Blog do Bruno Voloch

15/08/2009

Definidos os finalistas do Grand Prix

Brasil, Holanda, China, Rússia, Alemanha e Japão vão brigar pelo título do Grand Prix 2009. 

Pela primeira vez, com uma rodada de antecedência, o Grand Prix já conhece os finalistas da competição.

Brasil e Holanda, as duas seleções ainda invictas, garantiram vaga desde a última sexta-feira.

Mesmo com a derrota para a Polônia, a China em terceir lugar ainda, carimbou o passaporte.

A Rússia em quarto e a Alemanha em quinto também estão na fase final.

As duas seleções estão com 13 pontos e 5 vitórias.

Em sexto com 12, o Japão também estará na fase decisiva.

A cidade de Tóquio vai sediar a fase final da competição entre os dias 19 e 23.

Por Bruno Voloch às 09h57

Holanda faz nova vítima

A Holanda mostra cada vez mais que quer repetir 2007 quando ganhou o Grand Prix pela primeira e única vez na história.

A vítima dessa vez foi a frágil seleção da República Dominicana.

Em 90 minutos a Holanda fez 3 sets a 0 e ganhou a oitava seguida na competição.

A promissora Debby Stam anotou 17 pontos e Staelens fez 13.

Manon Flier colaborou com outros 12.

Neste Domingo a Holanda coloca a invencibilidade em jogo contra a China em Hong Kong.  

Por Bruno Voloch às 09h51

Rússia está na fase final do Grand Prix

A Rússia está nas finais do Grand Prix.

Com a vitória de hoje de 3 sets a 1 sobre a Tailândia, a Rússia chegou aos 13 pontos na classificação geral e garantiu a classificação.

Foi a quinta vitória da Rússia no Grand Prix.

Kosheleva e Gamova foram as principais jogadoras em quadra.

A Rússia fez 1 a 0. Perdeu o segudo set por 24/26.

Depois fez fáceis 25/11 e 25/12 ganhando de 3 a 1.

No outro jogo do grupo I em Bangkok, os Estados Unidos ganharam de 3 a 0 de Porto Rico.

Metcalf fez 12 pontos e foi a maior pontuadora.

 

Por Bruno Voloch às 09h46

Polônia vence a China em Hong Kong

A Polônia supreendeu a China essa madrugada em Hong Kong pelo grupo G do Grand Prix.

A seleção polonesa fez 3 sets a 2, mesmo assim segue tendo remotas possibilidades de chegar a fase final do Grand Prix.

Mesmo com a derrota, a segunda na competição, a China já está nas finais.

O jogo durou duas horas e a China chegou estar perdendo por 2 a 0.

Reagiu, mas perdeu de 15/11 o quinto set.    

Por Bruno Voloch às 09h39

14/08/2009

Nestlé irá "bancar" time feminino de Osasco

A Nestlé está de volta ao voleibol.

A empresa será a patrocinadora do time feminino de Osasco.

O anúncio oficial será feito somente quando as jogadoras da seleção voltarem do Grand Prix.

A Nestlé reaparece no vôlei depois de formar uma parceria vitoriosa nos anos 90.

Com o nome de Leite Moça, conquistou 3 títulos brasileiros.

A Nestlé teve como sedes nos períodos dedicados ao esporte as cidades de Sorocaba e Jundiaí. 

  

Por Bruno Voloch às 18h13

Rússia supera Estados Unidos e volta a vencer no Grand Prix

Após duas derrotas consecutivas, a Rússia voltou a vencer no Grand Prix.

Em partida realizada em Bangkok na Tailândia, a seleção russa ganhou de 3 sets a 1 dos Estados Unidos.

O jogo foi muito disputado e equilibrado.

A Rússia fez 25/21 no primeiro set.

Ganhou no sufoco o segundo set.

Depois de estar perdendo a Rússia virou e fechou com 26/24.

Os Estados Unidos reagiram e ganharam por 25/19 o terceiro set.

No quarto set a Rússia decidiu a partida.

Ganhou por 25/17 e fechou o jogo por 3 a 1.

Ekaterina Gamova marcou 23 pontos e foi decisiva.

Nancy Metcalf marcou 19 pelos Estados Unidos.

