Blog do Bruno Voloch

20/02/2010

BH está em festa. O Minas dá sinais de recuperação

Foi uma rodada inesquecível para o Minas.

No feminino, o adversário não era líder do campeonato, não será campeão e não pode ser considerado time grande. Mas Brusque está fazendo uma boa campanha nessa superliga, vinha dando trabalho aos favoritos e jogava em casa.

Mas o Minas não tomou conhecimento e ganhou por 3 a 1. A vitória coloca o Minas na terceira colocação, mas hoje mesmo o time volta para o quarto lugar e no meio da semana cai para o quinto, colocação que provavelmente terminará no fim do segundo turno.

Na partida contra Brusque, destaque absoluto para a norte-americana Nancy Metcalf. Não sei quem indicou, quem sugeriu, mas o fató é que o Minas acertou em cheio na contratação dessa atleta. Ela é muito regular, não foge nos momentos decisivos e extremamente segura nos ataques. Existem times, como o Rio, que estão sofrendo nessa posição e perderam a chance de contratar um ótima jogadora.

Tandara foi muito bem marcada, não rendeu o que se esperava, mas mesmo assim marcou 18 pontos. É uma jovem atleta e muito promissora ainda. Mérito para Jarbas Ferreira, treinador do Minas. Suelle e Flúvia fizeram uma partida razoável. As demais, foram abaixo da média, tirando Veronica.

O Minas teve ainda a dominicana Annery Victoria virando bolas importantes e a levantadora Camila jogando com rapidez e inteligência.

O Minas está invicto há 5 partidas, são vitórias que deram moral ao time que chega confiante para encarar o Osasco na semana que vem.

O masculino também fez bonito. Escrevi tem duas semanas, que o time masculino do Minas poderia se acertar de uma hora para a outra. Na vitória contra o Cruzeiro, o Minas atuou como time grande, jogou como uma equipe que deseja brigar pelo título e ganhou com méritos.

Foi uma partida muito equilibrada, disputada ponto a ponto e sinceramente a vitória poderia ter acontecido para qualquer um dos lados. Ganhou o Minas que foi mais eficaz no tie-break. 

Acho que o fato de esta jogando sempre na frente no placar, fez 1 a 0 e 2 a 1, deu tranquilidade ao time de Marcos Pinheiro. Rafa e Sandro fizeram um duelo interessante e os centrais Henrique e André Heller, pelo menos na partida de ontem, foram mais efetivos que Douglas e Renato.

O norte-americano Salmon rodou bolas importantes e Maurício foi determinante em algumas situações.

Do lado do Sada/Cruzeiro, fica o gosto amargo da perda da invencibilidade de 18 partidas que dificilmente será igualada nessa superliga. Mas a derrota não pode e não vai atrapalhar o ótimo trabalho que vem sendo feito por Marcelo Mendez. O Sada, apesa do resultado negativo, segue sendo fortíssimo canditado ao título brasileiro.

Com os 32 pontos atuais, o Minas tem direito ainda a sonhar até com o terceiro lugar. É o máximo que pode fazer. Mas para isso terá que mostrar daqui pra frente uma regularidade jamais vista neste campeonato. Não sei ao certo se o Minas tem bola para ser campeão ou chegar na decisão. Tradição tem de sobra e o elenco é de primeira linha.

Se vencer os próximos 4 jogos, pode embalar de vez. E ninguém duvide. O Minas irá enfrentar em São Paulo, a Ulbra e o Santo André, joga em casa com Vôlei Futuro e sai para jogar contra o Lupo em Araraquara. Somando 8 pontos, chega aos 40 e enfrentaria o Pinheiros dia 4 de Março cheio de moral.         

 

Por Bruno Voloch às 08h59

19/02/2010

Adenízia deve sempre entrar em quadra "vacinada"

Ela não foi a maior pontuadora, mas teve ótima participação na vitória do Osasco sobre o Vôlei Futuro por 3 a 1. Adenízia fez 17 pontos e foi a segunda maior pontuadora do jogo, ficando atrás somente da central Thaísa.

