Blog do Bruno Voloch

24/12/2009

Na véspera do Natal, Paula Pequeno e Walewska perdem título na Rússia

A jogadora Paula Pequeno segue tendo dificudades em se adaptar ao europeu e vai colecionando derrotas na Rússia.

O time dela e da central Walewska, Zarechie Odintsovo, perdeu dessa vez a decisão da Copa da Rússia para o Dínamo de Moscou por 3 sets a 2 com parciais de 25/20, 25/17, 19/25, 20/25 e 15/11.

A italiana Gioli foi a maior pontuadora do Dínamo de Moscou. A experiente Godina foi fundamental nos momentos decisivos, especialmente no quinto set.

Como de hábito, Kosheleva e Fateeva foram as mais eficientes do Odintsovo.

O time de Paula e Walewska tentava ganhar o título depois de 2 anos sem conquista. Em 2008 a Universitiet Belgorod ganhou o campeonato e o Dínamo levanta a taça após 5 anos de jejeum na Copa da Rússia.

O Odintsovo faz péssima campanha na Champios League, perdeu os 3 jogos que disputou e amarga a última colocação de seu grupo.

Por Bruno Voloch às 08h30

23/12/2009

Cimed vence e Bruno com dedo em riste discute com companheiro de time

Estava pronto para falar da rodada do masculino e especialmente da vitória da Cimed contra o Sesi.

Termina o jogo e uma cena chama me chama atenção:

Bruno com dedo em riste discute com Renato assim que acaba o jogo. Confesso que achei que estivesse vendo coisa demais, pode acontecer, mas embora tenha faltado sensibilidade ao diretor de tv, vi o que todos realmente viram.

Posso estar cometendo uma injustiça com o diretor de tv e se estiver me desculpo, pois o mesmo pode ter sido orientado a não mostrar as imagens, mesma orientação que deve ter dito o repórter.

Porque não acredito que um profissional no meio da quadra e envolvido com o jogo não tenha visto tal cena. Impossível. Mas ordens são ordens e não devem ser discutidas e sim cumpridas.

Bruno nervoso com dedo em riste e falando alto, discutindo com Renato. O próprio Renato depois foi conversar com Schwanke pedindo ou dando explicações sobre a situação lamentável mostrada em parte ao Brasil inteiro.

Conheço Bruno desde novo, ele teve formação das melhores e seus pais são muito educados. Jogador de 23 anos, titular de seleção brasileira e tão novo, já referência para outros atletas.

Bruno poderia ter esperado o fim do jogo e no vestiário ter tomado satisfação com Renato. Mas sei que na hora e de cabeça quente é difícil segurar as atitudes.

Escrever é mais fácil deve estar pensando Bruno ao ler o blog.

Bruno, você é novo e estando certou ou errado, sabe que poderia ter "segurado a onda" como vocês mesmo dizem no esporte.  

Não sei ao certo o motivo do descontrole de Bruno, mas Renato errou duas bolas bisonhas no fim da partida. Será que foi isso ?

Ou alguma coisa do passado ? Não acredito em passado e sim no jogo contra o Sesi mesmo.

Marcos Pacheco que também conheço tem tempo, deve ter feito uma reunião no vestiário ou no hotel para apaziguar os ânimos.

Bruno deveria agora, de cabeça fria se explicar e não deixar que essa imagem fique dando margem a diferentes interpretações. Diferentes entre aspas porque foi nítido o que aconteceu e não me venham com a desculpa de que "são situações de jogo e acontecem".

Não para um cara como Bruno, capitão do time e jogador de seleção brasileira. 

 

 

Por Bruno Voloch às 09h42

São Caetano e Minas, Regla Bell e Nancy Metcalf. Duas realidades bem diferentes

Escrevi no blog ontem que se o time de São Caetano jogasse sério, concentrado e com comprometimento, ganharia de 3 a 0 de São Bernardo.

Mas não foi assim e faltou justamente um pouco mais de seriedade, mas nada que sugerisse desrespeito ao adversário. Relaxamento natural mesmo do tipo que não pode e nem deve acontecer para uma equipe que sonha com o título.

Lá na frente, bem lá na frente, esse set perdido vai fazer falta.

A derrota no segundo set serviu de alerta e as parciais nos sets seguintes mostraram que o São Caetano acusou o golpe, bastando jogar com seriedade para fazer 25/10 e 25/13 e ganhar por 3 a 1.

