Blog do Bruno Voloch

05/09/2009

Brasil termina mundial infanto-juvenil masculino em nono lugar

A seleção infanto-juvenil do Brasil fez o máximo que poderia após a eliminação na primeira fase.

Ganhou os 6 jogos que restavam e conquistou a nona colocação na competição.

Hoje a seleção brasileira derrotou os Estados Unidos por 3 sets a 1.

As parciais foram de 27/25, 25/19, 25/27 e 25/19 em uma hora e quarenta e cinco minutos de partida.   

Ary com 19 pontos foi o maior pontuador do Brasil na partida, seguido de Thiago com 16.

Depois de sofrer duas derrotas seguidas na primeira fase para Rússia e Índia e ser eliminado, o Brasil ganhou todas as partidas que disputou desde então.

Ainda na primeira fase a seleção derrotou a Polônia.

Depois, na segunda fase, foram mais 3 vitórias.

A seleção derrotou o Egito, a Argélia e os Estados Unidos.

Ontem o Brasil venceu a França por 3 a 1. 

Os Estados Unidos acabaram em décimo lugar, a Polônia em décimo primeiro e a França na décima segunda posição. 

      

Por Bruno Voloch às 14h58

Sérvia e Irã decidem mundial infanto pela primeira vez na história

Os favoritos decepcionaram nas semifinais do mundial infanto-juvenil realizado na Itália.

Neste Sábado na cidade de Jesolo, a Sérvia derrotou a Rússia por 3 sets a 0.

Parciais de 25/20, 25/22 e 25/22 em uma hora e dez minutos de jogo.

Uros Kovacevic com 17 pontos foi o destaque da Sérvia.

Na outra semifinal, o Irã arrasou a Argentina também por 3 sets a 0.

As parciais foram de 25/18, 25/23 e 25/22.

Irã e Sérvia se enfrentaram na fase de classificação e os iranianos ganharam com tranquilidade por 3 a 0.

O jogo aconteceu no dia 30 de Agosto, pelo grupo B na cidade de Bassano del Grappa.

Essa é a primeira vez que Irã e Sérvia vão decidir o mundial.

A decisão acontece neste Domingo.

 

Por Bruno Voloch às 14h41

04/09/2009

Cidade de Brasília vai ganhar equipe feminina

Ótima notícia para o vôlei brasileiro.

Nos próximos dias será anunciada a formação de uma equipe de vôlei feminino.

A sede será em Brasília e o patrocinador deverá ser divulgado até o fim da semana que vem.

O técnico do time será Cacá Bizzochi.

O último trabalho de Cacá foi como assistente técnico de José Roberto Gumarães na Olimpíada de Atenas em 2004.

A cidade de Brasília está sem representante na Superliga desde a saída da Brasil Telecom que na época foi para Santa Catarina.

Cacá já fez contatos com algumas jogadoras.

As experientes Angela Moraes, Arlene e Fabiana Berto podem fazer parte do novo time.

É idéia de Cacá trazer também algumas jogadoras da seleção juvenil.

O Presidente da CBV Ary Graça já disse ao futuro patrocinador que o convite da entidade "está de pé", bastando somente que os pré-requisitos sejam preenchidos.

O prazo dado pela CBV ao novo patrocinador é até o dia 10 deste mês.          

Por Bruno Voloch às 14h00

Presidente Ary Graça faz sérias denúncias e acusa Irã e Índia de jogarem com "gatos"

O Presidente da CBV, Ary Graça, ao ler o blog e minha coluna semanal do Jornal do Brasil resolveu se explicar sobre o "fracasso" da seleção infanto-juvenil masculina no campeonato mundial da Itália.  

E mais.

Ary fez denúnicas graves sobre as seleções do Irã e da Índia.

Segundo o Presidente da entidade, o time do Irã e da Índia que disputam o mundial é formado por "gatos".

Os jogadores mentem na idade real, são mais velhos, a federação falsifica a identidade ou passaporte e os atletas se passam por mais novos.

O alerta já havia sido feito pelo treinador Percy Onken, campeão mundial com a seleção juvenil, e que também dirige a seleção infanto.

