Blog do Bruno Voloch

07/11/2009

Sem poder contar com Stanley, Zenit perde semifinal do mundial de clubes para Belchatow

O Belchatow da Polônia é o primeiro finalista do mundial de clubes que está sendo jogado em Doha no Qatar.

O time derrotou agora pouco o Zenit Kazan da Rússia por 3 sets a 1 e aguarda o vencedor de Trentino e Paykan do Irã.

Mas a partida semifinal não foi fácil.

O Zenit ganhou com sobras o primeiro set por 25/15 em apenas 20 minutos.

A partir do segundo set o Belchatow equilibrou o jogo.

Ganhou apertado o segundo por 25/23.

No terceiro set o jogo continuou muito disputado mas o Belchatow venveu por 25/21 abrindo 2 a 1 e ficando perto da decisão.

O time do Zenit dominou o quarto set e teve oportunidade para fechar o set. O Belchatow foi buscar o placar e numa virada sensacional fez 26/24 em 33 minutos ganhando por 3 sets a 1 a partida.

Kurek, assim como na partida contra a Cimed, arrebentou com o jogo.

O jogador marcou 28 pontos e foi o melhor jogador da partida. Foram 26 pontos de ataque, 1 de bloqueio e 1 de saque.

Antiga fez 13 e Mozdonek fez 8, sendo que 6 de bloqueio.

Pelo Zenit, que não contou com o norte-americano Stanley contundido, se destacaram Tetyukhin e Cheremisin.

Tetyukhin fez 24 pontos e Cheremisin 23.

Panteleymonenk ainda ajudou com 18 pontos.

O Belchatow segue invicto no mundial.

 

Por Bruno Voloch às 15h28

06/11/2009

Qual será a decisão do campeonato mundial de clubes ?

O mundial de clubes voltou a ser disputado após 17 anos.

Nas 4 edições jogadas até hoje, somente equipes italianas ficaram com o título.

O extinto Banespa esteve presente em todos os mundiais e chegou perto duas vezes. Em 1990 e 1991, quando em São Paulo perdeu a decisão para o Ravenna.   

Em 2009 o Brasil teve na Cimed o seu representante, mas decepcionou e caiu ainda na primeira fase.

Era a esperança de um título que o vôlei brasileiro jamais havia conquistado.

Restaram 4 equipes.

Sábado jogam na primeira semifinal, Zenit da Rússia contra Belchatow da Polônia.

Depois o Trentino, atual campeão europeu pega o supreendente Paykan do Irã.

blog quer saber sua opinião e pergunta qual será a decisão do mundial de clubes ?

O campeão será conhecido no Domingo e receberá da FIVB 250 mil dólares de premiação.

Por Bruno Voloch às 14h34

Trentino não é Cimed e vai estar na decisão do mundial

Neste Sábado acontecem as semifinais do mundial de clubes que está sendo jogado em Doha no Qatar.

Primeiro jogam Zenit da Rússia contra Belchatow da Polônia.

Promessa de um jogo equilibrado e sem favoritos. Teoricamente pela classificação na primeira fase a equipe polonesa poderia ser apontada como favorita porque terminou na primeira colocação do grupo A e sem perder nenhum jogo.

Isso teoricamente. Porque do outro lado vai estar um time bem montado, com o melhor levantador do mundo Lloy Ball e que mesmo tendo perdido para o Trentino mostrou que tem potencial para ganhar o mundial.

Duelo de Turek contra Stanley. Mas o Zenit ainda conta com Tetyukhin e Panteleymonenko. Antiga pelo Belchatow também é um jogador interessante, mas não capaz de desequlibrar um jogo.

Será um duelo interessante no meio entre os centrais Apalikov do Zenit e Mozdzonek do Belchatow.

Stanley pode ainda fazer a diferença no saque, ainda mais nessa regra. Em 3 jogos o jogador fez 7 pontos nesse fundamento.

Fundamento que ganha jogo. Os poloneses contam com Falasca mas abaixo de Stanley em termos técnicos. Não é tão regular e mais previsível que o norte-americano.