Essa Dayse está doida para beliscar uma vaga entre as titulares e novamente entrou bem na partida.

Vejo São Caetano com muito potencial, mas ainda bem distante do ideal. A pergunta que fica é quando esse time efetivamente vai decolar ?

Aliás, outra pergunta ?

Onde está a Regla Bell que chegou para ajudar, ser titular e nem entra quando está no banco. Me parece que a contratação foi equivocada porque já deu tempo para ela estar fisicamente inteira e colaborando com Mauro Grasso.

Destaco na rodada a boa atuação do time do Mackenzie na derrota de 3 a 2 para o Minas. Tinha certeza que não seria um jogo fácil e se tivesse um time mais rodado e experiente o Mackenzie poderia ter vencido o clássico em Belo Horizonte.

O time teve personalidade para virar a partida mas errou demais no quarto set que foi vencido pelo Minas. No quinto set o Mackenzie se entregou.

Não conheço pessoalmente, mas Juliana Carvalho fez seu primeiro jogo e atuou muito bem deixando 25 pontos. Parece ser uma atleta interessante e merece ser acomanhada. Será.

Já virou rotina, mas Nancy Metcalf carregou nas costas o Minas. Boa contratação, mas Jarbas precisa encontrar uma maneira de fazer o Minas jogar quando nancy estiver num dia ruim que pode acontecer com qualquer jogadora.

Por enquanto ela vai dando conta do recado. 

O Minas sabe que não tem time para ser campeão, mas trouxe Nancy para fazer a diferença. Ela tem feito dentro do possível e das limitações do time.

O São Caetano sabe que tem time para ser campeão, trouxe Regla Bell que até agora não disse a que veio.

Por Bruno Voloch às 09h14

Natália e Jaqueline estavam de um lado e do outro faltou uma ponteira

Que jogaço.

Osasco e Pinheiros fizeram até agora o melhor jogo da competição e me arrisco a dizer sem medo que a partida foi mais interessante do que os 3 jogos das finais do paulista.

Cada vez que vejo esse time do Pinheiros jogar me convenço de que está no caminho certo, perto de virar um dos grandes do nosso vôlei feminino e credenciado para brigar pelo título.

Mas num clássico todas as jogadoras precisam jogar e na partida de ontem Fernanda Garay esqueceu o jogo em casa e não compareceu, como se diz na gíria do esporte. Fez falta, não segurou a pressão de jogar novamente contra Osasco e parecia com o braço encolhido.

Foram apenas 9 pontos, foi para o banco e só o tempo e os próximos jogos contra Osasco vão dizer, mas estou de olho nela e seu comportamento em partidas deste nível.

As jogadoras de meio do Osasco foram melhores e mais efetivas que as do Pinheiros. Thaísa e principalmente Adenízia rodaram com mais facilidade e pontuaram mais, deixando as ponteiras mais liberadas.

Bárbara que brilhou na decisão do paulista jogou abaixo do que se esperava também. 7 pontos somente em 5 sets, mesmo desempenho de Ligia.

Lia e Juliana Costa atuaram muito bem, sem medo de errar, com disposição e se destacaram no Pinheiros. Jú Costa estava devendo uma atuação destas e saiu de cabeça erguida mesmo com a derrota.

A escalação de Ana Tiemi de início mostra que realmente a comissão técnica do Osasco está apostando na jogadora como titular. Ana foi razoável, jogou o básico e de maneira simples. A presença de Carol no banco serve de incentivo e de motivação para que Ana não deixe de se empenhar cada vez mais. Pelo que conheço de Carol ela não vai se conformar com a reserva e vai fazer de tudo para recuperar a posição. Talento ela tem e a briga será das melhores.

Ganhar o primeiro set e da maneira como foi por 32/20 diria que em termos emocionais foi fundamental para o sucesso de Osasco no jogo. Natália desequilibrou em determnadas passagens de rede e Jaqueline teve atuação firme no passe e na defesa e virou as bolas quando foi chamada.

Sassá segue ainda devendo, mas como escrevi antes do jogo, seu espírito e as declarações antes da partida contagiaram as companheiras.

Osasco precisava vencer muito mais do que o Pinheiros. Osasco tinha obrigação de dar uma satisfação aos torcedores e fez, vencendo.

Uma nova derrota, que poderia acontecer, seria ruim e deixaria o ambiente péssimo no clube. Seria mais motivos de desconfiança e cobranças, isso sem falar no aspecto emocional de perder 3 vezes consecutivas para o mesmo adversário.