Segundo a CBV, em um determinado mundial das categorias de base todos os jogadores do Irã tinham a mesma data de nascimento.

Ainda sobre o resultado ruim da seleção infanto, Ary ressaltou que a FIVB "errou" ao colocar sem critério algum no mesmo grupo forças como Brasil, Rússia, Polônia e os "gatos" da Índia na primeira fase.

Perder para a Rússia, até foi considerado um resultado normal para Ary, mas no jogo seguinte o Brasil acabou derrotado e eliminado do mundial pelo time de"gatos" da Índia.

O Brasil já encontrou um aliado nessa "guerra" contra os "gatos". 

A Polônia, junto com o Brasil, confirmou que vai entrar nos próximos dias com uma representação oficial na FIVB, Federação Internacional de vôlei, contra essa situação, exigindo providências e a averiguação dos documentos dos jogadores das seleções em questão. 

O Irã é um dos semifinalistas do mundial e decide nesta Sábado uma vaga na decisão contra a Argentina.

Perguntado sobre o porque da seleção infanto e a seleção juvenil serem dirigidas pelo mesmo treinador, Percy Onken, Ary disse que é apenas uma opção da confederação. 

O mundial juvenil é jogado por atletas até 19 anos de idade.

Já no infanto a idade limite é 17 anos.    

Por Bruno Voloch às 09h56

03/09/2009

Brasil vence Estados Unidos e segue na briga pelo nono lugar no mundial infanto

De virada, a seleção brasileira infanto-juvenil masculina derrotou os Estados Unidos em jogo válido pelo campeonato mundial.

A partida foi realizada no ginásio Palasport Bassano, em Bassano del Grappa, na Itália.

Os Estados Unidos venceram o primeiro set por 25/22.

O Brasil se superou e virou com um triplo 25/23 em quase duas horas de partida.

Essa foi a quarta vitória consecutiva da seleção.

Depois de perder para Rússia e Índia na primeira fase e ser eliminado, o Brasil venceu Polônia, Egito, Argélia e hoje os Estados Unidos.

Mesmo com a derrota, os Estados Unidos se classificaram também para a disputa do nono lugar. 

No outro grupo dos eliminados, Polônia e França passaram para a próxima fase.

No próximo sábado, o Brasil enfrenta a França.

Se passar, a seleção encara na luta pelo nono lugar o ganhador de Estados Unidos e Polônia no domingo.

Por Bruno Voloch às 15h42

Argentina e Rússia perdem invencibilidade, mas estão nas semifinais do mundial infanto masculino

A Argentina ainda pode sonhar com o título do mundial infanto-juvenil masculino.

Porém a invencibilidade caiu na última rodada da segunda fase.

Hoje a Argentina perdeu para a Itália, já eliminada, por 3 sets a 2.

As parciais foram de 16-25, 25-23, 20-25, 25/13 e 10/15.

A partida teve duração de uma hora e cinquenta minutos.

Com o resultado negativo, a Argentina deixou escapar o primeiro lugar do grupo E para a Sérvia que venceu a Índia por 3 a 0. 

No grupo F, a Rússia foi derrotada pelo Irã por 3 a 0 em apenas uma hora de jogo.

Com isso os iranianos ficaram em primeiro com 6 pontos e a Rússia, até então invicta, em segundo.

Nas semifinais, a Sérvia vai enfrentar a Rússia e a Argentina brigará por uma vaga na decisão contra o Irã.

Por Bruno Voloch às 15h29

02/09/2009

Ainda no campeonato mundial infanto, Argentina segue invicta e já é apontada como favorita ao título

Cada esporte a história é diferente.

A rivalidade entre Brasil e Argentina é que não vai mudar nunca, ainda mais nessa semana de jogo pelas eliminatórias para a copa do mundo.

Mas no vôlei , cada geração a história também é diferente.

O time masculino infanto-juvenil da Argentina vem provando isso.

Depois de liderar a fase de classificação com 6 pontos, 3 vitórias em 3 jogos sobre Espanha, França e Argélia, a Argentina segue 100% na segunda fase e classificada para as semifinais.

Depois de derrotar a Sérvia por 3 sets a 2, a Argentina venceu hoje a Índia pelo mesmo placar.

