Blog do Bruno Voloch

22/01/2011

Após retirar nódulo do seio, Lo Bianco confessa: "Tive medo de não poder voltar a jogar"

1 de dezembro de 2010. Essa data ficará marcada na vida de Eleonora Lo Bianco. Foi nesse dia que ela foi operada no Instituto Europeu de Oncologia em Milão para a retirada de um nódulo no seio.

A jogadora descobriu o problema durante o mundial do Japão no ano passado e preferiu esconder a situação para não abalar a seleção que lutava pelo título.

O blog falou com Eleonora Lo Bianco. Considerada uma das melhores jogadoras do mundo na posição, a jogadora conta com exclusividade como conviveu com a situação, o drama antes e depois da operação e os riscos que a cirurgia trouxe para sua carreira. Lo Bianco confessa que teve medo de não jogar mais e que se emocionou ao ser aplaudida de pé quando foi relacionada pela primeira vez após a operação.

Como e quando você percebeu que algo estava errado?

"No Japão, durante a Copa do Mundo. Ohei com cuidado e descobri algo sobre a pele que eu não sabia definir o que era exatamente. Fiquei com medo. Eu senti que havia algo embaixo duro, um caroço na verdade. Mas eu não falei com ninguém. Eu não disse nada nem para os médicos da seleção".

Não seria mais correto avisar os médicos ?

"Faltavam poucos dias para a gente voltar e eu fiz essa opção. Assim que cheguei em Bergamo procurei um especialista e disse que gostaria de saber somente a verdade. Os médicos disseram que havia um nódulo em um dos seios e que teria que ser removido o mais rápido possível. No dia seguinte eu entrei no Instituto Europeu de Oncologia, em Milão, onde fui atendida pela equipe do professor Veronesi. Após a operação eles me disseram que havia um leque de hipóteses. O tumor poderia ser benigno, que tudo estaria terminado com a remoção, o mais grave, no caso de metástases. Em ambos os casos seriam controlados pela intervenção cirúrgica".

Qual foi sua sensação de espírito?

"Digamos que eu experimentei um turbilhão de sentimentos, todos concentrados em um tempo muito curto, por isso agradeço a Deus sempre. Acredito que minha serenidade aparente, que provavelmente foi inconsciente, é por causa dos ensinamentos dos meus pais".

E quando o nódulo foi retirado?

"Na verdade, 24 horas depois, eu percebi que tudo estava voltando ao normal. Tinha que olhar pra frente e agir como uma mulher normal. Estes pensamentos positivos são fundamentais para abordar de forma pacífica o curso exigido de uma radioterapia. Não há dificuldades em suportar esse trabalho".

Você teve medo de não poder voltar a jogar ?

"Sim, não vou mentir. Antes de ser operada os médicos foram claros comigo e disseram que o problema poderia se estender ao braço e que poderia perder os movimentos necessários para jogar vôlei".

A solidariedade no seu caso foi impressionante ...

"Senti ao meu redor muita afeição e solidariedade, algo inimaginável. Minha família, pai, mãe, meu irmão, sempre do meu lado. Mas não foram apenas eles, tive colegas, as jogadoras, jornalistas e fãs, incluindo os dos times adversários. Chegaram mensagens de todo o mundo. Na verdade queria agradecer todo o aopio que recebi até hoje".

E como foi ser apludida de pé pelo ginásio na semana passada ?

"Fiquei arrepiada. O Bergamo provou como me ama".

Quando você volta a jogar ?

"Eu comecei a freqüentar a academia, naturalmente, um ritmo suave, sem fazer previsão. Eu faço musculação pela manhã e de tarde pego leve na parte física. Minha programação ainda é diferente. Eu não posso forçar o braço. A ferida está curada mas a profundidade é recente e não pode abrir".

Você jogará ainda essa temporada ?

"Eu ainda me faço essa pergunta. Acho que sim e na fase de playoffs do campeonato estarei em quadra. Fomos eliminados da Champions League e temos obrigação de ganhar o italiano. Quero ajudar minhas companheiras e a torcida sabe que poderá contar comigo".

Por Bruno Voloch às 09h28

21/01/2011

Perugia reage, contrata duas atletas e presidente pede apoio da cidade

'Espero contar com a energia e a confiança das atletas. Vamos dar continuidade ao trabalho que de 40 anos de história e o apoio da torcida e da cidade serão fundamentais'.