Apontar um favorito ?

Difícil, mas pelo pouco que vi dos dois times, conheço mais o Zenit, ficaria com o time russo.

Puro palpite. Teríamos na decisão Zenit e Treviso.

As equipes voltariam a se encontrar no Domingo.

Sim, tem ainda a semifinal do Trentino contra o Paykan do Irã.

Nem deve dar jogo, sinceramente falando.

O Trentino tem uma enorme vantagem para a decisão. Deve se desgastar muito menos e usar o jogo da semifinal como um treino de luxo.

O time iraniano "achou" a vaga na semifinal quando ganhou de presente a vitória contra a Cimed na abertura do mundial.

Está de bom tamanho.

O Trentino não é só Leandro Vissoto, terceiro maior pontuador do mundial.

O Trentino tem mais bagagem e conta com um time muito forte individualmente falando.

Gosto do cubano Osmany Juantonera que está sacando muito pesado, do ótimo e regular búlgaro Kaziyski, fora Birabelli e Sala que são muito efetivos.

O levantador brasileiro Raphael joga simples e com bolas de segurança sem inventar ou fugir do habitual. Passa tranquilidade para o restante da equipe.

Mas o Trentino não é Cimed.      

 

 

Por Bruno Voloch às 14h21

Sábias e corajosas declarações de Bruno, levantador da Cimed

Esse garoto vai mesmo longe.

Gosto do seu jeito de agir e falar.

Terminado o jogo contra o Belchatow da Polônia, o levantador Bruno admite que a preparação para o mundial foi errada.

Ele diz abertamente que todos acharam que uma semana e meia de preparação seria suficiente, mas que encontraram mais dificuldades do que imaginavam.

Sinceridade é isso e coragem para falar logo após a eliminação ainda na fase de classificação.

Disse ele que é preciso aprender a lição, mas um sinal de que só a técnica não é o suficiente para se vencer.

A fórmula ainda está sendo testada, mas ficou evidente que o levantador reprovou a novidade da FIVB.

Acho somente que Bruno abusou quando acusou a entidade de beneficiar diretamente os iranianos, uma vez que o time do Irã já tinha atuado com a Golden Formula.  

Pode até ser.

Trata-se de uma acusação séria.

Mas não me parece meu caro Bruno, que a derrota no primeiro jogo tenha sido somente pela nova regra.

Inteligente como você é, sabe que seu time ficou devendo e muito nesse mundial.

    

Por Bruno Voloch às 01h04

Cimed precisa assumir responsabilidade pelo fracasso no mundial

Tenho o maior respeito pela equipe da Cimed, pela comissão técnica e pelos torcedores também, mas não me venham como essa agora.

A desculpa pela eliminação no mundial de clubes foi a nova regra.

Isso me parece discurso ensaiado pelo fracasso.

Sim, porque foi um fiasco a participação da Cimed.  

A nova regra não era só para a Cimed e sim para 7 dos 8 participantes.

Digo isso porque nem todos tiveram o mesmo periodo para treinamento e adaptação, uma vez que os iranianos já tinham jogado com essa regra antes.

O que a gente pode discutir é se esse tempo de treinamento foi o suficiente.

Mas todos os times tiveram ou estão tendo o mesmo grau de dificuldade.

Nesse caso ganha quem for melhor tecnicamente. E me desculpe a Cimed, mas em nenhum dos 3 jogos o time foi sombra da equipe campeã brasileira e sul-americana. 

A estréia foi desastrosa contra o Payakan do Irã.

No jogo de despedida a Cimed perdeu porque errou acima da média.

36 pontos para o adversário.

É verdade que a Cimed encontrou Bartosz Kurek.

21 anos e mais de 2 metros de altura e muito técnico.

Kurek fez 33 pontos, sendo 31 no ataque, um no bloqueio e um no saque.

Vejo esse cara como um atacante ideal para a nova regra.

A Cimed teve teve dificuldades nas bolas altas, que são fundamentais com a regra nova, do primeiro ataque atrás da linha dos três.