Com a derrota os Estados Unidos não têm mais chances de chegar a fase final do Grand Prix.       

Por Bruno Voloch às 12h45

China mantém terceira colocação do Grand Prix

Jogando em Hong Kong, a seleção da China venceu a República Dominicana por 3 sets a 1.

Ma Yunwen fez 17 pontos e foi a atleta que mais se destacou.

A China abriu 1 a 0 com 25/21.

A República Dominicana devolveu com os mesmos 25/21.

Depois a China venceu com facilidade o terceiro e o quarto sets por 25/17 e 25/20.

A China segue em terceiro lugar no geral com 6 vitórias e uma derrota, justamente para a seleção brasileira na fase anterior.

Neste Sábado a China enfrenta a Polônia e a Holanda joga contra a República Dominicana. 

Por Bruno Voloch às 12h36

Perda de um set para o Japão quase custa liderança do Grand Prix ao Brasil

A Holanda segue firma na cola do Brasil.

Hoje a seleção holandesa não teve dificuldades e derrotou a Polônia por 3 sets a 0.

As parciais foram de 25/17, 25/17 e 25/13.

O jogo realizado em Hong Kong durou apenas uma hora e seis minutos.

Manon Flier foi novamente o destaque da Holanda com 13 pontos.

Wensink fez 12 e a experiente Staelens 11.

Agora são 7 jogos e 7 vitórias.

Uma campanha exatamente igual a da seleção brasileira.

As duas seleções somam 14 pontos e ganharam 21 sets e perderam 4.  

O Brasil agora só segue em primeiro por causa dos pontos average. 

Por Bruno Voloch às 12h27

Alemanha ganha a quinta partida no Grand Prix

Pelo grupo H, o mesmo de Brasil e Japão, a Alemanha confirmou o favoritismo e derrotou a Coréia por 3 sets a 1.

A Coréia abriu um a zero com 27/25, mas os três sets seguintes foram da Alemanha.

25/20, 25/22 e 25/11.

Margareta Kozuch foi a maior pontuadora com 20 pontos.

Foi a quinta vitória da Alemanha que manteve a quarta colocação na classificação geral.

A Coréia segue em último lugar.

A Alemanha encara o Brasil neste Sábado.

Japão e Coréia completam a rodada.

  

Por Bruno Voloch às 12h18

13/08/2009

Seleção masculina vai fazer "turismo" em Bogotá na Colômbia

Sem drama.

O Brasil disputa a partir do dia 15 o sul-americano adulto na Colômbia.

Bernardinho anunciou que não levará Dante e André Nascimento.

Acho que se a seleção fosse representada pelo time juvenil, atual campeão do mundo, também levaria o título.

É um campeonato fraco demais em termos técnicos e com apenas um jogo, contra a Argentina na final.

Jogar contra Uruguai, Colômbia e Peru é pior do que fazer coletivo.

Titulares contra reservas rende bem mais.

Até para observação.

Nada nos acrescenta jogar contra essas seleções, mas faz parte da tabela e é nossa obrigação.

Não falei na Venezuela que será nosso "coletivo apronto" para a decisão.

Rende um pouquinho mais, nada além.

O Brasil tem a obrigação de ganhar o sul-americano e sem perder sets.

Me lembro do classificatório feminino onde ganhamos mas tropeçamos no relaxamento e na acomodação.

Como precisa dar moral e confiança para boa parte dessa geração, Bernardinho prefere levar o que tem de melhor.

Quem me conhece sabe que defendo a tese de poupar nossos principais jogadores e jogar com o time completo somente em eventos de "ponta".

Mas quem trabalho com o grupo é que sabe do que o mesmo precisa.

Por isso, ele sabe o que faz.

Mas ninguém pode me convencer de que existe um mínimo de chance do Brasil perder o campeonato.

Respeito sempre existiu e existirá.

Aliás, esse é o princípio básico da vida de uma forma geral.  

Por isso banco que se a gente levasse o time juvenil também ganharia o sul-americano.

Rodrigão fica e Sidão será testado.

Testado ?

Contra essas seleções ?

Não, sinceramente não.

Mas é bom estar com o grupo, treinar e mal ou bem participar de um evento internacional como de fato o sul-americano é.

Não entendi a ausência de Rivaldo.

