Blog do Bruno Voloch

08/08/2009

Holanda é mais uma seleção invicta no Grand Prix

A Holanda segue os passos de Brasil e China.

A seleção conseguiu a quinta vitória no Grand Prix, ao bater os Estados Unidos por 3 sets a 2 em Li Miao na China Taipei.

Na véspera a Holanda havia derrotado a Alemanha por 3 a 1.

Na vitória contra os Estados Unidos, a Holanda começou muito mal e perdeu o primeiro set por 25 a 12.

De virada fez 25/22 e 25/16 dando a impressão que faria 3 a 1.

Leve engano.

Com ótima atuação de Nicole Fawcett, as americanas fecharam o quarto set com 25/21.

No quinto set, a Holanda se superou e ganhou de 15/13.

A capitã, Manon Flier foi o destaque da Holanda com 17 pontos.

15 de ataque e dois de bloqueio.

Caroline Wensink fez 13.

Holanda e República Dominicana e Estados Unidos e Alemanha fecham a rodada do grupo D neste domingo

O jogo teve duração de duas horas.   

Por Bruno Voloch às 08h53

China acorda, vira e mantém invencibilidade no Grand Prix

Assim como o Brasil na partida contra a Polônia, a China tomou um susto, mas venceu a quinta seguida no Grand Prix.

Em Macau, as chinesas de virada fizeram 3 a 1 na Tailândia.

As parciais foram de 25/27, 25/19, 25/17 e 25/19.

Ma Yunwen e Wang Yimei comandaram a vitória chinesa.

Wang é ainda a maior pontuadora do Grand Prix até esta quinta rodada.

  

Por Bruno Voloch às 08h46

Em Osaka no Japão, acontece primeira zebra do Grand Prix 2009

Quem poderia imaginar ?

Mas aconteceu.

Pela segunda semana de jogos do Grand Prix, a seleção de Porto Rico venceu a poderosa Rússia por 3 sets a 1.

As parciais foram de 25/17, 25/22, 22/25 e 28/26.

O jogo teve duração de uma hora e quarenta e seis minutos.

Foi a primeira vez na história que a seleção de Porto Rico derrotou a Rússia.    

Aurea Cruz fez 28 pontos e foi o nome da partida.

Gamova fez 19 pontos e Kosheleva anotou 17 pelo lado russo.

A Rússia fez incríveis 19 pontos de bloqueio, mas insuficientes para evitar a derrota histórica. 

Pelo mesmo grupo F, o Japão venceu a segunda seguida.

As japonesas em casa, venceram a Coréria de virada por 3 sets a 1 e assumiram a liderança do grupo. 

No domingo, a Rússia encara o Japão e Porto Rico pega a Coréia.

 

 

Por Bruno Voloch às 08h40

05/08/2009

Brasil está na semifinal do mundial juvenil

Brasil está na semifinal do mundial juvenil

O vôlei brasileiro segue em alta e próximo de conquistar mais um título.

A seleção masculina juvenil derrotou o Irã por 3 a 0 na cidade de Pune na Índia.

Com esse resultado o Brasil se classificou para as semifinais do torneio.

Pelo mesmo grupo, Cuba passou pelos Estados Unidos pelo mesmo placar e também é semifinalista do mundial.

Nesta quinta-feira, a seleção decide o primeiro lugar do grupo F e defende a invencibilidade no mundial diante dos cubanos.

Na vitória sobre o Irã, Maurício e William foram os maiores pontuadores com 16 pontos cada.

Pelo grupo E, a Argentina venceu a Índia por 3 a 0.

A Rússia derrotou a Bélgica também por 3 a 0.

Amanhã jogam Bélgica e Índia e Rússia e Argentina.

Os ganhadores estarão classificados para a semifinal e vão cruzar com Brasil e Cuba

Por Bruno Voloch às 18h37

04/08/2009

Os blogueiros votaram e elegeram Mari a melhor jogadora do Brasil no Grand Prix

A enquete foi colocada no ar na segunda-feira, logo cedo.

