Blog do Bruno Voloch

29/01/2011

De mal a pior, Vôlei Futuro veste a camisa do Sesi

Nem o mais pessimista torcedor de Araçatuba poderia prever uma quadra tão desanimador.

Após um bom início de projeto que culminou com o título paulista, o Vôlei Futuro simplesmente despencou. Com apenas 50% de aproveitamento na superliga, o time está perto de chegar ao ponto de ter que torcer por outras equipes para não correr o risco de ficar fora da segunda fase da competição.

Seria algo vergonhoso, mas que não está muito distante de acontecer.

16 jogos, 8 vitórias e 8 derrotas. Campanha semelhante ao do Minas e também do jovem time de São Bernardo. 

O Vôlei Futuro não pode e nem deve se imaginar nas 4 primeiras colocações. Não conseguirá. O melhor que tem a fazer é se concentrar e brigar pela sétima ou oitava posição.

Pela bola que vem jogando, estaria de ótimo tamanho. Ainda pela bola que vem jogando, não dá para apostar nisso e o mais provável é que o fanático torcedor de Araçatuba sofra mesmo até o fim com esse time. 

O Vôlei Futuro enfrenta o imprevisível Minas no domingo. Antes porém, deve se vestir de vermelho e torcer pelo Sesi contra São Bernardo. Uma vitória do Sesi, líder da superliga, tiraria um pouco da pressão do Vôlei Futuro que terminaria a rodada ainda entre os 8. Que drama.

Agora, se os meninos comandados por Rubinho ganharem do Sesi, a situação se complica de vez. Uma derrota diante do Minas deixaria o Vôlei Futuro em nono lugar, ou seja, fora dos playoffs mesmo que momentaneamente. Seria algo vergonhoso para um clube que investiu tanto e que chegou, precipitadamente, a ser apontado como favorito.

O Vôlei Futuro foi atropelado pelo Cruzeiro no último jogo. Errou demais, estava sem confiança e nem mesmo Ricardinho e Leandro Vissoto se salvaram. Os dois, craques inegáveis, parecem contagiados pela pobreza técnica da equipe.

O líbero Mário Jr não está jogando 50% do que mostrava na Cimed e levou um ponto de saque ridículo no fim da partida.

Fazer 2 pontos, isso mesmo, 2 pontos de bloqueio em 3 sets é inaceitável. Será que Chico dos Santos tinha razão ?

Aliás ninguém conseguiu entender até hoje os motivos de sua saida. Se aparentemete serve na seleção, como não dar certo ao lado de César no Vôlei Futuro ?    

Antes que eu me esqueça, a ausência de Lucão não serve como desculpa.

Por fim, não seria justo deixar passar a ótima campanha do Cruzeiro. William e Wallace foram os destaques na tranquila vitória em Araçatuba.

        

Por Bruno Voloch às 09h41

28/01/2011

Carlos Alberto pode voltar ao futebol europeu. Grêmio e Cruzeiro são alternativas no Brasil

Fora dos planos do Vasco e com o contrato para ser rescindido com o clube nos próximos dias, Carlos Alberto já começa a pensar no futuro e longe de São Januário.

O retorno ao futebol europeu não está descartado. A 'janela' de transferências fecha somente no dia 5 de fevereiro.

O Grêmio, dirigido por Renato Gaúcho, é a primeira opção no Brasil. Carlos Alberto e Renato já trabalharam juntos e o treinador nunca escondeu de ninguém a admiração que sente pelo futebol de Carlos Alberto.    

A relação de Roger e Cuca no Cruzeiro está estremecida. O jogador foi afastado pelo treinador e Carlos Alberto surge como opção para reforçar o Cruzeiro. 

Carlos Leite, procurador de Carlos Alberto, espera contato da diretoria do Vasco para acertar o desligamento do jogador.

Por Bruno Voloch às 21h44

Carlos Alberto pode estar com os dias contados no Vasco. Emerson Leão é 'oferecido'.

A discussão entre Carlos Alberto e o presidente Roberto Dinamite pode custar caro para o jogador.

Após optarem pela demissão do treinador, o assunto Carlos Alberto foi discutido pela diretoria do clube e o presidente.