Bruninho tentou acelerar o jogo mas não foi feliz. 

Como pode Thiago Alves ficar sem pontuar durante um set inteiro na passagem de rede ? 

Lucão se esforçou, bateu bola pela entrada de rede, mas faltou mesmo aquela bolinha de velocidade no meio da rede.

O oposto Bob não estava bem e Pacheco o substituiu por Jamelão, mas o canhoto também não foi eficiente.

Para os ponteiros fica ainda mais complicado, porque o ataque pela posição 5 não é muito comum.

Foi uma Cimed estranha, que não estamos acostumados

Não jogou com a velocidade habitual, sem jogadas rápidas com os meios-de-rede e com com as bolas mais altas, onde os ponteiros foram sobrecarregados.

Nem mesmo as bolas de segunda de Bruninho salvaram o time.

A responsabilidade pelo fracasso é de todos. Nem o mais pessimista torcedor da Cimed poderia esperar um resultado tão ruim.

E não culpem a nova regra. Ela foi feita para todos.  

Pela diferença técnica entre algumas equipes, a Cimed tinha obrigação de estar pelo menos na semifinal.

A nova regra pode ter tido uma dose de culpa, mas a Cimed precisa assumir a responsabilidade pelo fracasso no mundial.

Não era para ser assim.

As derrotas naturalmente são dolorosas, ainda mais para a Cimed que ganhou quase tudo que disputou nos últimos 5 anos no Brasil.

Mas espero que essa experiência tenha trazido alguma lição para o clube.

Na vida é assim e no esporte é assim.

Aprendemos com os erros. 

 

 

     

Por Bruno Voloch às 00h36

05/11/2009

Na base da política do futebol, Sada/Cruzeiro demite treinador Talmo

Como no futebol, sobrou para o treinador.

No vôlei também é assim. E a nova vítima foi o técnico Talmo Oliveira que dirigia a equipe mineira do Sada/Cruzeiro.

Campeão olímpico em 1992, Talmo Oliveira assumiu a equipe na metade da temporada 2006/2007 e sob seu comando o time foi campeão mineiro em 2008 e chegou às semifinais da Superliga 2008/2009, ficando com o terceiro lugar.

Em 2009, O Cruzeiro foi campeão da Copa Santa Catarina em setembro, e bronze no Campeonato Sul-Americano.

O fracasso no campeonato mineiro foi o motivo alegado pelos dirigentes.

O Cruzeiro terminou apenas na terceira colocação a competição sendo eliminado nas semifinais pelo Montes Claros que acabou campeão ao vencer o Minas na final.

A direção do clube deve divulgar o nome do novo técnico nos próximos dias e o assistente Marcelo Ramos assume interinamente.


    

Por Bruno Voloch às 09h31

Zenit abre terceiro dia do mundial com vitória e se classifica para as semifinais da competição

O Zenit Kazan da Rússia se recuperou rápido da derrota para o Trentino da Itália.

Na abertura da terceira rodada, pelo grupo A, o time russo derrotou o Zamalek do Egito por 3 sets a 0 com parciais de 25/18, 25/13 e 25/11.

O jogo teve apenas uma hora e dez minutos de duração.

O norte-americano Stanley foi o maior pontuador da partida fazendo 13 pontos.

Com um jogo a mais, o Zenit assumiu provisoriamente a primeira colocação do grupo, mas deve mesmo ficar em segundo lugar.

O Trentino da Itália precisa derrotar o Corozal de Porto Rico, que ainda não ganhou no mundial, para confirmar a vaga como primeiro colocado.     

Por Bruno Voloch às 09h20

03/11/2009

Montes Claros ganha campeonato mineiro pela primeira vez na história

Montes Claros quer mesmo escrever seu nome na história do vôlei nacional. E começou bem.

De virada e jogando fora de casa, o Montes Claros derrotou a tradicional equipe do Minas e conquistou o titulo do campeonato mineiro da temporada 2009 pela primeira vez na história.

Justamente em 2009 ano de fundação do clube.

O jogo foi decidido apenas no tie-break.