Foi com esse discurso que o presidente do Perugia, Alfonso Orabona, se pronunciou pela primeira vez após a crise no clube. Emocionado, Orabonba evitou falar dos atrasados e enalteceu através do site oficial do clube a coragem das jogadoras que 'não abandoram o barco'.

Orabona desmentiu ainda que o treinador Zoran Terzic estivesse deixando o cargo e disse que a ucraniana Krivets não deixará o clube.

No fim, o presidente do Peurgia anunciou a contratação de duas jogadoras: a levantadora Manoela Di Crscenzo e a búlgara Elena Koleva.

3 jogadoras deixaram o clube essa semana. Sanja Popovic foi para a Coreia e atuará pelo Catlex GS, Rykhliuk se transferiu para o Besiktas da Turquia e a levantadora Giulia Rondon para o Villa Cortese.  

Por Bruno Voloch às 14h47

Estrangeiras do Minas protagonizam primeira zebra na superliga

Como é bom ver o Minas ganhando novamente.

Ganhando de time grande, me refiro.

O Minas de tantas tradições e que se esqueceu do seu tamanho nas últimas temporadas.

Longe de ser favorito, o time mineiro devolveu aos torcedores o orgulho deixado de lado em função do pouco caso dos dirigentes em relação ao time feminino.

Tomara que a vitória fora de casa em cima do todo poderoso Osasco , tenha devolvido ao Minas a autoestima.

Esse resultado pode ser considerado zebra ?

Sim. E das grandes.

As jogadoras devem mesmo comemorar a vitória e agradecer em especial as estrangeiras do time.

A norte-americana Nicole Fawcett e a cubana Herrera foram fundamentais em Osasco. Sem elas o Minas não venceria, isso é fato. Vou além. Penso que Nicole tenha feito seu melhor jogo com a camisa do Minas. Escolheu a hora certa.  

Apesar dos 3 a 1, me arrisco a dizer que dificilmente o Minas vai terminar o turno entre os 4 primeiros. O Minas porém segue dependendo somente de seus resultados para entrar no G4.

E como duvidar da capacidade dessa equipe ?

Se mantiver o nível de atuação que teve contra o Osasco, o time mineiro deve jogar de igual para igual com o Pinheiros no sábado. Deve e pode. O Pinheiros suou e só venceu o Mackenzie no tie-break mesmo jogando em casa.

Verdade que cada jogo é um jogo, mas esse Pinheiros e Minas é absolutamente imprevisível depois dos resultados da última rodada. 

Por Bruno Voloch às 10h09

Debandada continua no Perugia. Levantadora Giulia Rondon vai para o Villa Cortese

Mais uma jogadora decidiu deixar o Perugia da Itália.

A levantadora Giulia Rondon anunciou que está trocando o Perugia pelo Villa Cortese.

Oficialmente, Rondon é a terceira jogadora que deixa o clube.

A russa Olga Fateeva já havia assinado com o Atom Sopot da Polônia e Sanja Popovic se transferiu para o vôlei da Coreia. 

A oposta Rykhliuk e a central Krivets já declararam publicamente que não ficam no clube.

O Perugia deve 2 meses de salários e no início da semana as principais jogadoras do time deixaram de treinar.

 

Por Bruno Voloch às 09h48

20/01/2011

Reserva e encostado no Fluminense, Beletti negocia com o Cruzeiro

Os dias de Belleti no Fluminense podem estar contatos.

Insatisfeito com a condição de reserva e pouco aproveitado pelo treinador Muricy Ramalho, Belleti negocia sua ida para o Cruzeiro.

Contratado em julho do ano passado, o jogador fez apenas 9 partidas com a camisa do Fluminense.

Beletti estaria voltando ao clube que o revelou para o futebol brasileiro. Beletti atuou entre os anos de 94 e 96 pelo Cruzeiro e foi convocado pela primeira vez para a seleção justamente quando jogava pela equipe mineira em 1995.

Campeão do mundo em 2002, Belleti está com 34 anos e tem passagens por São Paulo, Atlético Mineiro, Barcelona e Chelsea. 