Dante tem vaga cativa e só jogara grandes eventos.

Sobre André Nascimento respeito muito os serviços prestados e que serviços ...

Mas acho que fisicamente perde para os que lá estão e não o convocaria novamente.       

Sobre João Paulo Bravo, Bernardinho lhe dá uma chance merecida.

João fez um belo trabalho na Itália e assim como Vissoto demorou para ser chamado.     

Bons jogos e boas compras em Bogotá.

Compras ?   

 

Por Bruno Voloch às 11h51

Santander abre "espaço" e não faz mais questão de mostrar a marca

Toda e qualquer separação é dolorosa.

O que se discute numa relação é a época em que ela é feita ou anunciada.

É claro que os amantes do vôlei, dirigentes e jogadores não estão satisfeitos com a decisão da diretoria do Santander.

Mas achei correta a maneira como a decisão foi anunciada.

O grupo Santander que comprou o Banespa em 2000, informou que vai fazer uma mudança na estratégia de seus patrocínios, e que deixará São Bernardo após o fim da Superliga 2009/2010.

Direito absoluto deles e indiscutível.

Dói porque acaba a mais longa parceria do voleibol brasileiro, que começou em 1983. 

Por lá passaram feras como Maurício, Tande, Marcelo Negrão e Nalbert.

Mas como tudo na vida, teve um começou um meio e um fim.

Anunciar a desistência às vésperas do início do campeonato paulista é ruim.

Cria um clima de insegurança e instabilidade geral.

Mas tem o lado positivo.

O gerente de vôlei, Monatanaro terá um ano para correr atrás e brigar por outro patrocinador.

O campeonato ainda não começou e os jogadores envolvidos terão tempo suficiente para absorver a decisão do banco.

O Santander inclusive vai abrir mão de ter seu nome veiculado na mídia e na camisa do time e abre o direito, caso Montanaro consiga, de outro patrocinador colocar a marca no lugar do Santander.       

Isso tudo com contrato em vigor e pagando regularmente os salários.

Fora isso, confirmou que vai cumprir todos os compromissos assinados até o fim de Maio de 2010.  

Por Bruno Voloch às 11h19

12/08/2009

Sheilla foi a melhor jogadora da segunda etapa do Grand Prix, dizem blogueiros

Assim como fizemos na semana passada, colocamos a enquete no ar e perguntamos aos blogueiros quem foi a melhor jogadora da segunda etapa do Grand Prix. 

Dois dias de pergunta no ar, muitos acessos e caixa postal cheia.

A levantadora Dani Lins apareceu muito cotada, Thaisa foi bem citada, Mari novamente, mas ninguém superou Sheilla em termos de votação.

A seleção volta a jogar pelo Grand Prix na próxima sexta-feira contra o Japão.

No sábado o Brasil volta a quadra para enfrentar a Alemanha e no Domingo fecha a participação na primeira fase do Grand Prix contra a Coréia do Sul.

Por Bruno Voloch às 17h01

10/08/2009

Quem foi a melhor jogadora do Brasil em Macau ?

A seleção feminina já está a caminho de Mokpo na Coréia para disputar a terceira fase do Grand Prix.

Vamos cruzar com Japão, Alemanha e Coréia.

Em Macau, foram mais 3 jogos e mais 3 vitórias.

O Brasil ainda está invicto, muito embora tenha perdido um set para a Polônia e vencido a China apenas no quinto set.  

Vitória que colocou a seleção na liderança do Grand Prix.

Na cerimônia de premiação, Sheilla recebeu o troféu de melhor atacante da etapa.

Curiosamente os demais prêmios foram entregues às jogadoras chinesas.

Os organizadores não tiveram dúvida e elegeram Sheilla a melhor jogadora do Brasil no segundo fim de semana.

Aqui no blog você tem sempre espaço e queremos saber sua opinião.

Como na semana passada, a gente pergunta quem você acha que foi a melhor jogadora do Brasil em Macau ? 

  

Por Bruno Voloch às 08h50

Em Macau, Natália virou titular e valeu pelo confronto com a China

A passagem da seleção por Macau foi bem mais proveitosa em termos técnicos do que aquele primeiro fim de semana no Rio de Janeiro.

A partida contra a Tailândia foi um bom treino e não fomos exigidos em nenhum momento da partida.