O estilo de jogo de Adenízia segue me chamando a atenção. Já falei aqui no blog sobre esse tema, mas seu estilo de jogo é muito parecido com o das cubanas da década de 90 e me agrada inteiramente. Essa menina é corajosa, tem um personalidade incrível, talento, ótimo posicionamento de bloqueio e muita habilidade no ataque.

Adenízia é nome certo na seleção brasileira e tem potencial para ser titular do time comandado por José Roberto Guimarães.

Na vitória contra o Vôlei Futuro, Adenízia discutiu com a dominicana Mambru depois da jogadora do Vôlei Futuro ter comemorado um ponto gritando na cara de Adenízia.

Cara Mambru, você mexeu com a jogadora errada. Logo ela que gosta de jogar dessa forma, que não foge da briga e não deixa barato esse tipo de provocação.

Muita gente acha que Adenízia foi desrespeitosa com a torcida e com a jogadora do Vôlei Futuro.

Que nada. Só diz isso quem não conhece Adenízia. Vamos parar com essa hipocrisia. Essa história de berrar na cara do adversário claro que não é exemplo para os jovens e aqueles que estão começando no esporte agora, mas existe e sempre vai acontecer. Faz parte do jogo. Ninguém é santo.

Existem algumas atletas que se sentem bem jogando dessa maneira. Outro detalhe importante, é que Adenízia não prejudica sua equipe agindo dessa forma, pelo contrário, ela acaba contagiando as demais jogadoras.

E mais. Adenízia não tinha nada que se desculpar com a torcida no fim do jogo. Foi gentil até demais com os torcedores depois de tudo que ela foi obrigada a ouvir.

Começo a perceber que existe uma certa má vontade de algumas adversárias com Adenízia. Como sabem que ela atua somente dessa forma, tentam desestabilizar a jogadora do Osasco. Faz até parte do jogo ou da estratégia do time adversário e ninguém pode reclamar.

Mas Adenízia parece vacinada. Faz ela muito bem.   

   

       

 

Por Bruno Voloch às 20h38

Brasileiros estão perto das finais da Champions League

Estão definidos os 6 times que brigarão por 3 vagas para a fase decisiva da Champions League masculina.

Curiosamente 6 equipes de 6 países diferentes conseguiram a classificação. 

Depois de eliminar o Knack Randstad Roeselare da Bélgica, o Trentino da Itália, atual campeão europeu, vai jogar contra o Asseco Resovia Rzeszow da Polônia. Os brasileiros Leandro Vissoto, Raphael e Riad atuam pelo Trentino.   

O Dinamo de Moscou, do ponta Dante, pega o Olympiacos Piraeus da Grécia.

Fechando os playoffs jogam Hypo Tirol Innsbruck da Austria e Ach Volley Bled da Eslovênia.

As datas dos jogos, ida e volta, serão divulgadas em breve pela Confederação Européia.

O Belchatow da Polônia está classificado automaticamente para a fase final. 

A decisão da Champions League será jogada dia 11 de Abril.

 

Por Bruno Voloch às 13h11

18/02/2010

Osasco faz jogo arriscado em Araçatuba

Líder da superliga feminina, Osasco joga logo mais contra o Vôlei Futuro em Araçatuba.

Olhando a posição das duas equipes na superliga, qualquer um apostaria no Osasco e numa vitória por 3 a 0. Mas não é bem assim. O Vôlei Futuro está em sexto lugar com 22 pontos, mas quando joga contra os grandes oferece grande resistência. Arrisca demais, joga sem responsabilidade e saca pesado com Alessandra. Em casa, perdeu somente para o São Caetano e venceu todos os demais jogos, inclusive o Minas por 3 a 0.

Osasco vive um ótimo momento, mas precisa estar 100% ligado e concentrado para não ser surpreendido. É favorito, desde que jogue com seriedade.

O Pinheiros vai até Uberlândia e deve voltar com mais dois pontos. Joga também sendo o grande favorito e o ideal seria que não perdesse nenhum set para o Praia Clube.