Por Bruno Voloch às 08h26

Crise se agrava, e duas jogadoras deixam o Perugia da Itália

A crise parece não ter fim no Perugia da Itália.

Após a ameaça de greve por causa dos salários atrasados, o clube perdeu duas jogadoras importantes do elenco.

A russa Olga Fateeva rescindiu contrato com o clube e assinou com o Atom Sopot da Polônia.

Sanja Popovic, musa o vôlei da Croácia, seguiu o mesmo caminho. Insatisfeita com a atual situação financeira do Perugia, a jogadora está de malas prontas para a Coreia.

As mudanças não param por aí. A oposta Rykhliuk tem proposta do vôlei da Turquia e nas próximas horas vai comunicar sua decisão aos dirigentes italianos. A central Krivets também deve deixar o Perugia.

O presidente do clube, Alfonso Orabona, deve dar uma entrevista coletiva em breve para explicar a situação atual do Perugia.

Tradicional clube da Itália, o Perugia tem sérias dívidas com a Federação Italiana. Algumas equipes eram contra a participação do Perugia no campeonato e chegaram a exigir que o clube desse garantias que teria condição financeira de participar do torneio.

Penúltimo colocado e na zona do rebaixamento, o Perugia já foi um dos times de ponta da Itália e casa das campeãs olímpicas Fofão e Walewska. 

 

Por Bruno Voloch às 07h55

Ranking da FIVB tem poucas mudanças: Brasil segue líder, Rússia sobe e Itália cai

Apesar do vice-campeonato mundial, a seleção feminina continua líder do ranking mundial da FIVB.

A entidade diculgou o novo ranking levando em consideração os resultados do mundial do Japão no fim do ano passado.

Mesmo perdendo a final para a Rússia, a seleção brasileira segue na liderança com 200.00 pontos. Os Estados Unidos que conquistaram o Grand Prix mantiveram a segunda colocação com 174.00. O Japão agora é o terceiro no ranking da FIVB com 143.50 e a Itália caiu para a quarta posição somando 139.50 pontos.

Atual bicampeã do mundo, a Rússia assumiu a quinta colocação com 127.50 e deixou a China em sexto lugar com 124.00.

Polônia, Cuba, Sérvia e Alemanha completam a lista dos 10 primeiros do ranking mundial.       

 

Por Bruno Voloch às 07h33

19/01/2011

Reunião deixa Zé Roberto muito próximo do Internacional

Mais uma novela está chegando ao final no futebol brasileiro.

Uma reunião esta tarde entre dirigentes do Vasco da Gama e do Internacional deixou a negociação praticamente fechada.

O empresário do jogador inclusive já teria recebido a minuta do contrato com o clube gaúcho. O Inter propõe 2 anos de contrato.

A palavra final será do presidente do Vasco. Roberto Dinamite vai avaliar os números ainda essa noite, após a estreia do time no estadual, e responderá ao Internacional se concorda com os valores apresentados.

  

Por Bruno Voloch às 19h04

Campeão mundial com a seleção masculina confessa: "Fui obrigado a jogar para perder"

A equipe de Londrina foi sem dúvida a grande revelação do primeiro turno da superliga masculina. O time terminou em sexto lugar e conseguiu resultados expressivos na competição. Londrina foi a única equipe que derrotou o Sesi, líder do torneio. 

O blog conversou com o líbero Allan, um dos destaques do time paranaense na superliga. Campeão mundial com a seleção na Itália no ano passado, Alan conta o drama que viveu após ficar quase dois anos sem jogar. O jogador rompeu o tendão de aquiles quando jogava pelo Lokomotiv Belgorod da Rússia em 2009. Nessa entrevista, Alan elogia Serginho, agradece o técnico Bernardinho, diz estar encantado com o trabalho feito em Londrina, admite que foi obrigado a jogar para perder e confessa que até hoje não sabe porque foi dispensado do Pinheiros.       

Como você está se sentindo em Londrina ?

Muito bem. Esse é o melhor grupo que trabalhei até hoje. Agradeço o convite que recebi do Chiquita, treinador, e para mim tem sido muito gratificante jogar em Londrina. Não existe vaidade entre nós. Nosso objetivo é estar entre os 8 primeiros. A equipe foi montada de última hora e não podemos nos iludir. Existem times mais fortes, mas Londrina vai brigar para crescer ainda mais na superliga. Nós podemos ir além do sexto lugar.