O Minas abriu 2 a 0 com tranquilidade fazendo 25/20 e 25/23. O titulo parecia perto.

Mas a derrota no terceiro set parece ter mudado o jogo. A parcial de 25/12 a favor do Montes Claros mexeu com o emocional do Minas que curiosamente passou a jogar pressionado. 

No quarto set Montes Claros fez 25/23 e no quinto set ganhou com autoridade por 15/11.

O Minas do treinador Marcão contou com o levantador Rafael, André Heller, Maurício, André Nascimento, Henrique, Minuzzi e o líbero Serginho.

Montes Claros jogou com  Ezinho, Lorena, Diogo, Rodriguinho, Acácio, Deivid e o líbero Brendle. Entraram ainda Piá e Salda. O técnico é Marcelo Mendez.

O Cruzeiro ficou em terceiro lugar.

Com apenas 4 mêses de vida, Montes Claros ganhou seu terceiro e mais importante título.

O primeiro foi o Circuito Internacional de Vôlei, realizado em agosto, em Montes Claros. A equipe venceu as três partidas disputadas com o Sada Cruzeiro e a Seleção da Argentina Sub-23.

Depois o Montes Claros Funadem participou do Desafio Globo Minas, em Belo Horizonte , sagrando-se campeão, numa  vitória de virada por 3 sets a 1 sobre o Sada/Cruzeiro.

Montes Claros em quarto mêses jogou 17 partidas com 10 vitórias e três títulos. 

Por Bruno Voloch às 08h25

Jesi de Sokolova lidera com folga campeonato italiano

O Jesi da russa Sokolova segue líder isolado do campeonato italiano após 4 rodadas com 11 pontos.

No último fim de semana o Jesi derrotou o Conegliano por 3 sets a 1, com parciais de 20/25, 25/19, 27/25 e 25/20 em 1 hora e 49 minutos de partida.

Liubov Sokolova foi a maior pontuadora da partida com 30 pontos, 23 de ataque, 3 de bloqueio e quatro de saque.

A ponteira Rinieri ainda fez 15 pontos perlo Jesi. A sérvia Brakocevic fez 18 pontos mas não evitou a quarta derrota seguida do time que ocupa a zona de rebaixamento com apenas 2 pontos.

Nos demais jogos o Villa Cortese assumiu a vice liderança com 10 pontos depois de vencer o Castellana Grotte por 3 sets a 0. 

A ponta Áurea Cruz de Porto Rico fez 15 pontos e a oposto cubana Aguero marcou 13 vezes. 

Pela equipe do Castellana Grotte, a ponta Soninha fez 5 pontos todos em ataque. O Castellana é o último colocado.

A equipe do Scavolini Pesaro derrotou o Chateau Urbino por 3 sets a 1 com 18 pontos de Carolina Costagrande. O Pesaro é o quarto com 9 pontos.

 

 

O Perugia perdeu mais uma no campeonato. Dessa vez a derrota foi para o Bergamo da levantadora Lo Bianco por 3 a 0.

 

 

O Perugia tem apenas 3 pontos na nona colocação e o Bergamo é o terceiro com 9 pontos.

 

 

Ortolani e Del Core marcaram 14 pontos cada pelo Bergamo.

 

 

Em casa o Novara suou para fazer 3 sets a 2 no Pavia. A ponta italiana Barcellini do Novara foi o grande destaque da partida com 25 pontos. A norte-americana Logam Tom fez 20 e Irina Kirilova marcou 7.  

 

 

 

O Novara é o sexto com 7 pontos e o Pavia o décimo com 3.

 

 

A equipe do Busto Arsizio da levantadora Fernandinha fez 3 a 0 no Piacenza e ocupa a quinta colocação com 3 vitórias e uma derrota.

Por Bruno Voloch às 08h09

02/11/2009

Título brasileiro era questão de tempo para Talita e Maria Elisa dá lição na federação carioca

Muita gente escreveu pedindo para que eu falasse um pouco sobre a conquista de Talita e Maria Elisa no vôlei de praia.