Em Recife, jogam Sport e São Caetano. Jogo complicado para opiniar. O Sport é um time capaz de fazer jogo duro contra Osasco e Rio e ao mesmo tempo pérder para equipes fracas tecnicamente e que ocupam as últimas posições. Resta saber que Sport entrará em quadra mai tarde. Se for o Sport dos jogos contra o Rio e Osasco, será jogo durto para São Caetano, agora se for o Sport da partida contra o Praia Clube, esquece. 

São Caetano ainda busca a confiança necessária para brigar pelo título. A derrota para São José deve ter mexido com o grupo que aparentemente está recuperado emocionalmente. Hoje será um ótimo teste para saber até onde esse time pode ir e se é de fato confiável.        

 

  

Por Bruno Voloch às 09h29

Cimed, Sesi e Pinheiros terão vida fácil na rodada

A terceira rodada do segundo turno da superliga masculina não deverá ter surpresas. Os favoritos devem confirmar mais uma vitória e dois pontos na classificação.

Em casa, a Cimed enfrenta o bom time do Santo André. O resultado positivo diante do Minas em Belo Horizonte devolveu a confiança ao time catarinense depois da derrota de 3 a 0 para o Sada/Cruzeiro. O Santo André caiu de produção nos últimos jogos e a derrotas em casa para Volta Redonda e Vitória foram decepcionantes. Difícil acreditar que o time possa sureprrender a Cimed em Santa Catarina.

Blumenau recebe a Ulbra. Jogo aberto e sem favorito. Blumenau evoluiu nas últimas partidas, fez jogo duro com o Cruzeiro e se mantiver o nível das últimas atuações pode vencer a Ulbra. Embora ocupe a sétima colocação, a Ulbra segue instável apesar das duas vitórias seguidas contra Vitória e Volta Redonda.

Vitória vai pegar o Vôlei Futuro de Araçatuba. Ainda sonhando com a classificação entre os 8 primeiros, o Vôlei Futuro é obrigado a vencer para não se distanciar ainda mais de Caxias, hoje oitavo. O Vôlei Futuro tem 26 pontos contra 27 de Caxias, mas está com doos jogos a mais.

Em Volta Redonda o time da casa pega o Lupo. Jogo sem prognósitico. As duas equipes são fracas tecnicamente e nem mesmo o fator casa pode significar algum tipo de vantagem nesse caso.

O Sesi visita Cuiabá e é favorito absoluto. O time de Giovane Gávio conseguiu duas vitórias importantes no tie-break contra São Bernardo e Montes Claros e voltou a ter momentos de tranquilidade depois de uma fase negativa. Hoje é jogo para 3 a 0.

O Pinheiros visita Brasília e também tem obrigação de fazer 3 a 0. Em quarto lugar, o Pinheiros segue atrás de regularidade e entrosamento. Brasília é o adversário ideal.

Fechando a quinta-feira, Montes Claros joga contra Caxias. Em tese deve ser o melhor joga da quinta-feira. Montes Claros perdeu os dois jogos que fez em São Paulo contra Sesi e Pinheiros, mas segue na terceira colocação. Em casa é favorito. Caxias tem um bom time, muito bem comandado por Jorge Smith. É a equipe que menos jogou na superliga, 16 jogos, e é um adversário perigoso. A falta de ritmo pode pesar, porque Caxias está sem jogar desde o último dia 6, ou seja, 11 dias.      

Por Bruno Voloch às 09h09

16/02/2010

Levantador Bruninho está dividido entre Salgueiro e Botafogo

A semana está sendo de fortes emoções para Bruno Rezende, levantador titular da seleção brasileira de vôlei. No Domingo, Bruno esteve na avenida torcendo, não desfilando, pelo Salgueiro sua escola de coração. Nesta quarta-feira não deixará de acompanhar pela televisão o clássico entre Flamengo e Botafogo.

Bruno está jogando a quinta temporada pela equipe de Florianópolis. O time ocupa a segunda colocação, e o levantador confessa que essa é a superliga mais equilibrada dos últimos anos:

"São várias equipes que podem chegar ao título. Fora isso, as equipes de menor investimento estão jogando bem e proporcionando algumas zebras. Ninguém pode dar mole, se não dança mesmo".