Uma nova reunião acontecerá na parte da tarde em São Januário. 

O departamente jurídico do Vasco foi acionado e estuda a possibilidade de liberar Carlos Alberto sem que o clube tenha prejuízo. Carlos Leite, procurador do jogador, já teria sido informado. Carlos Alberto tem contrato até 2013.

Se ficar no Vasco, Carlos Alberto terá que se retratar publicamente.

Felipe pode até permanecer no clube. O jogador não tinha bom relacionamento com PC Gusmão e a diretoria espera ter 'solucionado' o mau momento de Felipe com a demissão do treinador. O Avaí tem interesse na contratação do meia.  

Rodrigo Caetano, homem forte do futebol do Vasco, é contra e pressiona Roberto para que Felipe seja liberado. Sem dar satisfação, Felipe abandonou a delegação antes mesmo do jogo contra o Boavista terminar.    

Abel Braga é o técnico ainda preferido para substituir PC.

Emerson Leão teria sido 'oferecido' ao Vasco. Leão treinou o Goiás no brasileiro de 2010 e teve problemas com Carlos Alberto quando os dois trabalharam no Corínthians. Leão foi jogador do Vasco no final da década de 70.

A tendência é que Gaúcho seja o treinador do Vasco contra o Flamengo no domingo. Outra opção seria usar o ex-zagueiro Jorge Luís que faz parte da comissão técnica.

 

Por Bruno Voloch às 13h56

Resultado entre Rio e Pinheiros mostra a diferença de ser grande e querer ser grande

O Pinheiros valorizou e como a vitória do Rio de Janeiro no melhor jogo da superliga até agora.

Jogo equilibrado, relativamente interessante tecnicamente, com falhas dos dois lados, das duas levantadoras e com uma diferença. Uma não duas.

Sheilla desequilibrou a favor do Rio e no tie-break o Pinheiros sentiu demais a responsabilidade e a possibilidade de derrotar o Rio. Resultado ?

Entregou o quinto set de maneira inacreditável.

Respeito o time feminino do Pinheiros, admiro o trabalho do técnico Paulo Coco, mas se realmente quer virar 'time grande' precisa quebrar alguns tabus.

Penso que uma vitória ontem contra o Rio ajudaria o time paulista nesse sentido e talvez desse as jogadoras a confiança necessária para acreditar que a equipe pode derrotar os times de ponta.

A história porém se repetiu. Não dá para perder um tie-break da forma como o Pinheiros perdeu. Sinto muito. Não estamos falando de um time jovem e de meninas e sim de uma equipe rodada e experiente. 9 a 5 a favor, para 15/10 contra significa que o time fez 1 ponto após abrir 9 a 5 e levou 10. Moral ?

10 a 1.  

O que falta então ?

Confiança e segurança. Perder a insegurança na hora de ganhar o jogo. Essa é a grande diferença entre o Rio, autêntico time grande e o Pinheiros, postulante a time grande.

Tomara, para o bem do Pinheiros, que as jogadoras tenham aprendido a lição com a derrota no Rio. Esse tipo de situação serve para o amadurecimento e crescimento de um grupo.

O Rio esperava um jogo duro e se preparou as possíveis dificuldades. Virou o jogo no quinto set na camisa e na tradição de um time acostumado a conquistar títulos.

 

 

 

  

Por Bruno Voloch às 10h22

Pinheiros perde mais uma, Rodrigão sofre parado e Treviso de Marcelinho ganha mais uma na Itália

Pinheiros, Rodrigão e Marcelinho vivem momentos distintos.

Pela superliga, o Pinheiros caiu diante do São Bernardo e fica cada vez mais longe dos líderes.

Rodrigão segue sem conseguir resolver suas pendências jurídicas com a empresa que patrocina o clube paulista e continua impedido de atuar.

Enquanto isso na Itália, Marcelinho vai aproveitando os prazeres da vida.

O Sisley Treviso, novo time do levantador, conseguiu mais uma vitória no campeonato. Na abertura da segunda rodada do returno, o Treviso derrotou o Modena por 3 a 1 com destaque para oposto Fei que fez 19 pontos. O Treviso é o quarto colocado com 29 pontos.

