Blog do Bruno Voloch

30/01/2010

Brusque errou demais e contra o Rio de Janeiro os erros são fatais

Para vencer um time forte tecnicamente como o Rio de Janeiro é preciso fazer uma partida praticamente sem erros.

Brusque foi ao extremo, jogou com uma garra impressionante, sacou muito bem, taticamente estava bem montado, Tandara inspirada, mas errou muito mais que o Rio. E errou nos momentos decisivos como no quinto set.  

Para ser franco eu esperava, aliás muita gente, um jogo tranquilo para o Rio e o resultado de 3 a 2 foi uma agradável surpresa. Em determinado momento do jogo achei que poderia acontecer outra zebra como vimos em Recife um dia antes.

Mas Brusque sucumbiu no quinto set e perdeu de 15/5.

Deve ser duro para as jogadoras do Brusque levar a partida para o tie-break e perder dessa forma por 15/5.

Duas horas e meia de batalha vencida pela experiência e maior bagagem do Rio.

"Pressionada" para ser a maior pontuadora da história da superliga, Érika fez 7 pontos. Fabiana, a central mais completa do Brasil, desequlibra quando está na rede e saiu com 23 pontos. Para uma central, pontos significativos.   

Mas não posso e não vou deixar de citar o grande jogo que fez Tandara, atleta de Brusque. Marcar 27 pontos por um time mediano como é Brusque, contra a equipe mais bem montada do País é de se respeitar.

Não sei ao certo como foram as demais partidas de Tandara na superliga, mas contra o Rio foi espetacular.    

Mas os erros mataram o time de Brusque. 32 no total contra 16 do Rio, ou seja, não daria mesmo para vencer com tantos pontos cedidos ao adversário.      

O Rio se livrou da primeira derrota e Brusque provou que se atuar da mesma maneira pode e deve deixar a incômoda posição de décimo primeiro colocado na tabela com apenas 3 vitórias.

Por Bruno Voloch às 09h15

29/01/2010

Finalmente deu "zebra" na superliga feminina

Poderia ter sido com o Rio de Janeiro, São Caetano ou Osasco, mas aconteceu justamente com Osasco.

No resultado mais surpreendente da competição até agora, o Sport Recife derrotou Osasco por 3 a 2, terminando assim com a invencibilidade das paulistas na superliga.

É uma vitória para ficar na história dos pernambucanos. Sinceramente não me lembro, posso estar equivocado, de uma vitória do Sport contra os chamados times grandes como Rio, Osasco ou São Caetano. Dessa vez, aconteceu.

O jogo foi muito equilibrado e o Sport teve que suar bastante para ganhar o primeiro e o terceiro sets com 25/18 e 26/24. Por outro lado, Osasco venceu com facilidade o segundo e quarto sets com 25/12 e 25/16. Deu uma falsa impressão de que teria vida fácil no quinto set. 

E de fato Osasco chegou a ter a partida nas mãos quando ganhava por 8 a 5. Mas o Sport conseguiu uma incrível virada na base da garra, ginásio cheio e empolgação e fechou com 15/12.   

Jogando de ponteira, a central Flávia Assis se destacou com 17 pontos e deu maior sustentação ao passe do time. Nikolle, ex Osasco, marcou 17 pontos também e Fernanda Berti fez 12. 

Bem que Fernanda tinha me avisado ...

Adenízia e Natália foram as que mais pontuaram por Osasco.

Com apenas 9 jogos e 13 pontos, a vitória dá o direito ao Sport de sonhar em ficar entre os 8 melhores.    

A derrota não tira Osasco da liderança, por enquanto, mas por questão de tempo. Basta somente que o Rio se iguale em número de jogos.

Espero que essa vitória sirva de lição aos times de menor investimento como é o caso do próprio Sport e mais Mackenzie, Praia Clube, Cativa e São Bernardo e Macaé.