A pergunta foi simples e os blogueiros tinham que responder qual foi a melhor jogadora do Brasil na primeira fase do Grand Prix.

Foram muitos e mails, caixa postal cheia e pelo menos na opinião da maioria dos blogueiros, Mari foi a melhor jogadora da primeira fase.

Porém vale o blog ressaltar, que Sheilla, Fabiana, Thaísa, Dani Lins e a líbero Fabi também foram citadas.

Mas Mari foi de fato a mais "votada".    

A seleção brasileira volta a jogar nesse fim de semana.

Na sexta-feira, o Brasil enfrenta a Tailândia.

No sábado o jogo será contra a Polônia e no domingo enfrentamos a China.

As partidas serão jogadas em Macau.    

 

 

Por Bruno Voloch às 11h59

Brasil derrota Estados Unidos pelo mundial masculino juvenil

No primeiro jogo da segunda fase do mundial juvenil, a seleção brasileira venceu os Estados Unidos por 3 sets a 1.

As parciais foram de 25/21, 25/23, 22/25 e 25/17. 

O jogo teve duração de uma hora e meia.

O Brasil segue invicto na competição com 4 vitórias em 4 jogos.

Maurício foi o maior pontuador com 16 pontos.

Isac fez 15.

Renan, destaque brasileiro no mundial, foi bem marcado e terminou a partida com apenas 7 pontos.

O Brasil e Estados Unidos fizeram 12 pontos de bloqueio nos 4 sets.

Mas os americanos erraram mais nos dando 32 pontos.

O Brasil volta a jogar nesta quarta-feira contra o Irã que hoje perdeu de 3 a 0 para Cuba. 

 

 

     

Por Bruno Voloch às 11h44

03/08/2009

Acaba a novela "Regla Bell". Jogadora é do São Caetano e finalmente será apresentada

Esta terça-feira será histórica em São Caetano.

A cubana Regla Bell, finalmente vai se apresentar ao novo time que defenderá no campeonato paulista e na Superliga. 

Tricampeã olímpica em Barcelona 1992, Atlanta 1996 e Sidney 2000, Regla Bell vai jogar pela primeira vez no vôlei brasileiro.

A jogadora cubana será apresentada oficialmente às 3 da tarde no Ginásio Lauro Gomes.

A atleta já havia acertado com o time do Grande ABC, mas estava com problemas na documentação.

Regla Bell chega para a equipe com a marca de ter sido a maior pontuadora do campeonato espanhol na última temporada, quando defendeu a equipe do Cantur e marcou 439 pontos.

 

  

Por Bruno Voloch às 20h36

Quem foi a melhor jogadora do Brasil na primeira fase do Grand Prix ?

Essa seleção feminina é mesmo diferenciada.

Como pode a seleção de melhor campanha não aparecer com nenhuma jogadora em destaque nas estatísticas ?

Pode por causa do conjunto.

Nesses 3 primeiros jogos, vimos Fabiana, Thaisa, Sheilla e Mari se destacarem nos números.

Porém as jogadoras passam longe de serem líderes nas estatísticas da FIVB.

Faz parte e pode acontecer. 

Isso prova evidentemente que o Brasil tem mais opções de ataque no jogo e que não concentra somente em uma ou duas jogadoras as jogadas de ataque.

Que por exemplo, temos duas jogadoras com a mesma capacidade de bloquear, no caso Thaisa e Fabiana.

O blog quer botar você nessa discussão.

Com tanta gente colocando bola no chão e bloqueando com eficiência, quem foi a melhor jogadora do Brasil nessa primeira fase ?           

Por Bruno Voloch às 09h15

Transição mesmo só por causa da saída de Fofão

O Brasil tem uma base.

Base essa que ganhou todos os torneios de 2009, com ou sem expressão.