Chegou a quinta vitória seguida e garantiu vaga nas semifinais do torneio.

No jogo contra a Índia, Rodrigo Solé fez 20 pontos e Ivan Castellani, filho de Daniel Castellani, marcou 16. 

Rússia, ainda invicta ao lado dos argentinos,  e Irã também estão classificados para as semifinais.

Nesta quinta-feira a Sérvia joga contra a Índia e o vencedor estará nas semifinais também.

    

Por Bruno Voloch às 14h48

01/09/2009

Zé Roberto está certo e não deve "largar o osso" após tanto sofrimento

Esse Zé Roberto não é fácil.

Inteligente como poucos e muoto bem orientado como de costume.

Tiro o chapéu.

Essa história da troca de comando das seleções rolou muito antes da olimpíada de Pequim e foi noticiada também por mim na época no Jornal do Brasil.

Era idéia do treinador Bernardinho voltar para o feminino, deixar Bruno "sem pressão" na seleção masculina e seguir um novo ciclo.

Estava até nos planos da confederação.

Acontece que os resultados do feminino e do masculino derrubaram qualquer possibilidade de mudança.

Assisti ontem a entrevista dele no SPORTV.

Zé estava tranquilo, sem maiores preocupações e não me pareceu nada no sentido de provocar o "outro lado".

Zé Roberto não pode e nem deve abrir mão do time feminino nesse momento.

Serão com certeza mais 4 anos de resultados positivos e mais sucessos do que insucessos.

Largar o "osso" agora ou depois da olimpíada como muita gente sonhava não tem sentido algum.

Zé com sua competência conseguiu o mais difícil.

Deu a volta por cima com a seleção feminina após Atenas em 2004 e soube como poucos conduzir esse grupo até Pequim em 2008.

Agora que está colhendo "os frutos" nada mais natural do que aproveitar e investir cada vez mais nas mulheres.

Todos sabem da rivalidade existente entre Zé Roberto e Bernardinho.

São dois profissionais de altíssimo nível mas que não se bicam e não falam a mesma língua.

Na única vez em que se enfrentaram, Zé Roberto aplicou um 3 a 0 nas finais da Superliga entre Finasa e Rexona.

Mas eu se fosse Zé Roberto, seguiria mesmo nessa balada, nesse ritmo de concentração e dedicação ao feminino.

Fato é que dificilmente a gente vai ver novamente um treinador ganhar medalha de Ouro com feminino e masculino como Zé fez.

      

   

    

Por Bruno Voloch às 14h29

Já sem chances de brigar pelo título, Brasil derrota Egito no mundial infanto-juvenil

O Brasil conquistou a segunda vitória no campeonato mundial infanto-juvenil. 

Nesta terça-feira na cidade de Bassano del Grappa, na Itália, o Brasil derrotou o Egito por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/20 e 25/22.

O destaque brasileiro foi Vítor com 15 pontos.

O Brasil, que não pode mais brigar pelo titulo, se concentra agora na disputa do nono ao 16º lugares.

Nesta quarta-feira, a seleção joga contra a Argélia, a partir das 5h (de Brasília). 

Por Bruno Voloch às 14h11

31/08/2009

Mundial do Japão 2010 conhece os 24 participantes

Finalmente, estão definidas as 24 seleções que vão disputar o campeonato mundial feminino em 2010 no Japão.

Nesse fim de semana, as quatro últimas vagas foram preenchidas.

Canadá, Costa Rica, Coreia e Cazaquistão foram os últimos classificados. 

Esses países se juntarão ao Japão, país-sede, Rússia, atual campeã, Brasil, Peru, República Dominicana, Cuba, Estados Unidos, Porto Rico, Quênia, Argélia, China, Tailândia, Itália, República Tcheca, Sérvia, Croácia, Turquia, Polônia, Alemanha e Holanda.

Por Bruno Voloch às 15h50

Decepção com a seleção infanto não causa surpresa nenhuma

Não dá para ganhar sempre.

Lembro que quando a seleção infanto perdeu o sul-americano para a Argentina cheguei a comentar no blog que o resultado era "estranho" demais.

