Blog do Bruno Voloch

26/02/2010

Pinheiros e Minas. Pressão dos dois lados.

E o Minas passou no primeiro teste.

Conseguiu o que poucos imaginavam, inclusive eu, que era vencer Osasco em São Paulo. Como se não bastasse, o Minas fez 3 a 0. O placar dá a impressão de que foi um jogo fácil, mas não foi bem assim. As parciais foram apertadas com 29/27, 26/24 e 30/28.

É um resultado sem dúvida expressivo que dá ao Minas o direito de sonhar com algo a mais nesta superliga. O time ainda está invicto neste segundo turno junto com o São Ceatano. 

A norte-americana Nanct Metcalf foi novamente a melhor jogadora em quadra e sustenta uma ótima média de pontos por partida. Contra Osasco foram mais 21.

A dominicana Annery Victória está cada vez mais ambientada ao vôlei brasileiro e a outra central Natasha, segue sendo efetiva e regular. Interessante foi ver Ivna novamente como titular apesar dos 6 pontos.

No time de Osasco Adenízia e Natália foram as melhores, enquanto Thaísa e Jaqueline fizeram um jogo regular sem comprometer. Sassá segue mal, ainda longe de ser a Sassá do extinto Rexona e a Sassá da seleção. Não sei ao certo o que acontece com essa jogadora de enorme potencial,  mas faz tempo que não atua bem.

Mesmo sem a sombra de Carol, Ana Tiemi não rendeu bem. Mas Osasco é um tema para outro blog.    

E esse Minas, até onde esse pode ir ?

Sinceramente não sei responder. As vitórias contra Rio e Osasco foram marcantes e determinantes nessa nova fase do time. Por mais que o torcedor mineiro não concorde e respeito, ainda não acho que esse Minas seja capaz de brigar pelo título. Mas é inegável a evolução dessa equipe e talvez seja melhor mesmo que continue assim, ou seja, correndo por fora.

Rio, Osasco e São Caetano no papel são melhores. Mas quem lídera o campeonato é o Pinheiros, que assim como o Minas, não é credenciado ao título.

Hoje é líder, com méritos e poderia estar mais folgado não fosse o tropeço contra o Vôlei Futuro. Aliás, Pinheiros e Minas jogam neste sábado em São Paulo. Líder da superliga contra a surpresa do campeonato.

Será mais um bom teste para o Minas e uma ótima oportunidade de ver como o Pinheiros vai se sair tendo a responsabilidade de jogar como líder. É uma situação inédita e poucas vezes vivida pelo clube nos últimos 15 anos. Ser líder é bem diferente de brigar pela liderança.

A pressão estará dos dois lados. Ganhando o Pinheiros se mantém na liderança. Se perder, pode voltar para a segunda colocação, caso Osasco derrote o Mackenzie. Para o Minas, uma vitória materia a invencibilidade no returno e poderia dar ao time o terceiro lugar, desde que o São Caetano vença o Rio de Janeiro também neste sábado.  

     

Por Bruno Voloch às 13h48

25/02/2010

Sâo Caetano e Rio fazem treino de luxo. Osasco e Minas um jogo de verdade

Osasco e Minas é o jogo da rodada na superliga feminina. Faz tempo, mas essas duas equipes já foram rivais diretas quando decidiram a superliga por 3 vezes consecutivas de 2001 até 2004.

Mas os tempos são outros. Hoje o Minas dá sinais de recuperação, faz ótima campanha no segundo turno, mas ainda não está credenciado para disputar o título. A vitória em casa contra o Rio algumas rodadas atrás talvez tenha sido o resultado que faltava para o Minas adquirir a confiaça necessária. A norte-americana Nancy Metcalf é o destaque do time pois é muito eficiente no ataque e erra pouco. É sem dúvida a melhor jogadora do Minas até agora no campeonato.  

A dominicana Vargas rende bem no meio de rede e a central Natasha tem feito ótimas partidas. Ninguém pode contestar a tradição do Minas em campeonatos brasileiros, mas os vários anos sem títulos incomoda. A fila anda, como dizem. Essa semana, esses dois jogos em São Paulo, hoje contra Osasco e sábado contra o Pinheiros, poderão dar a exata dimensão de até onde este Minas pode ir na superliga. 