Zé Roberto está renovando aos poucos a seleção e não é segredo para ninguém que passamos por um processo de transição.

Mas repito que a base está mantida. 

Dani Lins assumiu como levantadora titular e essa talvez seja a maior novidade e diferença.

Seja, não, é a grande diferença.

Nas pontas temos Mari e Sassá.

Mari foi titular na Olimpíada e Sassá entrava para sacar, passar e muitas vezes fazia a passagem completa.

Sheilla ainda é absoluta na saída de rede.

E Thaísa e Fabiana indiscutíveis no meio de rede.

Walewska não faz falta alguma, sinceramente.

Então onde estão as mudanças ?

Mudanças sem as presenças de Paula, até provem o contrário titular, se estiver com o joelho 100%.

Jaqueline como opção, mas no banco.

Natália, aí sim, novidade como possibilidade de mudança, junto com Joycinha e Regiane.

Carol Gattaz sempre disposta a ajudar, mas consciente de seu lugar como terceira e importante opção. 

No banco ainda uma "assutada" Ana Tiemi.          

Dizem os especialistas, jogdora de muito futuro, que ainda sinceramente não consegui enxergar. 

Por Bruno Voloch às 09h05

Uma análise do fim de semana do Brasil no Grand Prix

O Grand Prix começou da melhor maneira para a seleção feminina.

Jogamos em casa, com o apoio da torcida e contra adversários que normalmente vencemos.

E dessa vez não foi diferente.

Falar do fim de semana é passar por uma vitória tranquila, em rtimo de treino contra Porto Rico.

Um jogo morno, sempre sob controle e que destacaria Fabiana no meio e Sheilla no ataque.

A fragilidade de Porto Rico não nos permite ir além disso.

Encontramos a Alemanha no dia seguinte.

Velho "freguês" e que nos exigiu um pouco mais. Nenhum absurdo.

Chamou a atenção a concentração da seleção e a disposição tática da equipe.

As atacantes da Alemanha estavam muito bem estudadas e marcadas.

Nossas centrais se "divertiram".

Thaisa e Fabiana juntas fizeram 26 pontos entre ataques e bloqueios.

Thaisa foi mais efetiva. Fez seis pontos de bloqueio contra quatro de Fabiana.

No total o Brasil terminou a partida com 15 pontos nesse fundamento.

Um ótimo aproveitamento. E o detalhe é que a Alemanha só fez um ponto no jogo todo de bloqueio.

Vieram os Estados Unidos. Longe, mas muito longe da seleção medlaha de prata em Pequim.

Formado por universitárias e na maioria desconhecidas, o time americano deu trabalho, mais do que deveria.

3 a 0 novamente.

Pois é, mas tivemos que "pensar" para rodar algumas bolas.

Zé Roberto usou todas as jogadoras.

Gostei do desempenho de Mari, melhor do que na véspera, e novamente as centrais Thaisa e Fabiana.

Falando "delas", acho que defenderam uma enormidade. 

Mas futuro de fato tem uma tal de Nicole Fawcett.

Jogadora moderna, jovem e muito promissora dos Estados Unidos.

Se bem trabalhada e será de certeza pela competente comissão técnica americana, Fawcett terá uma bela carreira.

Com a seleção ainda, vejo que uma mudança muito em breve será inevitável.

Natália no lugar de Sassá.

O que segura Sassá na seleção é especialmente o passe. E diga-se de passagem, fundamento pra lá de importante.

Mas Natália está voando.

Ela joga na saída de rede ou como ponteira, para tanto teria que passar.

Hoje Natália tem dificuldades como ponteira passadora.

Mas Zé vai precisar arrumar com o tempo essa deficiência da atleta com muito treino.

Natália salta mais, saque melhor, ataca com mais potência e tem um bloqueio melhor do que o de Sassá.

Não tem jeito.