2010 será ano de campeonato mundial na Itália. Bruno sabe que precisa trabalhar duro na seleção pois a concorrência será grande. Humilde, elogia os demais levantadores e diz que o Brasil sai ganhando com tantas opções:

"Acho isso muito bom para o vôlei brasileiro. São todos ótimos jogadores que vivem boa fase. Cada um com uma maneira de jogar e isso faz com que você tenha que trabalhar ainda mais e não se acomodar. Na seleção com Marlon e Rapha foi muito bacana. Aprendi muito com eles, são jogadores mais rodados e me ajudaram muito. Acho que crescemos todos juntos".

Ser titular em um campeonato mundial seria algo inédito na carreira dele. Mas nada que o deixe assustado:

"Acredito que a cada ano estou amadurecendo mais. Dizem que levantador é igual vinho, quanto mais velho melhor e sinto que isso acontece comigo. Sei que ainda faltam alguns meses para o mundial e eu vou ter que trabalhar bastante para estar lá. Mas sem dúvida me sinto bem e estou preparado. Mas isso não garante nada. Vou ter que ralar para estar lá".

O fato de ser filho do treinador da seleção Bernadinho nunca influenciou em nada, garante ele. Não é nenhum tabu falar sobre isso:

"Se tem pessoa que fala ainda, eu não posso fazer nada. Eu sou eu Bruno e ele Bernardo técnico da seleção. Para mim isso não influencia, e também não quero dizer olha é muito dificil e tal. Para mim não atrapalha e nem penso mais nisso. Só penso em trabalhar muito e evoluir".

Botafoguense, apesar de ter começado a carreira aos 11 anos no Fluminense, Bruno sabe que é um sonho distante poder um dia vestir a camisa do clube de coração em uma superliga:

"Olha é muito dificil dizer isso. Lógico que seria muito bacana poder jogar no time que você torce. Mas é complicado para os clubes de futebol trabalhar com esportes olimpicos. Isso pelos exemplos que tivemos nos últimos anos. Mas seria uma alegria muito grande".

Futebol e vôlei têm vivido lado a lado. Há 5 dias, o Mackenzie de Belo Horizonte demitiu ainda em quadra o técnico após a quarta derrota seguida na superliga. A situação deixou Bruno chateado:

"É complicado e entendo que todos esperam resultados, mas eu acredito sempre no trabalho feito a médio e longo prazo. As vezes assusta esse lance de estar virando futebol. Acho que tem que dar tempo aos treinadores para que eles possam colocar seu trabalho e sua filosofia. Demitir na quadra acho falta de respeito".

Muitos jogadores voltaram ao País para a disputa da Superliga, casos de Giba, Gustavo, Rodrigão, Murilo, Marcelinho, entre tantos outros. Bruno nunca jogou no exterior, mas não esconde o desejo de um dia jogar na Europa. Tudo na sua hora:

"Pelo fato de buscar um outro campeonato com uma maneira de jogar diferente, acho que seria interessante. Estou novo e posso esperar um pouco. Mas um dia espero ir pra lá sim".

O Salgueiro pode conquistar o bi na avenida. O Botafogo luta para chegar novamente na decisão da Taça Guanabara.

"Nos últimos anos temos perdido as finais para eles que são os favoritos. Mas vamos ver. Eu confio no Joel Santana".

Por Bruno Voloch às 09h18

15/02/2010

Modena derruba líder Trentino de Leandro Vissoto e Raphael

Com uma atuação espetacular do cubano Angel Dennis, o Modena derrotou o líder Trentino por 3 sets a 2 e alcançou a sexta colocação do campeonato italiano com 42 pontos. Dennis fez 28 pontos e foi o mvp do jogo. Apesar da derrota, a quarta no campeonato, o Trentino segue líder com 57 pontos. O levantador Rapha jogou os cinco sets e Leandro Vissoto atuou os 3 primeiros sets marcando apenas 9 pontos. O cubano Juantonera e o búlgaro Kaziyski fizeram 22 pontos pelo Trentino.

O Cuneo folgou na rodada e continua com 51 pontos em segundo lugar com um jogo a menos.