Qual é o favorito ao título ? 

Cimed e Sesi. O Cruzeiro corre por fora. O título ficará entre esses 3 times.

Você concordou com as suspensões impostas pelo tribunal recentemente ?

Claro. Não pode haver esse desrespeito com a arbitragem e entre nós atletas. Como pode vir um cara de fora da quadra como o Daniel do Vôlei Futuro e tentar agredir alguém ? Isso não existe. A coisa passou um pouco do limite e achei corretíssima a atitude do tribunal.     

Pouca gente entendeu sua saída do Pinheiros ...

Até hoje não entendi os motivos da minha dispensa. Ninguém falou nada comigo. Tinha contrato até 2011, mas no final da superliga passada já estavam com o Polaco contratado. Nada contra, mas poderiam ter me avisado. Eles sabiam que estava me recuperando da contusão no tendão, por isso fiz somente dois jogos pelo clube.

Foi decisão do Mauro Grasso ?

Não sei. Ele ainda não era o treinador.

Você recebeu tudo do clube ?

Sim, quase tudo. Existem pequenos detalhes ainda para serem acertados.

Você ficou magoado ?

Não, de forma alguma, mas poderiam ser mais claros comigo.

Rodrigão e Marcelinho também seguiram o mesmo caminho ...

A pressão por vitórias é muito grande e o Pinheiros ainda não ganhou nada. É normal. Os caras precisam dar algum tipo de satisfação. No esporte é assim de uma maneira geral.    

E sua experiência na Rússia ?

Foi muito boa no início. Um primeiro ano espetacular no Dínamo de Moscou onde ganhamos tudo. Depois me transferi para o Lokomotiv Belgorod e as coisas não foram tão positivas. Sofri uma séria contusão no tendão de aquiles e me arrependo da atitude que tomei.

Qual atitude ?

Eu não sabia na verdade, mas tomei corticóide para aliviar as dores nos jogos. Achava que fosse outro tipo de medicamento. Estava anestesiado e durante uma partida acabei rompendo o tendão. Nunca mais faria isso.

E o clube ajudou você ?

Não como deveria. Aliás, eles me devem 50% do contrato e nem pagaram minha cirurgia. Não existe fisioterapia na Rússia como aqui no Brasil e minha recuperação não foi boa.

Como explica o fato de não ter quase jogado no Pinheiros e ter sido convocado ?

Pois é. O Bernardinho acreditou em mim e teve paciência. Essa foi a diferença. Quase não joguei o mundial, mas estive em quadra nos amistosos contra a Polônia e a Alemanha e provei estar 100%. Espero estar na seleção novamente. O trabalho no clube é o reflexo. Respeito demais o Serginho que é o melhor do mundo e também o Mário. Mas trabalho para isso, claro.      

Por falar em Bernardinho, a seleção jogou mesmo para perder no mundial como disse o Mário Jr ?

O Mário foi infeliz. A FIVB foi a culpada naquela ocasião. Já joguei para perder sim, mas não pela seleção.

Quando e como foi isso ?

Jogava no Lokomotiv. O time B tinha subido para a primeira divisão e iria nos enfrentar, time A. O dono do clube é a mesma pessoa e uma vitória do time A derrubaria o B para a segundona. As casas de apostas davam como certa uma vitória do B por 3 a 1. No vestiário veio a ordem para a gente perder de 3 a 1. Entrei furioso em quadra por não concordar com aquilo e acabei sendo substituído. Ganhamos o primeiro set e depois tomamos a virada. O dinheiro das casas de apostas acabou servindo para pagar alguns meses de salários atrasados. Foi uma sensação terrível de ser obrigado a perder.

         

 

 

Por Bruno Voloch às 15h36

Jogadoras do Perugia se recusam a treinar e ameaçam greve na Itália

A crise parace ter chegado definitivamente em Perugia na Itáia.

O time feminino é o penútimo colocado no campeonato e está na zona do rebaixamento.

Como se não bastasse a incômoda posição, as principais jogadoras do time decidiram parar de treinar enquanto os salários não forem colocados em dia.

O treinador sérvio Zoran Terzic, contratado recentemente pelo clube, perdeu 5 das principais jogadoras da equipe, entre elas, Manuela Leggeri, Annamaria Quaranta, Chiara Arcangeli, Giulia Rondon e Veronica Angeloni.