Osasco é líder, tem mais time, joga em casa onde ainda não perdeu e é favorito. Com várias jogadoras da seleção, Osasco terá que mostrar sua superioridade em quadra. O time teve mais dificuldades do que poderia se imaginar contra Vôlei Futuro e Uberlândia, times no papel inferiores tecnicamente ao Minas.

Portanto o que se espera é um jogo equilibrado e disputado entre Osasco e Minas. Uma vitória pode fazer com que o Minas passe a ser visto com outros olhos e uma derrota provavelmente deve tirar Osasco dá lideraça da superliga, podendo até cair para a terceira colocação quando o Rio tiver o mesmo número de jogos.

Por falar em Rio, o time carioca está em São Paulo e enfrenta o São Bernardo. Treino de luxo para o jogo contra São Caetano no sábado.

O São Caetano tentando ainda se firmar, recebe o fraco Macaé. Não deixa também de ser um treino de luxo como para o Rio, mas nesse caso para o São Caetano quanto mais jogar melhor, pois a equipe ainda busca o entrosamento ideal. O time deve conseguir a quinta vitória seguida por 3 a 0.

Depois da derrota justa e merecida para o Vôlei Futuro, o Pinheiros em casa precisa se reabilitar contra o Mackenzie. Não digo que é o jogo ideal pois o Pinheiros vai precisar atuar com seriedade e ser mais disciplinado do que foi em Araçatuba. Normalmente faz 3 a 0 e se contar com uma derrota do Osasco para o Minas pode ser o novo líder da superliga. Aliás, já poderia ser o líder, não fosse o resultado negativo contra o Vôlei Futuro.

Em Uberlândia, o time da casa recebe o Vôlei Futuro. Se as equipes repetirem o desempenho da última rodada, é um jogo aberto. Caso contrário, dá Vôlei Futuro.

Em Recife jogam Sport e São José. Confesso que por mais que o fator casa tenha sido decisivo nos últimos jogos, não acho que o Sport terá vida fácil. É mais time, muito mais, porém segue inconstante e alterna boas partidas como jogos muito ruins. Perder de 3 a 0 para São Bernardo em casa foi um durto golpe e se ainda sonha em ficar entre os 8 melhores, vencer hoje é fundamental para o Sport.   

             

      

  

Por Bruno Voloch às 07h48

24/02/2010

Taismary Aguero segue fazendo história no vôlei italiano

A cubana naturalizada italiana, Taismary Aguero, foi a melhor jogadora da sexta rodada do segundo turno do campeonato italiano. Aguero marcou 28 pontos na vitória do Villa Cortese sobre o Urbino Volley por 3 sets a 1. O resultado manteve o modesto Villa Corterse na segunda colocação com 38 pontos, 5 atrás do líder Pesaro.   

Aguero atuou em 15 partidas do Villa Cortese no torneio, jogou 58 sets e completou 303 pontos, com média de 20,2 por jogo. O melhor desempenho de atleta foi na décima primeira rodada do turno quando marcou 33 pontos na derrota por 3 a 2 para o Busto Arsizio da brasileira Fernadinha.

Aguero vai completar 33 anos no próximo dia 5 de Março. Pela seleção de Cuba, ela conquistou a Copa do Mundo em 1995 e 1999, o Grand Prix de 2000, e a medalha de Ouro nas Olimpíada de Atlanta em 1996 e Sidney em 2000. Aguero foi ainda campeã do mundo em 1998. Em 2007, já naturalizada italiana, foi a MVP do campeonato europeu vencido pela Itália e ganhou a medalha de bronze no Grand Prix 2007 e 2008 pela seleção nacional.

O desempenho ruim da Itália na Olimpíada de Pequim e alguns desintendimentos do Francesca Piccinini na época, fizeram com que Aguero desistisse de jogar pela seleção, decisã que só foi anunciada no segundo semestrte de 2009.  

Essa é a nona temporada de Aguero na Itália. De 1998 até 2000, a jogadora defendeu o Perugia. Em 2001 se dedicou somente a seleção Cubana e quano voltou para a Itália em 2002 ficou por mais 3 anos em Perugia. Nesse período ganhou por duas vezes o campeonato italiano, duas vezes a Copa Itália e uma vez a Supercopa.

Em 2005, Aguero se transferiu para o Novara e ficou até 2007 onde foi arriscar a sorte na Turquia defendendo o Telekon Ankara. A experiência não agradou a jogadora que voltou para a Itália com o título de MVP da Turquia e firmou contrato de um ano com o Villa Cortese, equipe que defende atualmente.