O Trentino do também levantador Rapha e de Riad segue mais líder do que nunca. O time bateu o San Giustino de Lorena por 3 a 0 e chegou aos 44 pontos. Rapha jogou apenas algumas passagens do primeiro set e Riad deixou 6 pontos.

O Cuneo que derrotou o Trentino no domingo passado e conquistou a Copa Itália, derrotou o Forli pelo mesmo placar, foi aos 36 pontos e continua na segunda colocação.

Bob e Evandro, brasileiros que atuam pelo Castellana Grotte, finalmente tiveram motivos para sorrir. O time deles venceu de virada o Latina por 3 sets a 2. Bob e Evandro fizeram 14 pontos casa. Mesmo assim, o time ainda está longe de deixar a zona de rebaixamento. O Castellana soma apenas 6 pontos o adversário mais próximo é justamente o Latina com 15.

Nos demais resultados da rodada, destaque para a surpreendente derrota do terceiro colocado Macerata para o Brianza por 3 a 2.

  

    

 

Por Bruno Voloch às 09h48

Fofão volta, Fenerbahçe vence e assume segundo lugar

Afastada do campeonato turco e atuando somente na Champions League, a levantadora Fofão finalmente voltou a jogar.  

A jogadora esteve em quadra e ajudou o Fenerbahçe na vitória de 3 a 0 sobre o frágil Nilufer Belediyesi. As parciais foram de 25/16, 25/18 e 25/14.

O resultado deixa o Fenerbahçe com 27 pontos e empatado na segunda colocação do campeonato ao lado do Vakifgunes. O líder com 30 pontos ainda é o Eczacibasi.

O time dirigido pelo brasileiro José Roberto Guimarães enfrenta no domingo o Iba Kimiya.

 

Por Bruno Voloch às 09h21

27/01/2011

Falta transparência no caso Rodrigão. Giba vira personagem e é citado

A justificativa oficial da empresa que ainda patrocina o vôlei masculino do Pinheiros para as dispensas de Marcelinho e Rodrigão foi exatamente a mesma.

Segundo consta, o 'fato ocorreu por decisões estratégicas e projetos distintos apontados pelas partes envolvidas'.

Vamos admitir, mesmo sabendo que a verdade não é essa e os motivos reais da dispensa dos atletas foram outros, que a empresa nos convenceu de que a justificativa apresentada é a mais pura realidade.

Muito bem.

Como explicar então o fato de Marcelinho já estar empregado na Itália e atuando num time de ponta da europa ?

Se Rodrigão foi mandado embora pelos mesmos motivos qual a dificuldade então de rescindir o contrato ?

Simples. Os casos são distintos e não existe nenhuma transparência na relação da empresa com a mídia nessa caso.

Os dois tinham contrato de mais um ano, ou seja, até 2012.

Os valores contratuais eram diferentes e Rodrigão ganhava mais do que Marcelinho. Isso porém é o que menos importa.

Só não enxerga a realidade quem não quer ou faz questão se iludir.

Marcelinho resolveu a vida em pouco tempo. Fez um acordo, assinou a rescisão, recebeu o que deveria e tratou de arrumar a vida. Está na Itália e valorizado da mesma forma.

Houve boa vontade de ambas as partes em resolver a questão.

O caso de Rodrigão é diferente e a empresa com as atitudes recentes apenas demonstra com clareza a insatisfação com o comportamento do jogador ainda quando atleta do Pinheiros.

Ninguém engoliu declarações via twitter, o interesse dele na formação do time em Santos e o suposto envolvimento com o agenciamento de atletas através da empresa onde é sócio.

Fora isso, conforme o blog apurou na época, a comissão técnica estava cansada de tantas reclamações de Rodrigão no dia a dia do Pinheiros. O desgaste era grande e desde os tempos em que Cebola era o treinador.

A empresa dá a entender que está dando um 'castigo' em Rodrigão, talvez por suas atitudes. Caso contrário, o jogador já teria sido liberado para jogar na Turquia. O blog divulgou há mais de uma semana, o acordo entre Rodrigão e o Ziraat Bankasi da Turquia.