O vôlei feminino dá uma esperança grande de "virar masculino". Leia-se, nem sempre o favorito vence. Seja bem-vindo.  

Por Bruno Voloch às 08h34

Montes Claros se consolida e set perdido pode custar caro para a Cimed

A Cimed cumpriu bem seu papel. Foi ao Rio de Janeiro, viajou até Volta Redonda e venceu o time local por 3 a sets a 1. Pois é, 3 a 1. Pode ser cedo, talvez não seja a hora de fazer contas, mas do jeito que a superliga está equilibrada, esses sets perdidos para os chamados times pequenos poderão fazer diferença lá na frente.

O susto no primeiro set quando perdeu por 28/26, serviu de alerta para a Cimed. Vale ressaltar o bom volume de jogo do Volta Redonda que jogou mais na base da empolgação e depois voltou a dura e cruel realidade. Digamos que para esses times, tirar um set dos grandes, seria motivo de comemoração. Então o Volta Redonda fez sua parte.

Marcos Pacheco mexeu na Cimed e usou de maneira correta o ponta Ivan e também o glorioso Jamelão. Destaque também para o bom jogo do central Ialisson.

O concorrente direto Sada/Cruzeiro cumpriu o roteiro em Cuiabá e em ritmo de treino fez 3 a 0.

Sada e Cimed seguem com 13 vitórias e somenteuma derrota. A diferença hoje seria que o Sada ganhou 41 sets e perdeu 9, enquanto a Cmed fez 40 contra 10. Lembro novamente. Pode ser cedo, mas esses números serão decisivos quando acabar a fase de classificação.

Com a fácil vitória diante do Santo André, Montes Claros assumiu a terceira colocação da superliga. O mais importante é que os mineiros chegam a essa pósição com um jogo a menos que o Pinheiros e o Sesi e teoricamente apenas 1 ponto atrás de Cimed e Sada.  

A vitória de 3 a 0 sobre a Ulbra recolocou São Bernardo no grupo dos 8. Mas a disputa na parte do meio da tabela segue intensa e equilibrada com Santo André, a própria Ulbra, Vôlei Futuro e Blumenau.

Minuzzi foi o nome da vitória do Minas contra Brasília. Vencer por 3 a 0 era fundamental e o Minas respira um pouco em sétimo lugar, mas na cola de Caxias. Os gaúchos seguem em ascenção e jogando em casa passaram por cima do Lupo de Araraquara.

Não vou deixar passar em branco o espírito de luta e a garra do time de Vitória, último colocado, mas que quase conseguiu derrotar Blumenau em 3 horas de jogo.   

 

 

Por Bruno Voloch às 08h09

28/01/2010

Cimed e Cruzeiro devem "passear" literalmente na rodada de hoje

Sada/Cruzeiro e Cimed não devem ter dificuldades nesta rodada da superliga. A Cimed joga fora contra o Volta Redonda e também fora de casa o Cruzeiro enfrenta Cuiabá.

Para ser mais sincero a viagem em si deve cansar mais do que a partida tanto para a Cimed como para o Cruzeiro. Qualquer placar que não seja 3 a 0 será uma surpresa do tamanho da distância das cidades. Cruzeiro e Cimed estão disputando ponto a ponto a liderança da competição, set a set e não podem deixar de vencer por 3 a 0.

São Bernardo e Ulbra fazem um jogo interessante e a tendência é de equilíbrio logo mais em São Bernardo. A Ulbra é muito imprevisível. Um time capaz de derrotar o Sesi e depois perder para Caxias. Não dá para confiar.

Montes Claros recebe o bom time do Santo André. Precisa se cuidar, jogar concentrado, com seriedade e dedicado. Se fizer isso, vence sem sustos.  

Vitória e Blumenau se enfrentam e confesso que não consigo ver favoritismo para nenhum dos lados. Apesar de ter conseguido somente uma vitória na superliga, Vitória tem a chance contra Blumenau de sonhar em deixar a lanterna para Brasília.