A concentração e a seriedade da seleção, com poucos erros na partida, aliadas a boa atuação de Mari, acabaram chamando a atenção.

Veio então o jogo contra a Polônia.

Natália novamente de titular.

Jogo de um set somente.

O primeiro que foi equilibrado e com Natália, Thaisa, Mari e Sheilla virando as principais bolas.

O segundo set foi ridícula a atuação da seleção da Polônia.

O Brasil passeou em quadra e ganhou como quis por 25 a 9, placar raro.

O terceiro veio a decepção. O Brasil jogou desconcentrado, esteve apático e sem passe.

O time chegou a estar perdendo por 16 a 4 e não teve forças para reverter a situação perdendo por 25 a 13.

O susto de perder o primeiro set e da maneira como foi, valeram para alguma coisa.

Voltamos com mais concentração e ganhamos com tranquilidade.

A partida contra a China era a mais esperada por motivos óbvios.

Clássico do vôlei mundial e uma hora a gente teria que cruzar com elas.

Achei que o Brasil errou demais e bloqueou abaixo do que vinha fazendo.

A China "ganhou" 26 pontos do Brasil nos 5 sets.

Wang e Xue estavam inspiradas do lado da China.

Os erros de arbitragem acontecem e não foram determinantes para levar o jogo para o quinto set.

Vi uma seleção nervosa no início, mas que aos poucos foi se soltando em quadra.

Concordo com Zé Roberto quando ele diz que as dificuldades vão sempre aumentar.

Ele fez certo, mexeu pouco no time, fazendo apenas entrar Sassá no passe a inversão em algumas situações. 

O Grand Prix é assim.

Mas não temos como fugir e deixar de falar na atuação destacada de Sheilla, disparada a mais regular do Brasil.  

24 pontos e uma segurança absurda nos momentos finais da partida.

Thaísa e Mari estiveram na média e foram importantes demais. 

Aliás o ponto forte foi a virada no quinto set.

A seleção mostrou uma aparente tranquilidade, que chego a duvidar em certas horas de Dani Lins em especial, e conseguiu sair de 4/8 para virar a partida. 

Ainda temos que evoluir e confesso que Natália e Dani Lins precisam muito de jogos como esse contra a China.

 

Por Bruno Voloch às 08h40

Estatísticas do Grand Prix são supreendentes e brasileiras seguem longe da premiação individual

O conjunto faz a força.

José Roberto Guimarães sempre deixou claro seu pensamento.

E os números do Grand Prix refletem exatamente isso.

Duas semanas de jogos e o Grand Prix 2009 apresenta algumas surpresas nas estatísticas.

O Brasil, líder do torneio, segue sem nenhuma representante entre os melhores.

As supresas não param.

A Coréia, apenas a penúltima colocada, tem a maior pontuadora do torneio até agora.

Kim Yeon-Koung marcou 128 pontos, seguida da russa Tatiana Kosheleva com 104.

Xue Ming da China tem 33 pontos de bloqueio em 6 jogos e aparace em quinto lugar.  

Xue Minga da China e Kosheleva se destacam também como melhores atacantes do Grand Prix.

Sheilla é a brasileira melhor colocada em quinto lugar.

Pelos números, Xue Ming é óbvio a principal bloqueadora do Grand Prix.

Thaísa é a sexta.

Manon Flier da Holanda segue em primeiro como melhor saque após duas semanas de Grand Prix.  

Foram 12 aces.

Debora Seilhamer de Porto Rico, que está em décimo lugar, lidera como melhor defesa da competição. 

Yuko Sano do Japão é a segunda colocada.

A baixinha Yoshie Takeshita do Japão é a levantadora mais eficiente.

Dani Lins não figura nem entre as 5 melhores.

Ekaterina Kabeshova da Rússia lidera no passe seguida de perto de Aurea Cruz de Porto Rico.

Debora Seilhamer reaparece nas estatísticas como a principal líbero do torneio.

Fabi tem o oitavo aproveitamento.

  

Por Bruno Voloch às 08h01

Brasil, Holanda e China estão perto da fase final do Grand Prix

Com 36 jogos disputados em 6 sedes diferentes, o Grand Prix 2009 tem somente duas seleções ainda invictas.

