a seleção feminina derrotou a Holanda por 3 sets a 0 e segue invicta no mundial juvenil.

O Brasil venceu o primeiro set com tranquilidade por 25/12.

O segundo foi bem mais equilibrado e complicado. A seleção teve que se superar para não perder o set dominado pela Holanda. No fim o Brasil acabou fechando com a parcial de 30 a 28.

As holandesas sentiram a derrota no set anterior. Bom para a seleção brasileira que voltou a vencer com facilidade, dessa vez por 25 a 14, fechando o jogo em 3 sets a 0 em uma hora e vinte minutos de partida.

Pelo mesmo grupo E, A Bulgária venceu a China Taipei por 3 sets a 2.

Nesta Terça, o Brasil joga contra China Taipei e a Bulgária encara a Holanda.

Por Bruno Voloch às 08h22

20/07/2009

AVP será exibida pelo Bandsports com exclusividade

O circuito Norte-Americano de vôlei de praia, a AVP, será novamente transmitido para o Brasil.

O canal a cabo, Bandsports, comprou os direitos de transmissão com exclusividade até 2011.

Já no dia 26 de Julho, o Bandsports exibe as finais da etapa de Coney Island, NY a partir do meio-dia.

As demais etapas, todas com transmissão, serão jogadas em Manhattan Beach, Hermosa Beach, San Francisco na California.

Muskegon em Michigan.

Cincinatti, Ohio. Chicago, Illinois.

Las Vegas, Nevada e Glendale no Arizona.   

Phil Dalhausser e Todd Rogers lideram no masculino.
Nicole Branagh e Elaine Youngs estão na frente no feminino. 

Por Bruno Voloch às 20h01

Conheça as 17 seleções já classificadas para o mundial do Japão

O campeonato mundial feminino do Japão, já tem 17 seleções classificadas.

Serão ao todo 24 seleções participando do campeonato.

Da Ásia, China, Tailândia, Japão.

Das Américas, Estados Unidos, Cuba, Porto Rico e República Dominicana.

Da África, Quênia.

Da Europa, estão dentro a Itália, Rússia, Croácia, Holanda, Alemanha, República Tcheca, Polônia, Turquia e Sérvia.

Por Bruno Voloch às 19h31

Mais 3 seleções vão garantir vaga no mundial do Japão essa semana

Após os torneios europeus, restam ainda quatro competições que vão definir os últimos classificados para o campeonato mundial feminino em 2010.

O primeiro será na Argélia, a partir de quarta-feira, com a Argélia, África do Sul, Egito e Mauritânia.

Apenas o primeiro colocado se classifica.

Nas cidades de Betim e Contagem, também a partir do dia 24, o Brasil recebe Argentina, Peru e Venezuela.

Duas vagas estão em jogo para o mundial feminino.

Fora os torneios na Argélia e no Brasil, mais dois quadrangulares serão jogados, mas sem data definida.

Um deles será na Ásia entre Coréia, Cazaquistão, Taiwan e Nova Zelândia.

As outras duas vagas sairão da Norceca entre Canadá, México, Trinindad e Tobago e Costa Rica.

Por Bruno Voloch às 19h16

Alemanha e Holanda são mais duas seleções com passaporte carimbado

Nem o mais o mais otimista torcedor da Alemanha poderia esperar por essa.

Jogando na Holanda, a seleção alemã se classificou em primeiro lugar no quadrangular para o mundial de 2010 e carimbou o passaporte para o mundial do Japão em 2010. 

A seleção da Alemanha derrotou Holanda, Azerbaijão e Eslovênia e terminou na frente com 3 vitórias.

A seleção da Holanda, comandada pelo campeão olímpico Selinger, também se classificou, com dificuldades e na segunda colocação.

 

Por Bruno Voloch às 08h46

Turquia é supresa e Polônia mantém tradição. As duas chegam ao mundial de 2010

Depois de Itália e Sérvia, a Europa conheceu mais duas seleções classificadas para o mundial do Jaão em 2010.

Na Polônia, a seleção da casa era a favorita no quadrangular com o Turquia, Bélgica e França.

Mas a Turquia ficou com o primeiro lugar. A Polônia se classificou mesmo como segunda colocada.

A Turquia em 2006 ficou à frente da Polônia na classificação.

Terminou em décimo lugar enquanto as polonesas acabaram em décimo sexto lugar.

Por Bruno Voloch às 08h41

Sérvia, em fim de semana inspirado, também se classifica para o mundial

A Sérvia, mostra a cada ano que está mesmo em evolução.

Nesse fim de semana, a seleção também se classificou para a disputa do mundial do Japão em 2010.

No quadrangular jogado em Belgrado, a Sérvia enfrentou as seleções da Croácia, Romênia e Espanha.

A seleção comandada Zoran Terzic, teve 100% de aproveitamento fechando com 3 vitórias e nenhum set perdido.

No último mundial em 2006, a Sérvia surpreendeu o mundo chegando na terceira colocação.

Por Bruno Voloch às 08h34

Itália, invicta, garante vaga no campeonato mundial do Japão

A Itália está classificada para o campeonato mundial de 2010.

Sem dificuldades e com 3 vitórias em 3 jogos, a seleção de Massimo Barbolini, ganhou da República Tcheca, Bielorrússia e Bulgária.

A República Tcheca, que não participu do Mundial em 2006, ficou na segunda colocação e também assegurou vaga no Japão no ano que vem.

Renovado essa temporada, o time italiano, ficou em quarto lugar em 2006.

Por Bruno Voloch às 08h29

19/07/2009

Brasil sofre, mas vence República Dominicana no mundial juvenil

De forma dramática, a seleção feminina juvenil conseguiu se manter invicta no mundial do México.

O Brasil derrotou a República Dominicana por 3 sets a 2 com parciais de 25/23, 17/25, 25/22, 18/25 e 15/11 em mais de duas horas de partida.

Mesmo atuando em apenas dois sets, Thays foi a maior pontuadora da seleção com 13 pontos.

Thays substituiu Letícia, que havia se contundido no joelho treino pela manhã.

A jogadora sofreu uma entorse no tornozelo e será reavaliada. O caso de Letícia preocupa mais.  

Com o resultado, o Brasil ficou em primeiro lugar no grupo C, com três vitórias em três jogos.

Na próxima fase, o Brasil enfrenta a Holanda e a República Dominicana pega o México.

Os jogos serão na segunda-feira, dia 20. 

     

Por Bruno Voloch às 08h04

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.