As jogadoras simplesmente não apareceram nos últimos treinos e não deram nenhum tipo de satisfação ao técnico.

O Perugia está com 2 meses de salários atrasados.

A direção do clube, segundo a assessoria do Perugia, desmente a greve e diz que foi apenas uma coincidência o fato das atletas faltarem ao treinamento. 

 

 

Por Bruno Voloch às 10h47

Ziraat Bankasi da Turquia está perto de contratar Rodrigão

Sem mercado no vôlei brasileiro, a Turquia deve ser o destino de Rodrigão.

O jogador da seleção, dispensado pelo Pinheiros no fim do ano passado, assinará contrato até maio de 2011 com o Ziraat Bankasi.

A imprensa local dá como certa a chegada de Rodrigão. O Ziraat Bankasi é o atual líder do campeonato turco.

Se confirmar o acerto, será a primeira vez que Rodrigão jogará na Turquia.

O atleta ficou 4 anos na Itália onde jogou pelo Ferrara e Macerata. 

Por Bruno Voloch às 10h25

18/01/2011

Flamengo ainda busca lateral-esquerdo no mercado

O Flamengo ainda não fechou o elenco para o primeiro semestre do ano. 

Embora a estreia no campeonato carioca seja nesta quarta-feira contra o Volta Redonda no Engenhão, o clube segue buscando reforços.

Após analisar o grupo em Londrina durante a pré-temporada, o treinador Vanderley Luxemburgo pediu a diretoria prioridade na contratação de um lateral-esquerdo. Hoje, o Flamengo conta apenas com Egídio para a posição.

Egídio é considerado inexperiente e Luxa quer um jogador mais 'rodado' para o setor.

Fábio Aurélio é a primeira opção. Se não acontecer o acerto com o jogador que está na Inglaterra, o Flamengo vai buscar outras alternativas.

Júnior César do São Paulo está cotado.

O curioso é que Júnior César hoje é banco para Juan, antigo titular do Flamengo.      

Além de Egídio, Vanderley conta no grupo atual com Rodrigo Alvim para a lateral. O problema é que Rodrigo não é lateral de origem. Jórbson, promovido as categorias de base, está sendo observado pelo treinador.  

Por Bruno Voloch às 08h10

17/01/2011

José Roberto Guimarães sofre na Turquia e capitã do time está fora da temporada

O último fim de semana não foi mesmo dos mais agradáveis para o treinador José Roberto Guimarães.

Além do Fenerbahçe ter perdido a invencibilidade e a liderança da competição para o Eczacibasi, o técnico não poderá contar mais com Cigdem Rasna, capitã do time.

A jogadora rompeu os ligamentos do joelho na partida contra o Eczacibasi e será operada nos próximos dias. Os médicos do clube turco disseram que o tempo de recuperação é de no mínimo 6 meses.

Com isso, a central Rasna está fora do campeonato e da Champions League.

Rasna não é o único problema de Zé Roberto na Turquia. A oposta Seda Tokatlioglu não vem atuando pelo Fenerbahçe em função de uma contusão no pé. A jogadora segue fazendo fisioterapia mas não sabe quando poderá jogar novamente.    

O Fenerbahçe ocupa a terceira colocação no campeonato e vai sediar as finais da Champions League em março. 

Por Bruno Voloch às 20h13

Istambul será sede das finais da Champions League e classifica Fenerbahçe para o Final Four

O Fenerbahçe do treinador José Roberto Guimarães é mesmo o time da moda e anda cheio de prestígio. 

Após ser convidado para jogar o mundial de clubes e conquistar a competição, o Fenerbahçe irá organizar o Final Four da Champions League.

As finais da competição acontecerão entre os dias 19 e 20 de março.

12 times ainda sonham com o titulo e a CEV divulgou os confrontos da terceira fase.

O Pesaro da Itália vai jogar contra o Dínamo de Moscou. Carolina Costagrande, hoje no Dínamo, enfrentará o Pesaro pela primeira vez desde que saiu da Itália. Costagrande conquistou inúmeros títulos pelo Pesaro, atual campeão italiano.