Se realmente pensa em jogar vôlei novamente essa temporada, Rodrigão deveria deixar de lado o aspecto financeiro. Não duvido que nessa relação mentirosa entre atleta, clube e patrocinador, Rodrigão tenha razão em cobrar o que é devido de contrato. Se foi mandado embora, nada mais natural que tenha o direito de receber.

Mas as coisas não são tão simples assim e o tempo prova isso.

As partes podem se entender agora e anunciar um acordo. Ficará bonito para os dois lados e na mídia em geral, mas é evidente que as atitudes de Rodrigão, ainda como jogador, estão tendo influência direta no modo de agir da empresa.

Rodrigão, repito, deve ter cuidado nas declarações. Agora citou Giba e o ex-jogador Kid na tentativa de justificar o injustificável.

Se Kid fazia o mesmo, errou. Quanto ao jogador Giba, Rodrigão nos dá o direito de apurar os fatos. Seria isso ? O que Rodrigão insinua ?

Rodrigão me parece perdido, que pena.

Ele disse pressentir que o clube no início da temporada, assim que voltou da seleção, já tinha a intenção de mandá-lo embora. Segundo o atleta, o Pinheiros fez tudo premeditado para que ele ficasse sem jogar e não pudesse atuar em outra equipe.

Se sabia disso tudo, errou novamente. Com a personalidade que tem e qualidade técnica invejável, o jogador ficou acomodado. Nãolhe disseram que estava na marca do pênalti ?

Rodrigão poderia procurar a empresa, rescindir o contrato, deixar o lado financeiro de lado e procurar, ainda em tempo, um novo clube.

Não fez. Esperou e pagou pra ver.

Por falar em 'pagar' ...

Por Bruno Voloch às 09h35

Renato Abreu na ala esquerda é questão de tempo no Flamengo

O jogo contra o Americano foi apenas um aperitivo.

O Flamengo não jogou bem e encontrou algumas dificuldades para superar um adversário muito fraco tecnicamente. Venceu sem convencer e com um jogador a mais desde o primeiro tempo.

O resultado foi importante ?

Sim, claro.

O time segue líder e sem ser ameaçado na liderança de seu grupo.

Enquanto Ronaldinho não faz sua estreia, Vanderlei Luxemburgo segue fazendo experiências e observando alternativas táticas.

Uma delas é usar Renato Abreu como ala esquerda e Egídio perder a vaga de titular.

Ronaldinho, Thiago Neves e o argentino Botinelli poderiam jogar juntos se Renato atuar como ala.

Thiago por sinal merecia um melhor tratamento da direção do clube. Sua primeira partida oficial foi pouco badalada perto do esforço que o Flamengo fez para contratá-lo.

O Flamengo poderia promover uma grande festa e Thiago ser 'apresentado' contra o Vasco no domingo. Poderia, passou e Thiago já jogou. Jogou não, esteve em campo nos 2 a 0 contra o Americano.

Com Ronaldinho em campo, Botinelli pronto e Thiago melhor fisicamente, o 'desenho tático' do Flamengo diante do Nova Iguaçu, poderá ter Renato na ala, Botinelli Thiago no meio e Ronadinho no ataque.

É apenas questão de tempo. 

Por Bruno Voloch às 08h01

26/01/2011

Campinas quer montar time feminino e sonha com José Roberto Guimarães

A temporada 2010/2011 mal terminou e o mercado começa a ficar agitado.

A prefeitura de Campinas em parceria com uma grande empresa que atua na área de saúde, estaria disposta a montar uma equipe feminina para 2011/2012.

Para ganhar força e credibilidade, o nome para comandar o futuro time e tocar o projeto já teria sido escolhido: José Roberto Guimarães.

Único treinador campeão olímpico nas duas categorias, Zé Roberto dirige atualmente o Fenerbahçe da Turquia e tem contrato até maio desse ano.   

Campinas possui hoje um time masculino que foi formado pelo ex-jogador da seleção e campeão olímpico Maurício.

  

Por Bruno Voloch às 14h28

Calderon deixa seleção de Cuba e acerta com a Rússia

Os dirigentes do Odintsovo da Rússia preferem adotar a cautela, mas fontes internas do clube dão como certa a contratação da cubana Rosir Calderon para a temporada 2011/2012.

A jogadora inclusive já teria assinado um pré contrato com o clube de duração de dois anos.