A conclusão nesse primeiro fim de semana é que vamos encontrar seleções mais fortes na frente, seremos mais exigidos e Natália vai virar titular.           

 

Por Bruno Voloch às 08h50

Brasil tem "muralha" na rede no mundial juvenil

Seleção de melhor aproveitamento no mundial, o Brasil aparece com destaque nas estatísticas.

Renan Buiatti de 2,15 m, é o principal bloqueador do campeonato masculino juvenil disputado na Índia.

Após o encerramento da primeira fase, o central brasileiro que joga no Santander, lidera com sessenta e uma participações efetivas. 

Renan tem ainda o oitavo melhor saque do torneio.

Maurício jogador do Minas, se destaca no ataque sendo o quinto melhor até aqui.

O iraniano Farhad Ghaemi lidera o fundamento.

 

Por Bruno Voloch às 08h16

Sem perder no mundial juvenil, Brasil já sabe adversários da segunda fase

A seleção masculina juvenil já conhece os adversários da segunda fase do mundial da Índia.

O Brasil caiu no grupo E, ao lado dos Estados Unidos, Iran e Cuba.

A seleção estará em quadra novamente nesta terça para enfrentar os Estados Unidos.

Rússia, Argentina, Bélgica e Índia formam o grupo F.

Bélgica e Argentina, Rússia e Índia são os jogos da terça.

Os dois primeiros de cada grupo se classificam para as semfinais do mundial.

O Brasil venceu os 3 jogos que disputou até agora.

3 a 0 na Polônia e no Canadá e 3 a 1 na Rússia.

Ds 8 seleções que podem brigar pelo título, apenas Brasil e Iran estão invictos .

 

Por Bruno Voloch às 08h02

Melhor seleção do Grand Prix, jogadoras do Brasil "somem" nas estatísticas

O Brasil tem a melhor campanha, está invicto e não perdeu nenhum set.

A força do conjunto fica evidente também nos números.

Curiosmente nenhuma jogadora brasileira aparece em destaque nas estatísticas. 

Tatiana Kosheleva da Rússia é a melhor jogadora do Grand Prix até agora com o fim da primeira fase.

Kolesheva tem 66 pontos e é a maior pontuadora da competição.

A chinesa Wang fez em 3 jogos 58 pontos.

Staelens e Flier da Holanda são as atacantes mais eficientes do torneio após 3 jogos de cada seleção.

Bednarek da Polônia, apesar da camapanha ruim da seleção, é a melhor bloqueadora.

A companheira Zenik tem a melhor defesa do Grand Prix.

A China está bem nas estatísticas. 

Yin se destaca no passe e Wei Qiuyue é a levantadora mais efetiva.

 

 

Por Bruno Voloch às 00h41

Após primeira fase, apenas três seleções ainda estão invictas no Grand Prix

Após 18 partidas em 3 grupos, a primeira fase do Grand Prix termina com apenas três seleções invictas.

Brasil, Holanda e China ganharam os 3 jogos que disputaram.

O Brasil tem aproveitamento de 100% porque venceu todos os jogos por 3 a 0.

Mérito maior da Holanda, única que jogou longe de casa.

O Brasil atuou no Rio de Janeiro e a China em Ningbo.

A Holanda atuou na cidade de Kielce na Polônia.

Porto Rico, Japão e Coréia ainda não ganharam.

A China está em segundo lugar, Holanda em terceiro, a Rússia com uma derrota está em quarto lugar e a Alemanha em quinto.

A Tailândia talvez seja a maior surpresa e está em sexto lugar na clasificação geral.   

A Polônia está na sétima posição, República Dominicana com uma vitória em oitavo e os Estados Unidos com duas derrotas ocupam a nona colocação.  

Por Bruno Voloch às 00h23

Holanda toma susto, vira jogo e se mantém invicta no Grand Prix

A Tailândia parecia que conseguiria aprontar mais uma surpresa no Grand Prix.

Ganhou o primeiro set da Holanda por 27 a 25.