Aguero foi uma das primeiros atletas cubanas a abandonar sua equipe nacional para desertar do país com a intenção de fugir do regime político cubano. Em 2001, Aguero abandonou o time de vôlei durante torneio na Suiça.

Nas indas e vindas atrás do visto para entrar em Cuba, Taismary Agüero acabou não se despedindo da mãe. Dulce Fedora faleceu sem que sua filha chegasse no país. Considerada desertora, não recebeu o visto em 2008 a tempo de ver a mãe. Depois de uma longa saga, teve a permissão do consulado cubano, porém tarde demais.

Por Bruno Voloch às 09h14

23/02/2010

Ivna manda recado e avisa que Minas vai surpreender na superliga

O time feminino do Minas tomou gosto definitivamente pela vitória. 

A última derrota aconteceu há quase um mês. O time perdeu em Araçatuba para o Vôlei Futuro por 3 a 0. De lá pra cá, foram 5 vitórias seguidas. Em Uberlândia, o Minas ganhou de 3 a 0 do Praia Clube. Abrindo o segundo turno, passou pelo Macaé em novo 3 a 0. Ainda em casa, o Minas derrotou a forte equipe do Rio por 3 a 1 no último dia 11. No sul do País, a equipe venceu fácil São Jose e Bursque.

Nesta quinta-feira, terá pela frente o time de Osasco, líder do campeonato e em São Paulo. No turno, o Minas foi facilmente batido por 3 a 0.

O blog conversou com Ivna que está muito animada e confiante na nova fase do Minas:

"Estamos mais entrosadas nessa fase. No primeiro turno ficamos muito no "quase", mas os resultados recentes nos deram confiança. Fizemos bons jogos no primeiro turno contra Rio e São Caetano mas não ganhamos. Entramos mais motivadas no segundo turno".

O Minas não é considerado um dos favoritos ao título. Ivna disse que não se incomoda:

"Isso realmente não me incomoda. O que vai fazer a gente ser favorito é o nosso desempenho no final da superliga e vão acreditar na gente. Eu confio e acredito muito no Minas. Eu não posso e não vou me preocupar com o que os outros dizem. Mas vamos surpreender ainda mais na superliga".

Ivna não se esquece a vitória contra o Rio. Segundo a jogadora, foi o melhor jogo do Minas na superliga:

"Foi com certeza nosso melhor jogo e não dá para esquecer uma vitória dessas. Ganhamos de um time muito forte, porque atuamos disciplinadas e muito motivadas. Elas ficaram meio assustadas com a nossa agressividade em quadra".

Osasco ainda não perdeu em casa. Ivna acha que é possível derrotas as paulistas:

"Acho que podemos ganhar delas. Se nosso time estiver concentrado, disciplinado e unido podemos vencer. Osasco tem uma equipe muito forte e de várias jogadoras de seleção brasileira".

A boa fase da norte-americana Nancy Metcalf aumenta o otimismo de Ivna. Aliás, ela rasga elogios a oposta americana:

"É uma jogadora espetacular, forte, está sempre alegre e motivando o time. Ela é importante como todas as outras".

Embora ainda não seja titular, Ivna diz estar 100% fisica e tecnicamente:

"Eu já estou 100%. Falta ainda um pouco de fundo de quadra e visão de jogo, por isso fico um pouco travada ainda".

Em Belo Horizonte, o Cruzeiro ganhou o clássico contra o Atlético por 3 a 1. No Rio, o Botafogo era o "azarão", mas passou por cima de Flamengo e Vasco e foi campeão do primeiro turno.

Ivna não gosta de comparações com o futebol. Na superliga, querendo ou não, Rio, Osasco e São Caetano são os favoritos e o Pinheiros corre por fora.         

O Minas é o quarto colocado com 27 pontos e 11 vitórias.           

Por Bruno Voloch às 16h23

Só vitória por 3 a 0 mantém a Cimed na liderança da superliga

6 partidas serão jogadas esta noite pela quinta rodada do segundo turno da superliga masculina.

Caxias, Sesi, Pinheiros e Cimed são favoritos destacados.

Caixas, grata surpresa da competição, recebe Cuiabá. A lógica é fazer 3 a 0 sem dificuldades e manter a sétima colocação.

Em quarto lugar com 34 pontos, o Sesi encara o Volta Redonda. A história se repete e qualquer placar que não seja 3 a 0 para o Sesi pode ser considerado uma zebra.