Brasil e Holanda ainda não perderam.

A seleção brasileira venceu os 6 jogos disputados, mesma campanha da Holanda.

O Brasil ganhou 18 sets e perdeu 3, enquanto a Holanda ganhou os mesmos 18 sets tendo perdido 4 sets.

Por isso o Brasil lidera a competição com 12 pontos.

A Holanda é segunda com 12 também.

A China com uma derrota está em terceiro lugar com 11 pontos.

Brasil, Holanda e China precisam de uma vitória em 3 partidas na terceira fase para garantir vaga na fase final. 

A Alemanha tem 10, com 4 vitórias e duas derrotas.

O Japão é o quinto com 9, memo número de pontos da Rússia, sexta, que tem 3 vitórias e 3 derrotas.

Essas seriam as 6 seleções classificadas para a fase final se o Grand Prix terminasse hoje.

Polônia, Estados Unidos e Tailândia ainda podem sonhar com uma das vagas.

As 3 seleções estão com 8 pontos e duas vitórias.

Porto Rico, Coréia e República Dominicana, que tem a pior campanha entre as 12  seleções, vão precisar vencer os 3 jogos da terceira fase e ainda fazer contas para estar em Tóquio na última etapa entre os dias 19 e 23 de Agosto.

Por Bruno Voloch às 07h43

09/08/2009

No feminino, Rússia sofre segunda derrota consecutiva

Se a seleção masculina vai bem ou pelo menos vem alcançando bons resultados, a seleção feminina da Rússia segue decepcionando.

Deppis do resultado negativo contra Porto Rico, a seleção perdeu dessa vez para o Japão por 3 sets a 1 em jogo válido pelo grupo F.

A Rússia chegou a vencer o primeiro set por 25-20 mas depois sofreu a virada.

O Japão fez 25-19, 25-15 e 25-21 e fechou o jogo em 3  a 1.

Pelo mesmo grupo, a Coréia passou por Porto Rico com 3 a 2, 25-18, 25-18, 24-26, 22-25 e 15-13.

No grupo E, de Brasil e China , a Polônia teve dificuldades no primeiro set mas venceu a Tailândia por 3 a 0, com 26-24 , 25-13 e 25-22.

No grupo D, que teve a Holanda como primeira colocada, a Alemanha não teve dificuldades e conquistou mais uma vitória.

Dessa sobre os Estados Unidos também por 3 a 0 com 25-22, 25-18 e 27-25.


 

Por Bruno Voloch às 21h02

Rússia e Alemanha garantem vaga no mundial da Itália

A Rússia confirmou o favoritismo e derrotou a Finlândia por 3 a 0 em Tampere na Finlândia.

Com mais essa vitória, a seleção russa conquistou o quadrangular europeu com 3 vitórias em 3 jogos.

A Finlândia foi a responsável pela única derrota do Brasil na Liga Mundial.

A Alemanha venceu a Bélgica também por 3 a 0 e ficou com a segunda vaga.

Finlândia e Bpelgica ficaram fora.

O mundial masculino adulto será em 2010 na Itália.   

Por Bruno Voloch às 20h52

Maurício é eleito craque do mundial e Renan melhor bloqueio do campeonato

A décima quinta edição do campeonato mundial juvenil masculino ficará para a história do vôlei brasileiro.

Em 2009 o Brasil conquistou seu quarto título no torneio.

Mas o ano de 2009 também será inesquecível para Maurício.

O jogador foi eleito pela FIVB o melhor jogador do campeonato mundial.

Na decisão contra Cuba ele fez 19 pontos.

Maurício joga no Minas, tem 20 anos e 1,99 de altura. 

Renan ganhou o prêmio de principal bloqueador do mundial.

Ele joga no Santander, tem 19 anos e 2,15 de altura.

Kalandadze da Rússia terminou como maior pontuador.

O iraniano Farhad Ghaemi foi eleito melhor atacante.

Raja Jacob da Índia acabou premiado como melhor saque e recepção.

A Argentina, medlaha de bronze, teve em Franco Lopez, melhor defesa e líbero.

Leandro Macias de Cuba terminou como melhor levantador do mundial.