Caxias é uma grata surpresa na competição. Ocupa hoje a sexta posição com 8 vitórias e em 12 jogos. Faz uma campanha melhor do que a dos tradicionais Minas, Ulbra e São Bernardo e teoricamente vence o time do Lupo em casa.

Em Brasília, o Minas é outro time obrigado a vencer e por 3 a 0. Simples assim. O Minas ainda está longe de ser um time confiável, mas pode desencantar a qualquer momento e esse é um jogo que deve entrosar mais a equipe do competente Marcão.

   

Por Bruno Voloch às 14h03

Favoritos vencem na Copa Itália. Novara é a decepção.

Jesi, Bergamo e Pesaro confirmaram o favoritismo e ganharam pelas quartas de final da Copa Itália.

As partidas de ida aconteceram neste meio de semana e a decepção ficou por conta do Novara. Mesmo jogando em casa o time perdeu de 3 sets a 1 para o Villa Cortese. A cubana Taismary Aguero fez 26 pontos contra 20 da holandesa Manon Flier.

O Bergamo ganhou fora de casa do Urbino por 3 sets 1 com parciais de 21/25, 26/24, 16/25 e 21/25. Francesca Piccinini jogou os 4 sets e saiu como maior pontuadora com 25 pontos. Del Core fez 17.

Em Perugia, o Pesaro do brasileiro Angeo Vercesi ganhou no sufoco. Depois de estar perdendo por 2 a 1, o Pesaro atual líder do campeonato, fez 25/14 no quarto set e 15/9 no tie-break. Carolina Costagrande e Katarzyna Skowronska foram os destaques do Pesaro.

Em Arsizio, o Busto Arsizio da levantadora Fernandinha chegou a sonhar com a vitória contra o Jesi de Sokolova. No primeiro set o time de Fernandinha chegou a estar vencendo por 18 a 8 e depois 21 a 14. Mas inexplicavelmente se perdeu no set e o Jesi fechou com 25/22. Depois da derrota no set inicial o time do Busto Arsizio se perdeu e foi facilmente envolvido nos sets seguintes com 25/18 e 25/15.

Os jogos de volta das quartas de final acontecem na próxima quarta-feira, 3 de fevereiro.

   
        

Por Bruno Voloch às 13h23

Campeão olímpico, técnico Talmo diz que não foi respeitado no Sada/Cruzeiro

O técnico Talmo, demitido após a decisão do campeonato mineiro, está dando a volta por cima no time de Montes Claros. A história de Talmo é curiosa.

Ele dirigia a equipe do Sada/Cruzeiro e após o estadual onde foi eliminado na semifnal, acabou deixando o cargo. Os dirigentes do Cruzeiro não pensaram duas vezes e tiraram do Montes Claros o treinador que acabara de ser campeão. O argentino Marcelo Mendez. Sem comandante, Montes Claros foi atrás justamente de Talmo, que aceitou o desafio.

Difícil falar em ética, mas acontece muito no mundo do futebol e o vôlei só fez aprender a lição.

O blog conversou com Talmo. O treinador admite que tomou um susto quando foi comunicado da decisão na época pelos dirigentes do Sada/Cruzeiro:

"Me pegou um pouco de surpresa, mas segui em frente de cabeça erguida com a certeza de ter feito o melhor desde o primeiro dia que iniciei minha carreira de treinador de voleibol. Aprendi muito e tenho a certeza de estar aprendendo ainda mais com tudo o que aconteceu".

Talmo disse ainda que prefere não julgar as decisões, mas deixa claro sua insatisfação com a falta de respeito do antigo clube:

"O time tem o direito de colocar quem eles querem para o comando. Só não gostei da maneira de como foi conduzida a minha saída do clube. Acho que todo profissional merece ser respeitado seja na hora da contratação ou na hora de sair".