Grávida, Calderon não jogou a últimas competições pela seleção de Cuba.

Se a contratação for confirmada, Calderon deixará a seleção de Cuba e não jogará a olimpíada de Londres em 2012.

A legislação de Cuba não permite que as jogadoras que estão fora país joguem pela seleção. Só podem atuar pela seleção, as atletas que atuam em Cuba.

Medalha de bronze na olimpíada de Atenas em 2004 e ouro no pan do Rio em 2007, Calderon está com 26 anos e era considerada uma das jogadoras mais importante da atual geração de Cuba    

  

Por Bruno Voloch às 11h45

25/01/2011

Com um 'galáctico' e sem contar com Giba até março, Pinheiros tem futuro sombrio

A sorte definitivamente não acompanha o vôlei masculino do Pinheiros.

Formada para ganhar tudo e de todos, o time até hoje não conquistou nada. Perto de completar dois anos de parceria com o patrocinador, o Pinheiros acumula derrotas, demissões e crises.

Quando a coisa parecia querer entrar nos eixos, aparece o problema de contusão de Giba. Uma pena.   

Virtual quinto colocado com 10 vitórias, o Pinheiros deverá ter sérios problemas para se manter no mínimo nessa posição.

Giba só volta ao time em início de março, ou seja, na décima segunda rodada. Até lá o Pinheiros terá enfrentado equipes de ponta como Sada e Vôlei Futuro e times perigosos como Minas e São Bernardo.

Dizem que nossas horas os jogadores se unem, o elenco ganha ainda mais força, porém a realidade é muito diferente do discurso pra lá de conhecido.

Dos galácticos, só sobrou Gustavo. Marcelinho e Rodrigão foram embora e Giba está fora.

Nem o mais pessimista investidor poderia imaginar um cenário tão ruim como o que se apresenta.

Mauro Grasso terá que fazer mágica para manter o time motivado depois da perda de Giba. É sua obrigação, mas convenhamos que o próprio Mauro deve ter sentido o golpe. 

As chances de terminar a fase de classificação em quarto lugar eram pequenas e agora diminuem consideravelmente. Será lucro, embora improvável, ficar em quinto lugar. O Pinheiros pode terminar até em sexto, sétimo lugar, o que obrigaria a equipe a enfrentar Sesi ou a Cimed já nas quartas e com Giba ainda se recuperando fisicamente.

Nesse caso, o glorioso Pinheiros poderia se despedir ali mesmo do campeonato, o que seria um novo fracasso.  

Claro que são apenas suposições, mas o panorama não é dos mais animadores para o Pinheiros e a realidade bem próxima disso.

Responsabilizar somente a falta de sorte não seria coerente. Esse time do Pinheiros sempre foi inconstante e nunca deu sinais efetivamente de que brigaria por títulos.

O que começa errado, normalmente acaba errado.

É uma pena, mas essa lição deve servir de aprendizado para muita gente. Pessoas que se sentem acima do bem e do mal, não aceitam críticas e não foram preparadas para perder. A derrota faz parte do esporte. 

A crítica, devo deixar claro, não cabe aos atletas, muito menos ao treinador Mauro Grasso e sim aos dirigentes do clube e seus parceiros.

Um time com 6 jogadores somente dificilmente ganha campeonato. Elenco talvez.

O Pinheiros se vê obrigado a responder essa questão a partir de agora e tirar forças da onde nunca mostrou ter. 

É triste, cruel talvez, ver a constelação desmoronando.

Gustavo é a única estrela de pé.

Por Bruno Voloch às 10h11

Na Itália, Perugia sofre nova derrota. Conegliano lidera e Pesaro assume segundo lugar

A crise não deixa o Perugia.

Após uma semana complicada que terminou com 3 jogadoras deixando o clube, duas contratadas e o presidente pedindo apoio da cidade, o time segue sua sina de derrotas.

Fora de casa e longe da torcida, o Perugia perdeu de 3 a 0 para o Novara e se manteve na penúltima colocação com apenas 7 pontos.

O surpreendente Conegliano segue líder do campeonato com 19 pontos. A romena Marinela Turnea marcou 29 pontos na vitória de 3 a 1 diante do Piacenza.