É o que eu tenho obrigação de fazer e faria de qualquer maneira. Mas posso falar pouco mesmo, porque quase não conheço Maria Elisa, confesso.

De qualquer forma menina, muito prazer.

Tem gente no blog que insiste em dizer que "protejo" Juliana e Larissa e que não abro espaço para as demais duplas.

Imagina. Elas não precisam de proteção.

Apenas acho que Juliana e Larissa também merecem espaço pelo que fizeram e ainda vão fazer, tomara.

Fora isso, sempre se mostraram maduras, apesar da pouca idade e com maturidade suficiente para entender as críticas, situação rara no meio do esporte.

Aliás a conquista de Talita e Maria Elisa, interrompe a série vitoriosa de Larissa , que venceu as últimas quatro edições da competição. As três primeiras ao lado de Juliana e a última formando parceria com a paraense Vivian.

Mas voltando ao nosso tempo, posso falar um pouco melhor de Talita que pude entrevistar diversas vezes.

Sei sua história e lembro dela. Com apenas 19 anos, Talita chamou a atenção da campeã olímpica Jaqueline Silva. Aliás, foi ela uma das responsáveis pela evolução de Talita. As duas jogaram juntas pela primeira vez, na etapa de Maceió, em 2001.

Jackie se impressionou com estilo da jovem jogadora e a convidou para se mudar para o Rio e formar uma nova parceria ao seu lado, em 2002.

Em 2003, foi campeã da etapa de Goiânia , jogando com Taís, e ao lado de Giseli Gavio, disputou o circuito italiano, terminando em quarto lugar no ranking.

Posso também falar de Abel, treinador da dupla, mas infelizmente não tive ainda o prazer de estar pessoalmente com Maria Elisa.

O circuito esse ano foi mal divugado e sem televisão o que contribuiu muito para essa situação. Aliás, não consigo sinceramente entender como a CBV não vende o produto. Bom tema, diga-se de passagem.

Mas até onde sei, foram mais de 100 vitórias e nove conquistas em 2009.

6 no Brasil e 4 no circuito mundial. É bom lembrar que a dupla acabou com o vice-campeonato do mundial.

Números consideráveis e uma invencibilidade de 15 jogos.

Talita estava "batendo na trave" faz tempo. Demorou até para ganhar seu primeiro título na carreira.

Talita foi vice-campeã nas temporadas 2006 e 2008. 

A jogadora formou a partir de 2005 uma parceria interessante com Renata, chegaram até a Olimpíada de Pequim onde muitas duplas não imaginavam, elas sabem disso.

Em Pequim faltou experiência para conquistarem a medalha de bronze.

Vejo Talita com mais personalidade, uma boa jogadora boa de bloqueio e que precisa evoluir em outros fundamentos.

E a vergonhosa federação do Rio de Janeiro aparece até nessas horas.

Soube desse e não me contive. 

E Maria Elisa não esquece também.

Para a jogadora ganhar em Recife teve um sabor especial. Ela é fluminense de Resende, mas em 2005, a atleta não conseguiu registro na federação do Rio de Janeiro. Registro, coisa básica, leia-se papelada.

Maria Elisa não desistiu e como sua parceira na época Carla, era de Pernambuco, veio o convite da federação do estado para que a dupla fosse treinar no local e a oferta do pagamento de passagens aéreas para a disputa do Circuito Brasileiro.

O título fica em boas mãos.

Por Bruno Voloch às 09h34

01/11/2009

Desgaste pode ter sido o diferencial para o título do Sesi

O segundo título da história do jovem time do Sesi foi ganho merecidamente.

E novamente em cima do São Bernardo como havia acontecido na Copa São Paulo jogada em Agosto.

Mas São Bernardo dessa vez valorizou demais a conquista, porém talvez tenha errado na estratégia.

Digo talvez. Não sei qual era a prioridade do time e da direção do clube, acontece que o Sesi jogou e participou do campeonato focado apenas em uma só competição, diferente de São Bernardo.

Pode sim ter feito a diferença, mas não dá para afirmar que esse tenha sido o motivo da derrota na decisão.