O Pinheiros deve seguir trabalhando e se conscientizar que tem o time "na conta do chá ". Quando uma não joga, como Fernanda Garay, o prejuizo é grande e as peças de reposição não estão no mesmo nível. Não estou falando de Cibele que entrou muito bem e fez seu papel direito.

Se pensar que para o que investiu na temporada ganhar o paulista está de bom tamanho será um tremendo erro, pois pelo que vem jogando esse time pode ir mais longe. Depende da cabeça de cada jogadora.

 

 

 

Por Bruno Voloch às 08h45

22/12/2009

Sesi e Cimed fazem "final" antecipada da Superliga masculina

Que grande jogo teremos hoje em São Paulo.

Sesi e Cimed, os líderes frente a frente, times de melhor campanha na superliga e dois dos favoritos ao título.

6 jogos, 6vitórias e o Sesi na frente por ter perdido um set a menos que a Cimed.

Quem vencer passa as festas de fim de ano sozinho na liderança e fica como único invicto no torneio.

O Sesi costuma aproveitar o fator quadra e foi assim que conquistou o título paulista. Murilo está em ótima fase, Anderson e Filipe jogando com regularidade e Sidão eficiente no meio.

O saque e o ataque têm sido o ponto forte dos paulistas. Filipe pelo Sesi e Lucas pela Cimed são os melhores sacadores de cada time.

Numa noite inspirada podem desequilibrar.

Thiago e Renato formam a referência em termos de ataque dos catarinenses.

No bloqueio vejo a Cimed mais forte e os números mostram isso. Lucas e Éder são fortíssimos e o Sesi vai precisar jogar com muita velocidade para evitar o confronto com esses gigantes na rede. Sidão está cumprindo bem seu papel no Sesi, diga-se de passagem.

Jotinha e Bruno vão fazer um deulo interessante. Jotinha é rodado e não constuma se intimidar quando enfrenta times de ponta, caso da Cimed. Tem uma "mão" rápida e estuda demais o posicionamento do bloqueio adversário.

Bruno costuma crescer em jogos como o de hoje. Não foge da responsabilidade e sabe que como levantador titular da seleção é mais cobrado que os demais. O entrosamento pode ser o diferencial a favor da Cimed.

Nos demais jogos, o Pinheiros tem obrigação de fazer 3 a 0 no Blumenau, mas deve ficar atento com Daniel Cortina, maior pontuador do torneio.

Em Araraquara o Sada visita o Lupo e não pode nem pensar em ser surpreendido pois uma vitória pode colocar novamente o time em quarto lugar. Com 9 pontos e um joga a menos que o Minas, o Sada teoricamente mantém o quarto lugar se ganhar.

O Minas terá um jogo duro contra o imprevisível Vôlei Futuro. Jogando em casa o time de Araçatuba torna-se mais perigoso e o Minas precisa se cuidar pois ainda está inconstante na competição. É jogo aberto.

Interessante o clássico entre Santo André e São Caetano no ABC paulista. Com campanhas iguais o jogo vale o sexto lugar na tabela e será fundamental para o Santo André tentar neutralizar Gilson e William Costa, caso contrário, dificilmente ganhará a partida.

Completam a rodada Montes Claros e Cuiabá, Brasil Vôlei e Brasília e UCS contra Volta Redonda em Caxias do Sul.

Não ganhar de Brasília em casa seria uma tragédia para o Brasil Vôlei, pior do que já está.

Montes Claros deve ganhar em casa e a UCS precisa aproveitar justamente o fator casa para vencer o Volta Redonda.

    

 

 

Por Bruno Voloch às 12h05

Se o pensamento de Sassá contagiar o time de Osasco, hoje não vai dar para o Pinheiros

A rodada da superliga feminina começou com o jogo sofrível.

O Rio derrotou Macaé por 3 a 0 num jogo de baixo nível técnico e com destaque para Joycinha. O time do Rio parece mesmo ainda longe do ideal como diz Bernardinho e jogando como se diz na gíria "para o gasto".

De positivo também, além de Joycinha, foi ver Carol Gattaz novamente em quadra.

3 clássicos chamam atenção nesta rodada. Em São Caetano, o time de Mauro Grasso recebe o São Bernardo. Se jogar sério e com comprometimento, São Caetano faz 3 a 0 com tranquilidade e vai passar o natal e o ano novo ainda invicto.