Com 22 pontos da holandesa Manon Flier, o Pesaro venceu o Villa Cortese por 3 a 1 e assumiu a segunda colocação do campeonato.   

A brasileira Renatinha, ex Osasco e Rio de Janeiro, fez 13 pontos na vitória do Urbino contra o Busto Arsizio.

O Bergamo de Piccinini, Arrighetti e Ortolani perdeu por 3 a 2 para o Castellana Grotte e caiu para quarto lugar com 15 pontos. A levantadora Lo Bianco segue sem jogar ainda se recuperando da cirurgia para a retirada de um nódulo no seio. 

Fechando a oitava rodada, o Pavia perdeu mais uma e continua em último. Jogando fora, o time foi derrotado por 3 a 2 para o Modena e soma apenas 1 ponto. O Modena soma 9 pontos e se distanciou da zona de rebaixamento.  

 

Por Bruno Voloch às 08h12

Elisângela 'derrota' Fernanda Garay no Japão

O jogo na cidade de Kobe envolvia Hisamitsu e Nec.

Mas o duelo que chamou atenção na última rodada do campeonato japonês foi entre as brasileiras Elisângela e Fernanda Garay.

Ex-jogadora da seleção, Elisângela saiu vitoriosa. O Hisamitsu venceu o Nec por 3 a 1 com 31 pontos da oposta brasileira.

Fernanda Garay, que estava no grupo que disputou o mundial pela seleção, terminou como maior pontuadora do NEC com 21 pontos, insuficientes porém para evitar a derrota do seu time.   

A vitória deixa o time de Elisângela na terceira colocação do campeonato. Com a quinta derrota na competição, o NEC caiu para quarto lugar. 

Comandado pela levantadora Takeshita, o JT Marvelous segue líder do japonês.   

 

Por Bruno Voloch às 07h39

Contusão de Giba teve influência direta na vitória do Sesi

Ninguém pode prever exatamente o que aconteceria na partida entre Pinheiros e Sesi caso Giba não tivesse deixado o jogo contundido.

A partida estava equilibrada, 1 a 1 em sets e 1 a 1 era o placar do terceiro set no momento da contusão do jogador.

O Pinheiros tinha acabado de vencer o segundo set e se recuperar no jogo.

É evidente que com a presença de Giba o Pinheiros se comportou de uma maneira e sem ele em quadra a realidade foi bem diferente. Para um time abalado emocionalmente e frágil após as saídas de Marcelinho e Rodrigão, perder Giba em pleno clássico e contra o melhor time do campeonato foi sim determinante.

Ao mesmo, não dá para afirmar que se Giba continuasse no jogo o Pinheiros venceria por 3 a 1 ou 3 a 2, mas as chances seriam bem maiores.

Com a bola rolando novamente, o Sesi mereceu vencer e teve a capacidade de não perder o poder de concentração após a longa paralização.

Giba é querido por todos, faz parte da seleção e Murilo, diretamente envolvido no lance da contusão, soube superar a pressão de ter 'tirado' Giba da partida.

Acontece e faz parte do esporte.

Não foi a primeira e certamente não será a última vez que um jogador tem esse tipo de contusão.

A ausência de Giba a partir do terceiro set teve influência direta na vitória do Sesi por 3 a 1. Com Giba, o Pinheiros poderia até não vencer, como acho que não ganharia, mas o resultado do jogo talvez fosse outro. 

 

Por Bruno Voloch às 07h14

24/01/2011

Versão 2011, Fred beira a perfeição dentro e fora de campo

Não tenho dúvida em afirmar que Fred é o melhor centroavante em atividade no futebol brasileiro.

É bem verdade que estamos em início de temporada, o Fluminense só jogou duas partidas, mas o comportamento de Fred dento de campo é exemplar. Dentro e fora, o que deixa os torcedores do Fluminense ainda mais tranquilos.

O artilheiro do campeonato carioca com 3 gols mudou e pra melhor.

Fred entendeu que para voltar a brilhar no futebol, tinha que somente se dedicar ao próprio futebol.

Bem orientado, o jogador parece estar longe das baladas e focado em apenas treinar e jogar. Quem bom.

Fred percebeu que era preciso deixar de lado os prazeres da vida.