Talmo não se sente o único responsável pela perda do estudal:

"Nunca. Não me senti culpado por não ganhar o campeonato mineiro, acho que as equipes estavam muito equilibradas".

O blog perguntou então se a contratação pela equipe de Montes Claros seria uma resposta aos dirigentes do Cruzeiro. Talmo falou: 

"Acredito que minha vinda para Montes Claros foi um grande presente de Deus, porque cheguei para uma equipe muito forte e com muita qualidade e estamos fazendo uma bela campanha na superliga. Não podemos entender tudo que nos acontece na vida, mas tenho a certeza que existe um grande propósito em tudo isso".

Sada e Montes Claros se enfrentaram algumas rodadas atrás com vitória do Sada por 3 a 2. Para Talmo foi um jogo como outro qualquer.

"Foi um jogo onde nossa equipe precisava ganhar para estar na ponta da tabela. Infelizmente não fizemos um bom jogo principalmente no saque, mas as duas equipes tiveram chances. Mas procurei fazer o melhor para a nossa equipe. Queria ganhar também porque joguei na minha cidade minha família estava lá me apoiando".

Falar individualmente de cada jogador de Montes Claros seria fácil, mas Talmo explica a ótima fase do oposto Lorena:

"Ele é uma figura rara. Jogamos junto no Palmeiras e logo depois ele foi para a Europa. Passou muito tempo por lá e retornou mais maduro e experiente. Ele está ajudando muito a equipe seja nos treinamentos e nos jogos. Mas o Rodriguinho, Ezinho, Diogo, Acácio e Piá estão vivendo um grande mometo e jogando um ótima superliga".

Talmo avisa que o objetvo é chegar entre os três primeros no turno e que Montes Claro vai brigar pelo titulo: 

"Acho que existem muitas equipes favoritas ao título, que serão apontadas nas fases finais. O próprio time do Pinheiros ainda deve crescer no segundo turno.  A superliga é um campeonato muito difícil pela sequência de jogos e precisa ter uma adaptação. Podemos e temos time para brigar também."    

Campeão olímpico em 1992, Talmo estaria pronto como treinador ?

"Acho que preciso amadurecer em muitas coisas. Tenho muito pouco tempo de treinador e preciso vivenciar novas situações a cada dia. É um eterno aprendizado e nunca estaremos totalmente prontos".

O blog pergunta se depois de tanto tempo no vôlei não foi loucura decidir ser treinador. Talmo ri e diz:

" Acredito que sou normal, mesmo sabendo que precisamos ser também loucos ... "

Montes Claros, único time que derrotou a Cimed, enfrenta esta noite Santo André e se vencer mantém uma invencibilidade de 7 jogos em casa.   

 

 

      

  

Por Bruno Voloch às 08h19

25/01/2010

Sada/Cruzeiro tem obrigação de derrotar Sâo Bernardo.

Não basta vencer. É preciso vencer e por 3 a 0. Somente com esse placar é que o Sada/Cruzeiro vai assumir a primeira colocação da superliga deixando a Cimed em segundo lugar.

Pela campanha que faz até agora no campeonato, o time mineiro é muito favorito logo mais e uma derrota pode ser considerada zebra. Quem diria.

São Bernardo virou um mero figurante da superliga e com 6 derrotas em 11 jogos dificilmente estará na segunda fase da competição.

Em casa o Sada/Cruzeiro jogou e derrotou Minas, Santo André, Ulbra, Pinheiros, Sesi e Montes Claros. Só deixou sets para Sesi e Montes Claros. Está invicto há 11 jogos.

São Bernardo é apenas o décimo segundo colocado. A colocação em si é preocupante, mas o time até que evoluiu nas derrotas contra Cimed e Minas, a última por 3 a 2 com 20/18 no quinto set. 5 jogos fora e duas vitórias contra Volta Redona e Vitória, último colocado. 