Apesar dos 21 pontos de Zlatanov, o Piacenza não aproveitou a oportunidade de se aproximar do Cuneo porque perdeu fora de casa para o Verona por 3 a 1. O Piacenza segue com 48 pontos e o Verona está em oitavo com 38 fechando os 8 primeiros colocados.

O Sisley Treviso de Ricardinho passou fácil pelo Pineto do levantador brasileiro Royal. O Sisley fez 3 a 0 com 25/17, 25/18 e 25/16. O Sisley Treviso é o quarto colocado com 46 pontos e o Pineto, virtualmente rebaixado, tem apenas 6 pontos.

O Macerata chegou aos 45 pontos em quinto lugar depois de fazer 3 a 1 no Latina fora de casa. O croata Igor Omrcen marcou 30 pontos pelo Macerata.

O Monza fez 3 a 0 no Forli e continua na sétima posição com 40 pontos.

O brasileiro Rivaldo brilhou na vitória do Taranto sobre o Vibo Valentia. Rivaldo marcou 24 pontos e Cléber fez 17. Apesar da vitória, o Taranto está fora da zona de classificação no momento com 25 pontos em décimo primeiro lugar.

O Loreto perdeu mais uma. Dessa vez em casa, o time foi derrotado pelo Perugia por 3 a 0 e está na zona de rebaixamento com 14 pontos.  

Na próxima rodada, o líder Trentino encara o Taranto, o Cuneo pega o Loreto, o Piacenza viaja até Modena e o Sisley Treviso folga na competição.    

Por Bruno Voloch às 09h44

Pesaro segue líder isolado na Itália

O domingo foi de carnaval e festa em todo o Brasil. Na Itália, o campeonato não para.

Pela décima sexta rodada do feminino, o Pesaro, comandado pelo brasileiro Ângelo Vercesi, venceu mais uma e chegou aos 40 pontos. Fora de casa, O Pesaro fez 3 sets a 0 diante do Busto Arsizio da levanatadora Fernandinha. Carolina Costragrande marcou 20 pontos e foi a mvp da partida. Foi a décima terceira vitória do líder Pesaro na competição. O Busto Arsizio está em sexto com 24 pontos. 

O Villa Cortese da cubana Aguero se manteve na segunda colocação ao derrotar o bom time do Novara por 3 a 1. Aguero marcou 21 pontos, um a mais que a norte-americana Logan Tom do Novara. O Villa Cortese soma 35 pontos e o Novara continua no limite da classificação com 22 pontos em oitavo lugar.

O Bergamo atropelou o Castrellana Grotte por 3 a 0. A levantadora Lo Bianco atuou os 3 sets, fora isso o Bergamo contou com Piccinini, Ortolani, a alemã Fürst, Lucia Bosseti, Arrighetti. Del Core entrou no terceiro set e fez 7 pontos. A brasileira Soninha do Castellana marcou 10 pontos. O Bergamo soma 31 pontos em terceiro lugar. O Castellana Grotte segue brigando para não cair e está em décimo com 12 pontos.

Na zebra da rodada o Piacenza derrotou o Jesi de Sokolova. A russa foi poupada e só atuou no quarto set, deixando para Valentina Tirozzi o título de maior pontuadora da partida com 20 pontos. Pelo Piacenza, a croata Mia jerkov anotou 18 pontos e a alemã Heike Beier fez 17. O Jesi é apenas o quarto colocado com 30 pontos e o Piacenza segue na zona de rebaixamento com 12, na penúltima posição.

O Conegliano perdeu mais uma e segue em último com 10 pontos e duas vitórias. O time perdeu para o Perugia em casa por 3 sets a 2 com 15/13 no quinto set. O Perugia é o sétimo com 23.

Fechando a rodada, o Urbino Volley bateu o Pavia por 3 a 1 e continua em quinto lugar com 29 pontos. O Pavia é o nono com 20 pontos.

A próxima rodada do italiano feminino acontecerá no dia 21. O líder Pesaro joga em casa contra o Conegliano. O destaque será o clássico entre Jesi e Novara.   

Por Bruno Voloch às 09h16

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.