Em Belo Horizonte jogam Minas e Mackenzie. Pela campanha apresentada até agora o Minas leva um leve favoritismo, mas acredito num jogo equilibrado e sinceramente não vou me surpreender se o Mackenzie arrancar um resultado positivo logo mais. Não creio em jogo fácil para o Minas que ainda busca o entrosamento ideal.

Em Osasco, jogam Osasco e Pinheiros e penso que esse papo de vingança ou revanche é besteira. O que passou, passou e seria ou poderia acontecer a possibilidade de revanche se Osasco e Pinheiros estivessem decidindo o título, o que não é o caso.

Mas o sentimento de vingança ou revanche deve existir e pode ajudar Osasco no jogo de hoje. Talvez pensando dessa maneira o time entre em quadra com outro espírito, bem diferente das finais do paulista.

Estou mais com Sassá que diz que Osasco está engasgado com Pinheiros e ansioso pelo jogo. Para Sassá, a partida tinha que ter acontecido logo na primeira rodada. Gosto desse tipo de declaração que não diminui o adversário como muitos pensam e sim reflete a maneira de pensar de uma atleta "inconformada" pela derrota no paulista.

Certo mesmo é que alguém vai perder a invencibilidade esta noite. Jogando em casa ainda acho Osasco com mais possibilidades de vitória. O Pinheiros ainda tem a seu favor o fato de jogar, ou melhor, continuar jogando sem responsabilidade contra os grandes como Osasco, Unilever e São Caetano.

Osasco precisa diminuir o índice de erros, grande e acima do normal nos últimos jogos contra o Pinheiros. Se fizer isso, a vitória estará bem encaminhada.

O Pinheiros parece disposto a virar "time grande" e já perdeu o medo de jogar contra Osasco. É um bom início.

Mas se o pensamento de Sassá contagiar o time de Osasco, hoje não vai dar para o Pinheiros   

Por Bruno Voloch às 10h39

CBV abusa e segue passando por cima do estatuto do torcedor

A época é propícia para festas. 

A CBV segue desrespeitando o estatuto do torcedor e anunciou sem o menor constrangimento a mudança de horário de mais 5 partidas.

A entidade diz em nota oficial que as mudanças foram solicitadas pela TV Globo que detém os direitos de transmissão da superliga.

O campeonato feminino está apenas na quinta rodada, o masculino na sétima e já foram feitas 13 alterações na tabela desde o início da competição.

O blog tentou mais uma vez contato com o CBV mas não obteve retorno. A idéia era falar e ouvir as explicações de Renato D'Avila, gerente da Unidade de Competições Nacionais da CBV.

O capítulo 2 do estatuto diz que são asseguradas ao torcedor a publicidade e transparência na organização das competições administradas pelas entidades de administração do desporto, bem como pelas ligas de que trata o art. 20 da Lei no 9.615, de 24 de março de 1998.

Por Bruno Voloch às 09h58

Brasileiros brilham na segunda divisão da Itália

Quem não se lembra do central Jardel, do atacante Evandro e do técnico Radamés Lattari ?

Os três estão no Castellana Grotte, que joga a segunda divisão na Itália e tenta pela primeira vez na história se classificar para a série A1 na temporada 2010/2011.

E no último fim de semana os dois jogadores e o treinador comemoraram mais uma vitória do Castellana Grotte.

Mesmo jogando fora de casa o time derrotou o Bologna por 3 a 1 com 17 pontos de Evandro. O central Jardel atuou os 4 sets e fez 10 pontos.

Depois da décima quarta rodada, o Castellana é líder com 33 pontos, 11 vitórias e 2 derrotas. O Roma está em segundo com 31.

Evandro está com 28 anos e jogava no vôlei da Grécia defendendo o Aris Sallonico. No Brasil atuou pela Cimed, Minas e os extintos Banespa e Unisul.

Marcado pelo temperamento forte e explosivo, o talentoso Jardel já fez mais de 150 pontos na primeira temporada na Itália e começa a despertar o interesse de alguns times da primeira divisão.

Radamés foi técnico da seleção masculina na Olimpíada de Sidney em 2000 e está na Itália desde 2005 com passagens pelo Trentino e Taranto. Ele comanda o Castellana Grotte desde 2008.

Além de Jardel e Evandro, outros jogadores brasileiros atuam na série A2. Ricardo Serafim defende o Samgas Crema, Xanxa está no Sora e Léo Rodrigues no Versilia. 