Ouvi gente ligada a comissão técnica afirmando que a Argentina mereceu, jogou mais e essa geração deles ainda vai dar muito trabalho.

Pode até ser, não dúvido.  

A Argentina, diferente do Brasil, segue viva no mundial com 3 vitórias.

Ganhou da França, Argélia e Espanha na primeira fase.

Claro que existia uma expectativa enorme em cima dessa seleção infanto masculina nesse mundial da Itália.

Afinal, todas as categorias de base do Brasil estão conseguindo resultados expressivos nos últimos anos.

Lembro que a seleção masculina juvenil, do mesmo Percy Oncken, ganhou a medlaha de Ouro no Mundial de Pune, na Índia.

Isso sem falar no feminino, onde ganhamos mais duas medalhas.

O Ouro no Mundial infanto-juvenil em Nakhon, Tailândia, e o bronze no Mundial juvenil em Mexicali, México.

Então nada mais natural do que esperar uma boa participação nesse mundial infanto masculino.

Mas ser eliminado na primeira fase foi de fato triste, mas não supreendente, confesso.

Perder para a Rússia na estréia, até pode acontecer porque perdemos para um adversário de muita tradição.

O jogo contra a Índia era decisivo.

Perdemos de 3 a 2.

Não me sinto à vontade e não acho justo falar em termos técnicos do jogo porque não tivemos acessos as imagens da partida.

Sei que muitos vão dizer que o vôlei da Índia evoluiu também nos últimos anos, mas estamos muito na frente deles, desculpe.

Pode acontecer também que a "safra" não seja das melhores.

Mas a queda de rendimento nessa categoria é preocupante.

O Brasil conquistou até hoje em sua história seis medalhas de Ouro na categoria.

O último título foi em 2003.

Em 2005, o Brasil foi vice-campeão e em 2007 terminou apenas na sétima colocação.

E agora ?

Não existe crise o que precisa existir talvez seja rever valores, nomes e até que ponto é interessante ter o mesmo profissional nas duas categorias.

Não estou fazendo críticas ao trabalho de Percy, longe disso, mas não seria mais corente ?

Igual na feminina onde Luizomar de Moura e Antônio Rizola dividem as seleções.

Ou não temos profissionais capacitados ?

É preciso também ter cautela e não queimar Eykman, Marcelo ,Renan ,Lucarelli, Otávio, Victor e o líbero Gentil.

São meninos ainda que podem ainda nos trazer muitas alegrias.  

O vôlei assim como o futebol, onde joga, onde disputa campeonato entra como favorito e qualquer tropeço é motivo de ligar o sinal de alerta. 

 

Por Bruno Voloch às 14h16

Japão, Irã, México e Canadá estão classificados para o mundial masculino da Itália

Mais quatro seleções garantiram vaga no mundial masculino adulto.

México, Canadá, Japão e Irã.

A competição será jogada em 2010 na Itália.

Em Guadalajara, o México derrotou a República Dominicana por 3 sets a 2 com 15/12 no quinto set.

O Canadá fez 3 a 0 na frágil seleção do Panamá.

No quadrangular asiático, o Japão ganhou as 3 partidas que realizou contra Irã, Coréia e Cazaquistão.

O Japão fez 3 a 1 contra o Cazaquistão, repetiu a dose diante do Irã e marcou 3 a 0 contra a Coréia. 

A segunda vaga foi para o Irã que vai disputar pela primeira vez o campeonato mundial.

Por Bruno Voloch às 13h47

Coréia e Cazaquistão carimbam passaporte para o mundial do Japão

As seleções da Coreia e do Cazaquistão conquistaram nesse último fim de semana a classificação para o campeonato mundial feminino do Japão. 

Na última rodada do quadrangular , a Coréia derrotou Taiwan por 3 sets a 1, parciais de 25-15, 25-20, 23-25 e 25-20, terminando invicta e na liderança.

Já o time do Cazaquistão passou pela fraca Nova Zelândia por 3 sets a 0 com 25-8, 25-8 e 25-9.

A Ásia terá no Mundial ainda China, Tailândia e Japão, o país-sede.

Por Bruno Voloch às 12h00

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.