Falando do jogo, no primeiro set Sesi desmontou o passe do São Bernardo e ganhou como quis por 25/14, uma parcial atípica para o equilíbrio dos dois times.

O segundo set foi melhor de assistir. O jogo cresceu em emoção tanto que Serginho e Anderson discutiram no fim do set após uma marcação duvidosa da arbitragem.

Fatos normais para uma final de campeonato, mas com 28/26 achei que o São Bernardo iria entrar de vez no jogo.

Nada disso.

Com destaque para o central Sidão, o Sesi ficou novamente na frente com 25/21 ao vencer o terceiro set.

A história do segundo set parecia que iria se repetir no quarto. Mas São Bernardo que chegou a abrir 3 pontos não teve forças para manter a vantagem no placar.

Aos poucos o Sesi foi diminuindo a vantegem até empatar e virar o jogo.

Forte e bem posicionado na defesa, o Sesi fez 27/25 e ganhou o set, a partida e o título de 2009.

No geral o ataque do São Bernardo não funcionou como de costume e o Sesi apresentou um volume de jogo impressionante. 

A questão de justiça é relativa, mas preciso admitir que o título está muito bem entregue.

Confesso que a vitória por 3 a 0 no dia 25 do mês passado me fez achar que o Sesi dificilmente ganharia o título tendo que vencer naquela altura dois jogos seguidos e um na cada do adversário para ganhar o campeonato. E fez.

São Bernardo pagou caro por não ter fechado o campeonato na segunda partida quando teve 7 oportunidades de liquidar a partida.

São filosofias diferentes nos dois clubes.

São Bernardo forma atletas há anos com as tradicionais peneiras, enquanto o Sesi tinha um time mais rodado.

No jogo final por exemplo, lá estavam Michael, Renan, Najari, Isac, Fidele, Maurício e Gian formados nas dvisões de base.

E no extinto Santander apareceram Daniel, Murilo, Jotinha, Sidão e Léo, hoje no Sesi e campeões em cima do São Bernardo que os criou.

Giovane mostrou que tinha razão ao brigar tanto pela contratação de Murilo.

Anderson que foi muito criticado pelo blog, teve um final de paulista que nos fez lembrar os bons tempos de seleção.

Mas achei Filipe o mais regular de todos os atletas.

Firme e sempre bem fisicamente, o jogador foi imprescindível na conquista inédita do Sesi.

Não posso deixar de citar Giovane Gávio, que teve a competência de montar um bom time, com estrelas, assumiu a responsabilidade e soube conviver com a pressão de ter que ganhar o tempo inteiro.   

Por Bruno Voloch às 09h57

Montes Claros elimina Cruzeiro e disputa final do mineiro contra Minas

O que muitos apostavam não aconteceu.

No início do campeonato mineiro masculino a maioria dava como certa a decisão entre Minas e Cruzeiro.

Porém na primeira semifinal, Montes Claros derrotou de virada o experiente time do Sada/Cruzeiro por 3 sets a 2 e se classificou para a decsião.

As parciais foram de 22/25, 25/20, 18/25, 25/19 e 15/11. 

O oposto Lorena fez 24 pontos e foi o nome da partida.

Montes Claros contratou para essa primeira temporada jogadores rodados como Ezinho, Rodriguinho, Acácio e Piá.

O Cruzeiro contou com Sandro, Leandrão, Douglas Cordeiro, Renato Felizardo, Bob, Bruno Zanuto e o líbero Polaco. 

Na outra semifinal, o Minas venceu com tranquilidade a equipe da Faculdade Politécnica/UTC por 3 sets a 0.

O Minas jogou com Rafael, André Heller, Maurício, André Nascimento, Henrique, Minuzzi e o líbero Serginho.

Minas, Montes Claros e Sada/Cruzeiro serão os 3 representantes do vôlei mineiro na Superliga 2009/2010.

A decisão do campeonato acontece nesta segunda-feira às duas horas na arena Vivo.  

Por Bruno Voloch às 09h17

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.