 

 

Por Bruno Voloch às 00h33

21/12/2009

Trentino poupa Leandro Vissoto mas segue líder isolado no campeonato italiano

Disputando duas competições simultaneamente, campeonato italiano e champions league, o time do Trentino segue administrando a vantagem no italiano.

Na vitória de 3 a 0 sobre o Latina, penúltimo colocado, o técnico búlgaro Radostin Stoychev decidiu poupar o brasileiro Leandro Vissoto. Mesmo assim a vitória foi tranquila com parciais de 25/23, 25/22 e 25/23. Após a décima quinta rodada, o Trentino chegou aos 39 pontos com 13 vitórias e duas derrotas.

O segundo colocado é o Cuneo com 36 e que derrotou de virada fora de casa o Verona por 3 sets a 1. Vadimir Nikolov acabou o jogo com 21 pontos.

O Sisley Treviso de Ricardinho ganhou mais uma e segue em terceiro lugar com 32 pontos. Dessa vez a vitória foi sobre o Loreto, que permanece com 11 pontos, por 3 sets a 0.

Quarto colocado o Macerata de Dentinho venceu por 3 a 1 o Modena. O Macerata soma agora 31 pontos contra 29 do Modena que está em sexto lugar. Dentinho começou no banco e atuou em algumas passagens do terceiro set.

Quem brilhou foi João Paulo Bravo. Ele foi escolhido o MVP na vitória do Piacenza sobre o Taranto por 3 a 0. João Paulo fez 12 pontos e mais brasileiros estiveram em quadra pelo lado do Taranto.

Cléber marcou 12 pontos e Rivaldo fez 10. A derrota deixou o Taranto apenas com 16 pontos e na parte intermediária da tabela.

Nos demais jogos o time do Monza derrotou o Perugia por 3 a 2 e chegou aos 24 pontos, deixando o Perugia com 23. Mauro Gavotto do Monza fez incríveis 34 pontos e o quinto set acabou 17/15.

Fechando a rodada, o Vibo Valentia ganhou por 3 sets a 1 do Pineto. O resultado deixa o Pineto do levantador brasileiro Royal na última colocação com 6 pontos.

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Por Bruno Voloch às 23h54

Pesaro vence clássico contra Jesi e também é líder na Itália

No principal jogo da décima rodada do campeonato italiano feminino, o Pesaro derrotou o Jesi por 3 sets a 0 com parciais de 25/20, 25/20e 25/18.

Com a vitória o Pesaro soma 22 pontos e se junta na liderança ao lado do Villa Cortese. O Jesi segue em quinto com 18 pontos.

Carolina Costagrande do Pesaro foi a maior pontuadora do jogo com 17 pontos. A polonesa Skowronska anotou 12 pontos e a croata Usic 11.

Pelo Jesi, Simona Rinieri fez 13 pontos e Chiara Negrini 10. A russa Sokolova terminou o jogo com apenas 5 pontos.  

Em mais de duas horas de jogo, o Villa Cortese de virada ganhou por 3 sets a 2 do Pavia e continua líder com os mesmos 22 pontos do Pesaro, mas levando vantagem nos critérios de desempate. Aguero fez 24 pontos e foi decisiva ao lado de Sara Anzanello que marcou 19.

O Villa Cortese soma 8 vitórias contra 7 de Pesaro comandado pelo brasileiro Ângelo Vercesi.

Com 21 pontos da norte-americana Logam Tom, o Novara fez 3 a 1 no Conegliano. A holandesa Manon Flier fez 18 pontos e também se destacou no jogo. Apesar da derrota, Brakocevic da Sérvia teve ótima atuação pelo Conegliano com 20 acertos e a brasileira Luciana Braga acabou a partida com 5 pontos.

O Bergamo manteve a terceira colocação ao derrotar fora de casa o Piacenza por 3 sets a 2. Lucia Bosseti fez 19 pontos, Ortolani 17, a alemã Furst e Del Core fizeram 16 pontos cada. O Bergamo soma 20 pontos.

Urbino assumiu o quarto lugar com 19 pontos depois de vencer também por 3 a 2 o Perugia fora de casa.

O Busto Arsizio da levantadora Fernadinha derrotou o Castellana Grolte da também brasileira Soninha por 3 a 1. Com o resultado o Busto Arsizio passa a somar 14 pontos na sétima colocação, enquanto o Castellana Grotte segue lutando contra o rebaixamento com apenas 9 pontos.

 

 

 

 

 

 

Por Bruno Voloch às 23h21

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.