Com a cabeça no lugar, tem sido exemplo também fora de campo. Liderou o movimento para ajudar as vítimas na região serrana do Rio e por conta própria fez a doação de quase 60 mil reais. Maravilha, que exemplo.

Fred não esqueceu de jogar bola. Marca, ataca, defende, faz tabela, chuta com a esquerda, com a direita e cabeçeia como poucos.  

Sem Conca e com Deco apagado como de hábito, Fred é a estrela do Fluminense desse início de 2011. 

 

Por Bruno Voloch às 08h45

Loco Abreu volta a causar polêmica e admite deixar o Botafogo

Dois jogos, duas vitórias e a liderança do grupo B da Taça Guanabara.

Curiosamente, a boa campanha no campeonato carioca não serve para acalmar os ânimos no Botafogo.

Segundo Joel Santana, a reunião de quase duas horas no meio da semana passada, não serviu para 'lavar a roupa suja'. Deveria.

Loco Abreu jogou normalmente contra a Cabofriense e teve partipação importante na vitória de 5 a 0.

O jogador no entanto voltou a causar polêmica.

Através de seu site oficial, Loco Abreu disse abertamente que o relacionamento com o treinador é apenas profissional e os dois se respeitam.

Loco Abreu afirmou categoricamente que se a personalidade dele estiver incomodando a comissão técnica e os dirigentes, prefere deixar o clube. Em tom de despedida, Loco Abreu ainda agradeceu o apoio da torcida e diz que tem muito respeito pelos torcedores do Botafogo.

Por Bruno Voloch às 07h26

Fenerbahçe volta a vencer e Érika faz 10 pontos na vitória do Galatasaray

O adversário era considerado ideal. Último colocado no campeonato, o Dicle Univertsiti não poderia ameaçar ao Fenerbahçe que jogava para se recuperar na competição.

Dito e feito.

Embora tenha encontrado uma certa resistência no terceiro set, o time dirigido pelo brasileiro José Roberto Guimarães venceu por 3 a 0 com parciais de 25/18, 25/19 e 25/23.

Fofão e Skowronska ficaram de fora e a Osmocrovik foi o destaque do Fenerbahçe com 17 pontos. A russa Sokolova marcou 16.

Jogando fora de casa em Ankara, o Galatasaray passou fácil pelo Iba Kymia também por 3 a 0. A brasileira Érika, recuperada da cirurgia no joelho, marcou 10 pontos e esteve em quadra os 3 sets.

Com a vitória, o Galatasaray continua na sexta posição com 15 pontos.

O Fenerbahçe é o terceiro colocado atrás do Eczacibasi e do Vakifgunes que também ganharam na rodada.    

Por Bruno Voloch às 06h59

23/01/2011

Derrota passa pela tristeza de Fabiana, o saque de Paula e a garra de Tandara

O Vôlei Futuro voltou a perder.

Mais de 2.000 torcedores compareceram ao ginásio Plácido Rocha e enfrentaram um dia típico de verão com a esperança de ver o que no íntimo sabiam que seria complicado. Vencer o Rio de Janeiro.

O torcedor de Araçatuba é inteligente, acompanha vôlei faz tempo e entende do jogo. Público educado e que vem sofrendo com derrotas sucessivas dos times feminino e masculino. Mesmo longe do ideal, o masculino até que respirou com as últimas vitórias, mas o feminino ...

O feminino tremeu contra o Rio. O feminino teve medo de jogar contra o time de Bernardinho e só ganhou o terceiro set porque o Rio baixou a guarda.

O jogo teve lances patéticos. O que foi aquele saque por baixo da rede de Paula Pequeno ?

Alguma explicação ?

Uma MVP de Olimpíada, não é isso, sacar por baixo da rede ?

Foi cômico, para não dizer vergonhoso.   

O medo de jogar era tanto que Andressa no segundo set errou uma bola sozinha na rede de cheque.

Insegurança talvez de uma menina que tem potencial mas que estava visivelmente assustada com o adversário.

E Fabiana ?