 

 

 

 

Por Bruno Voloch às 19h30

Brasil conquista tetracampeonato mundial juvenil

Não faltou emoção na decisão do campeonato mundial masculino juvenil na Índia.

A seleção brasileira, atual campeã da categoria, derrotou Cuba por 3 sets a 2 e conquistou o tetracampeonato mundial.

O primeiro set foi muito equilibrado e o Brasil precisou fazer 30/28.

Cuba deu o troco no segundo set com 25/21.

No terceiro set a seleção voltou a ficar na frente com 25/22.

O Brasil dominou inteiramente o quarto set e tinha tudo para fechar em 3 a 1.

Mas errou nos momentos decisivos e perdeu por 25/23.

No tie-break veio a vitória. 15/8.

O jogo durou quase duas horas.

Isac e Maurício marcaram 19 pontos, cada.

A estrela cubana Leon deixou 20 pontos. 

A seleção, dirigida por Percy Onken,  ganhou o campeonato de forma invicta com 8 vitórias em 8 jogos.

 

          

Por Bruno Voloch às 19h16

Holanda ganha mais uma no Grand Prix

A Holanda, assim como o Brasil, segue 100% no Grand Prix.

A seleção holandesa derrotou a República Dominicana por 3 a 0 na última rodada do grupo D.

O jogo durou apenas uma hora e sete minutos e a Holanda demonstrou incrível superioridade técnica.

Flier foi novamente a melhor em quadra com 14 pontos.

A Holanda está na segunda colocação na clasificação geral com 12 pontos e 6 vitórias em 6 jogos.

A seleção perder apenas 4 sets, um a mais que o Brasil, por isso está em segundo.

No próximo fim de semana em Hong Kong, a Holanda joga contra a China, Polônia e República Dominicana.

O Japão, mais os cinco primeiros, se classificam para a fase final entre os dias 19 e 23 de Agosto em Tóquio.   

Por Bruno Voloch às 09h56

Argentina fica com a medalha de bronze no mundial juvenil masculino

Com a vitória de 3 a 0 sobre a Índia, a Argentina conquistou a medalha de bronze no mundial da Índia.

O jogo foi rápido e a Argentina fechou com parciais de 25/19, 25/16 e 25/22.

Conte fez 13 pontos e foi o destaque dos argentinos.

A Índia com a quarta colocação alcançou a melhor posição de sua história em mundiais.

A expectativa dos argentinos é ainda que ganhar alguns prêmios individuais.

Franco Lopez tem até agora a melhor defesa do mundial e a segunda recepção.

Nocolas Uriarte é o segundo melhor levantador.

     

Por Bruno Voloch às 09h49

Rússia precisa de um set para chegar ao mundial

A seleção masculina da Rússia derrotou a Bélgica hoje em Tampere na Finlândia e praticamente garantiu vaga no mundial da Itália em 2010.

O jogo terminou 3 sets a 0 com parciais de 25/18, 25/22 e 25/16.

Poltavskiy fez 14 pontos.

Na preliminar a Alemanha fez 3 a 1 na Finlândia e manteve as esperanças de conseguir a vaga.

Bélgica e Alemanha jogam pela última rodada e na sequência acontece Finlândia e Rússia.  

A Rússia com duas vitórias precisa apenas ganhar um set para ficar com uma das duas vagas.

Alemanha e Finlândia já ganharam uma partida cada.

A Bélgica está fora e eliminada.

   

Por Bruno Voloch às 23h27

Brasil e Cuba decidem mundial juvenil

Foram duas horas de batalha e cinco sets disputados na cidade de Pune na Índia.

Em uma semifinal dramática, a seleção brasileira masculina juvenil derrotou a Índia e se classificou para a decisão do campeonato mundial. 

Foi a sétima vitória seguida do Brasil , única seleção invicta no torneio.

O Brasil fez 3 sets a 2 com parciais de 25/19, 17/25, 25/19, 23/25 e 15/9.

O ponta Maurício fez 24 pontos e foi o nome da partida.

A final será contra Cuba que venceu a Argentina na outra semifinal por 3 a 1.

Brasil e Cuba se enfrentaram na fase anterior com vitória do Brasil por 3 a 0.

A seleção luta pelo tetracampeonato mundial.

O último título ganho aconteceu em 2007. 

Por Bruno Voloch às 23h01

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.