Eczacibasi da Turquia e Cannes da França também devem fazer um duelo interessante. O time turco é líder invicto do campeonato nacional e o Cannes ficou com a medalha de bronze na última edição da Champions League.

Nos demais jogos, o Muszyna da Polônia joga contra o Villa Cortese da Itália, Prostejov da República Tcheca pega o Rabita Baku do Azerbaijão e Bielsko da Polônia encara o Vakifgunes da Turquia.

A equipe do Odintsovo da brasileira Walewska foi a maior beneficiada.

Como o Fenerbahçe vai sediar as finas, o time russo ganhou o direito de jogar a terceira fase da competição. O Odintsovo terá que passar pelo Volero Zurich, time que derrotou o Vôlei Futuro recentemente na final do Top Volley na Suíça.     

 

 

  

Por Bruno Voloch às 19h53

Nome de Valdívia é comentado nos bastidores do Fluminense

O clima pesado no clube é o trunfo que o Fluminense teria nas mãos para tirar Valdívia do Palmeiras.

O jogador tem contrato por mais 5 anos com o Palmeiras.

No último amistoso antes da estreia no estadual, o Fluminense derrotou o Tigres por 5 a 2. Mas o assunto que dominou o jogo-treino foi a possível contratação de Valdívia.

O pedido teria sido feito pelo técnico Muricy Ramalho.

Celso Barros diz 'desconhecer' o assunto, mas o Fluminense vai esperar o resultado das eleições no Palmeiras para definir a questão.

   

Por Bruno Voloch às 08h39

Fenerbahçe perde e cai para o terceiro lugar na Turquia

No jogo mais esperado do campeonato turco, o Fenerbahçe de Fofão e Zé Roberto Guimarães levou a pior.

Mesmo jogando em casa, o time perdeu para o Eczacibasi por 3 sets a 1 com parciais de 20/25, 25/23, 21/25 e 18/25.

A oposta Neslihan Darnel foi o destaque da partida com 26 pontos. Osmokrovic marcou 19 pelo Fenerbahçe. 

Com a vitória, além de assumir a liderança com 27 pontos, o Eczacibasi de Darnel passa a ser o único invicto no campeonato turco.

O Fenerbahçe perdeu a invencibilidade e o segundo lugar no campeonato. O Vakifbank venceu fácil o Iller Bankasi por 3 a 0, foi aos 24 pontos e deixou o time da levantadora Fofão com 21 em terceiro.

O Galatasaray de Érika voltou a vencer e respirou na competição. A equipe derrotou por 3 a 0 a Dicle Universitesi e se manteve em sétimo lugar. Érika esteve em quadra os 3 sets e colaborou com 5 pontos.

     

    

Por Bruno Voloch às 08h12

Lo Bianco reaparece, Bergamo vence e Conegliano lidera na Itália

Eleonora Lo Bianco está de volta.

Após passar por uma cirurgia para a retirada de um nódulo no seio, a levantadora Lo Bianco finalmente reapareceu no ginásio Palanorda em Bergamo para a alegria de quase 3.000 torcedores.

Lo Bianco foi relacionada para a partida contra o Villa Cortese mas ficou apenas de uniforme e não foi utilizada pelo treinador Davide Mazzanti. 

No retorno de Lo Bianco, o Bergamo fez bonito e derrotou o Villa Cortese por 3 a 0. Piccinini foi a melhor em quadra com 17 pontos. O Villa Cortese jogou desfalcado de Aguero e da levantadora Berg.

O Bergamo assumiu a terceira colocação com 14 pontos.

O líder do campeonato é o Conegliano que venceu o Modena por 3 a 1 e chegou aos 16 pontos. O Modena da levantadora brasileira Fernandinha ocupa a décima posição com apenas 7 pontos.

O Busto Arsizio perdeu em casa de forma surpreendente para o Novara por 3 a 0 e caiu para segundo com 15 pontos.

Em casa o Pesaro fez 3 a 0 no Perugia com 15 pontos da norte-americana Hooker. O Pesaro tem também 14 pontos e é o quinto colocado.

Após passar pelo Castellana Grotte, o Piacenza deixou a zona de rebaixamento. A argentina Natália Brussa fez 30 pontos.

Perugia e Pavia são os últimos colocados.

      

 

 

Por Bruno Voloch às 07h53

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.