4 sets, quase duas horas de jogo e não vi Fabiana sorrindo um só minuto. Capitã da seleção, Fabizona parecia presa e desconfortável em quadra. Tem bola para muito mais. Fabizona não é assim. Joga normalmente alegre, pra cima, com entusiasmo e não vi nada disso. Vi sim, uma Fabiana inconformada e desabafando com Paula Pequeno:

'Não sei mais o que fazer', disse a central do Vôlei Futuro em um dos pedidos de tempo do técnico William. 

Ana Cristina fez o que podia, brilhou no terceiro set e não pode ser culpada por mais esse resultado negativo.

Joycinha foi irregular. William é o culpado.

Esse entra e sai da Neneca em quadra é irritante. Neneca vibra e salta como poucas, mas não resolve nada.

Tandara deu gosto de ver. William é o culpado também, afinal apostou nela.

Corajosa e guerreira, contagiou o time nos raros momentos de lampejo do Vôlei Futuro. Tandara se for trabalhada da maneira correta, tem tudo para ser uma das grandes jogadoras do campeonato. Vou além. Tandara, oposta de natureza, está se esforçando para jogar de ponta passadora e já merece ser observada por Zé Roberto.

Diante das dificuldades do time, deixar o jogo contra o Rio com 20 pontos, é de se respeitar. 

Tandara é a imagem do que o carente torcedor de Araçatuba quer ver em quadra.   

 

Por Bruno Voloch às 15h22

Apesar dos 3 a 1, Rio ganhou com sobras do Vôlei Futuro

Foi o primeiro grande teste para o Rio de Janeiro na atual superliga.

As 8 vitórias conquistadas até o início dessa rodada foram todas em cima dos times considerados pequenos, ou seja, vencer era mais do que obrigação.

Com uma boa dose de tolerância, poderia excluir o Minas dessa lista dos pequenos, adversário que o Rio ganhou e bem.    

Criaram um 'fantasma' para o jogo contra o Vôlei Futuro como se o Rio pudesse realmente ser derrotado. Claro que não.

A superioridade do time carioca foi visível em todos os aspectos. O Rio passeou em quadra nos dois primeiros sets, ganhou como quis e só perdeu o terceiro set por causa de um relaxamento até previsível diante da facilidade encontrada até então. 

O quarto set, foi um duelo entre Tandara e o time carioca. Na metade do set, Tandara não aguentou o ritmo, cansou e o Rio voltou a abrir frente.

Sheilla, craque do time carioca, jogou abaixo do que estamos acostumados. Mas o Rio não precisou dela, verdade seja dita. Ainda bem.

As centrais do Rio, Valeskinha e Juciely fizeram a diferença no bloqueio e principalmente no ataque. As duas juntas fizeram 13 dos 18 pontos do Rio. 

Moral da história ?

Se tivesse a concentração necessária, o Rio ganharia por 3 a 0. 

O Rio se fez respeitar e provou que segue sendo o favorito, ao lado de Osasco, para ser campeão.  

 

   

            

Por Bruno Voloch às 14h58

Sobre o autor

Carioca, tem mais de 20 anos de profissão. Iniciou a carreira na extinta TV Manchete em 1988. Foram 6 anos até ser contrato pela Band Rio em 1994. No ano seguinte estava no Sportv/Globo onde foi idealizador e apresentador do programa Supervolley. Atuou como repórter de 1995 até 2003, e participou da cobertura dos campeonatos brasileiros de 1995 a 2003 em jogos ao vivo. Em 2004 se transferiu para o Bandsports, onde criou e comandou os programas "Roda de vôlei "e Linha de 3". Foi apresentador e comentarista de vôlei e basquete do canal. Em 2008 acumulou a função de diretor de jornalismo até setembro de 2009. De 2007 até 2009 foi colunista da rádio Bandnews FM do Rio e trabalhou nos jornais Lance e Jornal dos Sports. Participou da cobertura de 3 Copas do Mundo, 3 Olimpíadas e das últimas 3 últimas edições do Pan. Hoje é colunista do Jornal do Brasil e comenta futebol para a Bandnews FM/Rio de Janeiro e rádio Terê FM/Rio de Janeiro. É especialista em vôlei.

Sobre o blog

Opinião e informação sobre o que de mais relevante ocorre no vôlei no Brasil e no mundo.

Histórico

© 1996-2009 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.