Mas parou.

Prevaleceu a maior experiência das holandesas. 

A Holanda fez 25/21, 25/17 e 25/20 e fechou a partida em 3 a 1.

Destaque novamente, pelo menos nos números, para Manon Flier, que terminou a partida com a marca de 19 pontos.

Mas a Holanda ganhou o jogo no coletivo.

Huurman fez 15 pontos e Staelens anotou 14.

A central Wensink chamou a atenção fazendo 8 pontos de bloqueio.

Na próxima etapa do Grand Prix entre os dias 7 e 9, a Holanda jogará contra Estados Unidos, República Dominicana e Alemanha.

Por Bruno Voloch às 00h15

Wang e Kosheleva brilham na vitória da China sobre a Rússia

Na melhor partida da primeira fase do Grand Prix, a China derrotou a Rússia por 3 sets a 2.

As parciais foram de 23/25, 25/23, 20/25, 25/14 e 15/9. O jogo teve duração de uma hora e quarenta e seis minutos e foi realizado na cidade de Ningbo na China. 

Wang da China teve uma atuação espetacular terminando a partida com 30 pontos.

27 pontos de ataque e 3 de bloqueio.

Xue fez 20 pontos.

Kosheleva anotou 27 pontos do lado da Rússia.

Gamova voltou a jogar como titular e fez 17 pontos.

13 de ataque, 2 de bloqueio e 2 de saque.

Olga Fateeva apareceu bem também do lado russo pontuando 16 vezes.

A China segue invicta no Grand Prix. A Rússia conheceu a primeira derrota.

A República Dominicana venceu a Coréia também por 3 a 2 conseguindo a primeira vitória no Grand Prix.    

Por Bruno Voloch às 00h05

02/08/2009

Não é um Brasil e Estados Unidos "de verdade"

Calma, não é bem assim.

O Brasil e Estados Unidos de hoje nada tem haver com a final olímpica de 2008.

Nada.

Ou melhor só no nome das duas seleções.

A seleção dos Estdos Unidos não é nem sombra do time medalha de prata.

Nós ainda temos metade do time campeão olímpico.

Por essas e outras 3 a 0 é o placar mais esperado e se mantiver o ritmo do jogo de ontem contra a Alemanha, conseguiremos uma nova vitória tranquila.

Os Estados Unidos trouxeram jogadoras novas e na maioria universitárias.

Apenas a líbero, Nicole Davis, é um pouco experiente.

Dá para destacar Richards Kristin, Nicole Fawcett (Zanesville, Ohio), Jane Collymore (Seattle, Wash), Jordan Larson (Hooper, Neb.) e Angela Pressey (Lake Mary, Fla.).

A base formada por Danielle Scott, Nnamani, Willoughby, Ah Mow-Santos, Haneef, Sikora, Berg, Bown, Logan Tom e a própria Metcalf, que foi convocada mas ficou fora dessa etapa, está ausente.

Mas este processo faz parte dos planos de Hugh McCutcheon que fez trabalho semelhante com o time masculino dos Estados Unidos.

2009 será um primeiro anos para buscar talentos.

Os registros apontarão no futuro que vencemos e é o que contará.

A história não pergunta se A ou B jogou com a força máxima.

Por isso, temos e vamos vencer novamente com facilidade. 

Por Bruno Voloch às 09h07

Hlanda e Tailândia decidem primeiro lugar do grupo B

A Holanda tem história no Grand Prix, afinal venceu uma edição da competição no ano de 2007.

E começa 2009 de forma positiva.

Hoje na Polônia, a seleção decide o primeiro lugar do grupo com a supreendente Tailândia.

A Holanda venceu Japão e Polônia por 3 a 0.

A Tailândia precisou de 5 sets para vencer os mesmos adversários.

Staelens e Flier são os destaques da Holanda até agora no Grand Prix.   

  

Por Bruno Voloch às 08h45

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.