Hoje será mai uma oportunidade de assistir o bom vôlei que está apresentando o jogador Wallace, maior pontuador da superliga com 215 pontos. Bom duelo entre Wallace e Serginho, melhor líbero do mundo por São Bernardo. O Sada ainda não terá Bruno Zanuto contundido.

Zebra logo mais, São Bernardo tem no saque a principal arma para tentar equilibrar a partida. Mas se a gente for analisar o atual momento das duas equipes, Sada/Cruzeiro vence Sâo Bernardo.

Para um time que sonha em conquistar pela primeira vez a superliga e vem derrubando os favoritos, derrotar Sâo Bernardo logo mais é obrigação.

Por Bruno Voloch às 09h19

24/01/2010

Irresponsabilidade na etapa de Caxias marca abertura do circuito brasileiro

Eu não vi. Li sobre o que aconteceu e confesso que fiquei estarrecido.

Quer dizer que Juliana e Larissa ganharam a etapa de Caxias do circuito brasileiro de vôlei de praia jogando 3 jogos no mesmo dia ?

Inacreditável. Quero dizer que pode acontecer e não é anormal jogar mais de uma partida por dia, especialmente nas etapas do circuito mundial. Mas existe uma grande diferença.

Estamos no início de temporada e todas as jogadoras ainda estão longe do condicionamento físico ideal.

Juliana e Larissa jogaram no mesmo dia a partida das quartas de final, semifinal e a decisão contra Talita e Maria Elisa. Foi uma prova de superação mesmo, como disse Larissa.

Vale a gente ressaltar que Juliana e Larissa e mais outras jogadoras foram obrigadas a jogar 3 partidas no mesmo dia porque os jogos de sábado foram cancelados em virtude do mau tempo em Caxias.

Mas nesse caso não seria aconselhável jogar na segunda-feira ?

Sei que nosso calendário não é tão apertado assim, existem datas disponíveis e um dia a mais ou a menos não iria fazer tanta diferença assim.

Sei também que existem compromissos comercias, vôos marcados e toda uma cidade envolvida. Mas penso que os jogadoras deveriam se precaver e se cuidar mais. Cuidar da saúde, principalmente. 

Pelo que entendi, Fernando Marques da Unidade Técnica da CBV, disse que a intenção era preservar os atletas e não colocá-los em risco. Concordo. Por isso os jogos de sábado a tarde foram cancelados.

Mas do que adianta poupar esses atletas no sábado e jogar até 3 partidas no dia seguinte ?

Não sei, mas me parece extremamente incoerente.

Mas se engana quem acha que os atletas não foram ouvidos. Eles participaram de uma reunião com os representantes da CBV e concordaram que o campeonato continuasse e acabasse no mesmo dia. Domingo. 

Por Bruno Voloch às 19h01

Em jogo esvaziado, Itália perde para a seleção do resto do mundo

A Itália perdeu o famoso jogo das estrelas, All Star Game, para a seleção do resto do mundo. O jogo é sempre realizado no meio da temporada, mas dessa vez a Itália não contou com suas principais jogadoras.

Curiosamente o time do resto do mundo também deixou de fora as principais estrangeiras do campeonato.

A partida aconteceu na cidade de Verona e terminou 3 sets a 1 com parciais de 25/13, 16/25, 25/17 e 25/21.

A lituana Valdone Petrauskaite que atua pelo Urbino foi a MVP da partida com 22 pontos. A norte-americana Bown do Jesi fez 11.

Pela seleção da Itália, Barcellini se destacou com 14 pontos.

Do time italiano que conquistou a Copa dos Campeões no ano passado em Tóquio no Japão, apenas Del Core participou da partida.

Com a partida entre Itália e resto do mundo a rodada desta semana do campeonato não foi realizada. O Pesaro dirigido pelo brasileiro Ângelo Vercesi lidera a competição.

 

Por Bruno Voloch às 18h25

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.