O Pinheiros enfrenta o time de Vitória. Com os mesmos 34 pontos que o Sesi, mas em vantagem no sets average, o time paulista não pode da mesma maneira desperdiçar a chance de fazer mais um 3 a 0.

Em Araraquara, a Cimed joga contra o Lupo. É outro jogo que na teoria dá Cimed, talvez não com a mesma facilidade que Pinheiros, Caxias e Sesi encontrarão em suas respectivas partidas. O Lupo em casa costuma jogar bem, saca sem responsabilidade e foi jogando dessa forma que derrotou o Sesi ainda no primeiro turno da superliga. Se deixar um set em Araraquara, a Cimed volta para Florianópolis com mais 2 pontos, porém em segundo lugar. O Cruzeiro voltaria para a liderança.

Jogo quente e interessante acontece em São Paulo entre Ulbra e Minas. Depois de quebrar a invencibilidade do Cruzeiro,o Minas folgou na última rodada e chega inteiro para a partida. A equipe mineira atravessa sem dúvida o melhor momento no campeonato e se vencer assume, mesmo que provisoriamente, a quinta colocação da superliga. A Ulbra segue sendo instável e mesmo em casa não acredito que vença o Minas. Uma vitória esta noite porém, seria uma grande passo para ficar entre os 8 primeiros ao término da fase de classificação.

Se perder logo mais e o Vôlei Futuro derrotar Blumenau, a Ulbra sai da zona de classificação.      

Montes Claros folga na rodada.   

Por Bruno Voloch às 15h04

22/02/2010

Rio conquista 4 pontos e sai no lucro na rodada

O mais complicado e para muitos inesperado, Osasco e Pinheiros conseguiram fazer. Vencer o Rio de Janeiro.

Abriram duas vitórias de diferença e ainda foram beneficiados com mais um tropeço do Rio contra o Minas. Mas tudo, ou quase tudo, foi jogado fora na última rodada.

Como dizem no futebol, a "gordura para ser queimada" foi usada antes do previsto. Osasco conseguiu perder para Uberlândia e o Pinheiros para o Vôlei Futuro. A derrota do Pinheiros é até aceitável, porque o Pinheiros ainda sofre das síndrome de ser time grande e brigar efetivamente pelo título. Quando mais precisa do resultado, não consegue. Fora isso, é necessário enaltecer o bom trabalho de William Carvalho no Vôlei Futuro que segue dando trabalho aos grandes e jogando de igual para igual com equipes como o Pinheiros, que no papel é mais forte.

Já o resultado do Osasco não tem explicação. Mesmo sem contar com Jaqueline, o time tinha obrigação de vencer. Esse foi o segundo tropeço do Osasco no campeonato, antes o time havia perdido para o Sport em Recife. A liderança é fruto das vitórias contra Rio e Pinheiros, não fosse isso, Osasco estaria amargando a quarta colocação no mínimo.

Luizomar deve trabalhar ainda o lado emocional desse time, que dá a impressão de entrar relaxado demais contra determinados adversários e não jogar com a seriedade necessária.

No jogo contra Uberlândia faltou ponteira. Adenízia e Thaísa foram bem, Natália fez o dela, mas Sassá e Thais não. Com o elenco que possui, Osasco não tem o direito de perder duas vezes para adversários tão inferiores tecnicamente.

Faço questão de ressaltar a ótima atuação da jogadora Jéssica de Uberlândia que fez 26 pontos no líder do camçpeonato, mais de um set. Não é pouca coisa.

O Rio jogou mal novamente e ganhou na camisa do fraco Macaé. De positivo mesmo, foi ver o retorno de Carol Gattaz. A jogadora me parece muito longe das condições físicas ideais, mas mostra uma dedicação fora do comum. Ela mesmo admite que ainda sente dores, mas que nessa hora de dificuldade não pode deixar o time nas mãos. Jogou no sacrifício, na bse do profissionalismo.    

O Rio venceu o que é o mais importante. Mas Bernardinho terá trabalho para arrumar o sistema defensivo da equipe que segue vulnerável demais. Bolas que habitualmente eram defendidas, hoje se transformam em pontos do adversário. Regiane segue insegura na recepção e a parte física precisa ser priorizada.

Mas o Rio saiu no lucro. Ganhou dois pontos do Macaé, um do Osasco e mais um do Pinheiros. 

    

Por Bruno Voloch às 08h39

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.